Área de projecto

Views:
 
Category: Education
     
 

Presentation Description

No description available.

Comments

Presentation Transcript

Slide 1: 

OrientaçõesÁrea de Projecto dos Cursos Científico-Humanísticos 12º Ano Homologação 09/08/2006

Slide 2: 

A AP tem uma natureza interdisciplinar e transdisciplinar e visa a realização de projectos concretos por parte dos alunos, com o fim de desenvolver nestes uma visão integradora do saber, promover a sua orientação escolar e profissional e facilitar a sua aproximação ao mundo do trabalho.

Slide 3: 

A AP constitui um espaço e um tempo curriculares privilegiados para que, sem se substituírem ao trabalho desenvolvido nas diferentes disciplinas, os alunos possam relacionar-se com o conhecimento através de realizações concretas – relatórios, ensaios, objectos tridimensionais diversos, programas informáticos, filmes em suporte vídeo ou DVD, páginas na Internet, trabalhos de suporte multimédia, etc.

Slide 4: 

A AP é também um espaço curricular próprio para que os alunos e professores criem oportunidades que aproximem a escola da comunidade e da sociedade em que esta se insere. Há muitas potencialidades de desenvolvimento em domínios como a aproximação ao mundo do trabalho, ao mundo empresarial, às instituições científicas e culturais, às instituições da administração pública, às instituições de solidariedade social ou aos órgãos de poder local e central.

Slide 5: 

Finalidades, Competências e Aprendizagens Essenciais A AP não tem um programa no sentido mais usual do termo (...) Existem, sim, aprendizagens essenciais que se pretende que todos os alunos do ensino secundário desenvolvam no âmbito destas componentes de formação e que se encontram enquadradas por grandes finalidades a atingir e por competências a desenvolver no domínio da educação/formação prescritas para o ensino secundário.

Slide 6: 

Finalidades promover uma cultura de liberdade, participação, reflexão, qualidade e avaliação que realce a responsabilidade de cada um nos processos de mudança pessoal e social; desenvolver atitudes de responsabilização pessoal e social dos alunos na constituição dos seus itinerários e projectos de vida, sob uma perspectiva de formação para a cidadania participada, para a aprendizagem ao longo da vida e para a promoção de um espírito empreendedor; promover a orientação escolar e profissional dos alunos, relacionando os projectos desenvolvidos com os seus contextos sociais e, em particular, com os contextos de trabalho e as saídas profissionais;

Slide 7: 

Competências conceber e desenvolver experiências concretas, de qualidade, relacionadas com as suas áreas de interesse pessoal e/ou vocacional; utilizar a metodologia do trabalho de projecto – recolhendo, analisando, seleccionando informação, resolvendo problemas, tomando decisões adequadas, justificando essas decisões e comunicando-as, por escrito e oralmente, utilizando suportes diversificados, nomeadamente as novas tecnologias da informação/comunicação–, articulando, numa dimensão inter e transdisciplinar, os saberes teóricos e práticos;

Slide 8: 

desenvolver projectos em grupo, nomeadamente cooperando com e respeitando o outro, organizando o trabalho e responsabilizando-se individualmente pelas tarefas atribuídas; desenvolver ou aprofundar individualmente projectos.

Slide 9: 

Sequência DAS aprendizagens essenciais Elaboração de um projecto conducente a uma realização concreta, adequada ao curso que frequenta e visando tratar de um tema ou problema em que esteja particularmente interessado. Apresentar o projecto elaborado, adequando o(s) formato(s) dessa apresentação à(s) audiência(s) a que se destina(m) e promover o debate das opções tomadas. Reformular o projecto apresentado na sequência do debate realizado, se for caso disso. Realizar o produto de acordo com o projecto elaborado.

Slide 10: 

Avaliar o produto realizado, levando em conta os objectivos pretendidos. Elaborar relatório do produto realizado, dando o destaque adequado à sua fundamentação científica e tecnológica, assim como um relatório do processo seguido, dando conta da avaliação realizada. Apresentar publicamente o produto e o relatório do processo, adequando o(s) formato(s) dessa(s) apresentação(ões) aos objectivos pretendidos e à(s) audiência(s) a que se destina(m).

Slide 11: 

O Projecto definir claramente o produto concreto pretendido e os objectivos prosseguidos pelo seu projecto; enquadrar o projecto proposto nos objectivos dos seus projectos de vida profissional e pessoal; realizar o levantamento dos recursos necessários à realização do produto;

Slide 12: 

identificar os saberes e os saberes-fazer de que dispõe e os que necessita obter para realizar o produto pretendido; adequar o projecto aos recursos existentes e disponíveis na escola e na comunidade; identificar e formular claramente os objectivos parcelares a atingir; elaborar uma estratégia de realização adequada ao produto e aos objectivos pretendidos, explicitando as fases do trabalho e as tarefas a levar a cabo, bem como os locais onde terão lugar e os recursos necessários, os elementos do grupo que as cumprirão e a sua calendarização; fundamentar cientifica e tecnicamente as opções tomadas; analisar, individualmente e em grupo, os objectivos e a estratégia propostos, tendo em conta, respectivamente, a sua viabilidade e adequação e proceder aos ajustamentos considerados necessários.

Slide 13: 

4. O Produto manter presentes os objectivos do projecto e a estratégia definida; adquirir os saberes e desenvolver os saberes-fazer científicos e técnicos previstos; persistir de forma autónoma mas articulada com os colegas, dentro dos prazos previstos, na conclusão das tarefas que lhe estão atribuídas;

Slide 14: 

identificar e propor soluções para os problemas que se foram colocando, nomeadamente os não antecipados na estratégia definida; identificar e colmatar as ausências de saberes e de saberes-fazer que se forem revelando durante a realização do produto pretendido; debater com os colegas do grupo a forma como o trabalho está a decorrer, promovendo as alterações que se verifiquem necessárias, nomeadamente, no que se refere à dinâmica do trabalho de grupo (tanto o realizado independentemente como o realizado em grupo); elaborar e apresentar relatórios periódicos da execução do projecto.

Slide 15: 

A avaliação da AP exigirá uma prática avaliativa: de natureza eminentemente formativa – logo contínua e sistemática –, …. assente em princípios de diálogo (com alunos, colegas, encarregados de educação), de transparência (negociação franca e responsável com os alunos no que respeita a critérios de avaliação e classificação), de fidelidade curricular (avalia o que está previsto que avalie), de contextualização (atenta às situações concretas em que as aprendizagens decorreram – condições e ambientes) e de equidade (proporciona aos alunos múltiplas oportunidades de desempenho); …

Slide 16: 

O produto final produzido pelo aluno no decurso do projecto não tem um valor autónomo face ao processo que o originou. O trabalho investido na análise das situações e dos problemas, no esforço de planeamento, na procura das soluções, na avaliação dos resultados intermédios deve ser contemplado como parte integrante do trabalho de aprendizagem a par do resultado concreto traduzido no produto final.

Slide 17: 

Desenvolvimento Curricular Há quatro fases sucessivas: 1. Selecção do tema/problema e do grupo de trabalho 2. Concepção e elaboração do projecto 3. Execução sustentada do projecto e realização do(s) produto(s) 4. Elaboração do relatório do processo e apresentação pública do produto e do respectivo relatório Selecção do tema/problema e do grupo de trabalho Trata-se de uma fase essencial a todo o processo, uma vez que o tema/problema do projecto e o grupo de trabalho que o vai realizar não podem ser impostos, mas têm de resultar da adesão consciente dos alunos.

Slide 18: 

Constituição do grupo de trabalho critérios claros e assumidos pelos alunos, entre outros: maior ou menor interesse dos possíveis membros do grupo pelo tema/problema; a diversidade de competências dos possíveis membros do grupo; relacionamento prévio ou o relacionamento previsível dos possíveis membros. b. Identificação e caracterização do problema …dinamizar um debate orientado em grande grupo (turma) partindo, de uma listagem dos temas/problemas que os alunos indiquem – relacionados com o curso científico-humanístico ou tecnológico que requentam – e de uma listagem dos cursos, família de profissões ou mesmo profissões que pretendam vir a frequentar ou a exercer.

Slide 19: 

critérios de selecção dos temas/problemas a maior ou menor relação dos temas/problemas com os futuros profissionais pretendidos, a possibilidade de adquirirem, durante o tempo útil para a realização do projecto, os saberes e os saberes- fazer estritamente necessários à realização do mesmo; os recursos já disponíveis ou a obter na escola e na comunidade; a relação com o projecto educativo da Escola e, portanto, com o contexto socioeconómico, patrimonial e cultural; a possibilidade de chegar a um produto concreto até ao final do ano lectivo.

Slide 20: 

2. Concepção e elaboração do projecto Assim, num primeiro momento desta fase, trata-se de cada grupo: • clarificar os objectivos do projecto e identificar o(s) produto(s) esperado(s); • listar, na sequência das pesquisas que se tornem necessárias, as estratégias que permitam atingir os objectivos enunciados e o(s) produto(s) esperado(s), designadamente a definição de actividades e de processos de trabalho; • dividir tarefas; • calendarizar as actividades; • identificar recursos necessários à resolução do tema/problema; • identificar e/ou antecipar possíveis obstáculos; • delinear estratégias de monitorização e avaliação dos processos.

Slide 21: 

A gestão do tempo deverá ser rigorosa, de modo a que até ao fim do 1º período cada grupo tenha chegado a uma versão articulada do projecto, com as fases devidamente sequenciadas, de forma a desenvolver e a apresentar o(s) produto(s) até ao fim do ano lectivo. A participação dos alunos na avaliação e na reformulação do seu próprio trabalho no sentido da procura da qualidade e da excelência proporciona aprendizagens fundamentais desta área curricular e que, nesta fase, devem ser particularmente incentivadas.

Slide 22: 

3. Execução sustentada do projecto e realização do(s) produto(s) Elaboração de um relatório do produto realizado, quando se justifique, dando o realce adequado à sua fundamentação científica e tecnológica. Identificação dos problemas que se forem colocando à execução do projecto e à apresentação de propostas de superação adequadas. Auto-avaliação em tempo útil. Esta fase deverá ser concluída até ao final do mês de Abril, de modo a permitir que antes do final do ano lectivo sejam elaborados os relatórios finais necessários.

Slide 23: 

4. Elaboração do relatório do processo e apresentação pública do produto e do respectivo relatório Esta fase permite a avaliação do(s) produto(s) obtido(s) e do projecto como um todo. É fundamental que, e independentemente da natureza do projecto a desenvolver, no final do ano lectivo haja um produto final – relatório, ensaio, objecto tridimensional diverso, programa informático, filme em suporte vídeo ou DVD, página na Internet, trabalho de suporte multimédia, etc..

Slide 24: 

Os critérios de avaliação deverão ter em conta (i) a adequação do(s) produto(s) aos objectivos, (ii) a adequação da(s) estratégia(s) seguida(s), (iii) a relevância do projecto, no seu todo, para a área de formação do aluno. É também nesta fase que cada grupo apresenta oralmente à turma e a outras audiências, se for caso disso, o produto realizado, bem como o respectivo relatório.

Slide 25: 

Recursos disponíveis na Internet Existem numerosos recursos disponíveis na Internet, pelo que se recomenda uma pesquisa, através de um motor de busca. A título de exemplo, indicam-se apenas alguns portais que podem ajudar na busca e na recolha de informação útil para apoio ao desenvolvimento da área projecto e do projecto tecnológico. http://www.bie.org/ O Buck Institute for Education (BIE) é uma organização sem fins lucrativos de investigação e desenvolvimento que trabalha para tornar as escolas e as salas de aula mais eficazes com o recurso à aprendizagem baseada na resolução de problemas e à aprendizagem baseada em projectos. http://www.cord.org/ O Center for Occupational Research and Development (CORD) é uma organização sem fins lucrativos que pretende introduzir mudanças inovadoras na educação, de modo a preparar os alunos para um maior sucesso a nível profissional, bem como no ensino superior.

Slide 26: 

http://www.csporteneuf.qc.ca/sedprojet/ http://pblchecklist.4teachers.org/ Nestes sites são apresentados exemplos de listas de verificação para facilitar a monitorização do desenvolvimento de projectos, bem como referências bibliográficas sobre Pedagogia de Projecto. http://www.edutopia.org/modules/PBL/index.php Neste site é apresentado um módulo de iniciação à aprendizagem baseada em projectos. www.dgidc.min-edu.pt http://www.esfh.pt/moodle/course/view.php?id=353 A nossa disciplina no Moodle:

Slide 27: 

BOM TRABALHO!!! BOM TRABALHO!!! MJosé Vaz da Costa

authorStream Live Help