Apresentação2.pptx memoria e etnia

Views:
 
Category: Education
     
 

Presentation Description

pomeranos

Comments

Presentation Transcript

Memória e etnia:  processos histórico-relacionais da identidade pomerana no Espirito Santo do século XX:

Memória e etnia: processos histórico-relacionais da identidade pomerana no Espirito Santo do século XX Jorcy Foerste Jacob/ PPGH/ UFES [email protected] Tel: 98012312

Objetivo::

Objetivo: Estudar através da história migratória dos pomeranos – desde a imigração da Pomerânia até as migrações internas no Espirito Santo – os processos de inclusão e exclusão que delimitam a identidade pomerana e a diferenciam dos outros grupos étnicos.

Metodologia :

Metodologia Através da análise do discurso estudar fontes orais, textos (livro Cruzeiro do Sul e almanaque de 1920 da ICBL), bem como imagens e arquitetura.

PowerPoint Presentation:

De vez em quando alguém fazia alguma observação do tipo: “ Wi säge hier nich Heuhner , hier heit das Hinner ! ” (aqui não falamos “ Heuhner ” que significa galinha, e sim falamos “ Hinner ”). Estas diferenças de algumas palavras se dão por influência dos “ hunsrücker ”. Além disto, também moravam algumas famílias holandesas na região, o que misturava o pomerano com o holandês. [...] Não existe uma palavra em pomerano que defina a caminhonete, pois na época em que saíram da Pomerânia ainda não existiam carros que andavam sem cavalos. GRANZOW, Klaus. Pomeranos sob o cruzeiro do sul : colonos alemães no Brasil . Vitória : Arquivo Público do Estado do Espírito Santo. P. 81

Conclusões:

Conclusões Os pomeranos não viviam isolados culturalmente, prova disso são as mudanças linguísticas e arquitetônicas. Eles foram por muito tempo excluídos da política institucional. A cultura pomerana não é fixa, ela muda constantemente e nem por isso os pomeranos deixam de ser pomeranos . Não é a cultura pomerana que define em si, ou de forma, primaria a identidade pomerana , mas sua forma de organização social no quais seus membros se identificam e são identificados pelos outros participantes como pertencentes a um grupo distinto.

Bibliografia:

Bibliografia BARTH, F. Grupos étnicos e suas fronteiras. In: POUTIGNAT, P.; STRIFF-FENART, J. (Org.). Teorias da etnicidade . São Paulo: Unesp , 1997. p. 187-227. CUNHA, Manuela Carneiro da. Antropologia do Brasil: mito, história, etnicidade . São Paulo: Brasiliense, 1986. HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A , 2007. JACOB, Jorcy Foesrte . A Pomerânia Brasileira : uma eterna migraçaõ . Vila Pavão, s/e, 2010. POLLAK, Michael. 1989. “Memória, Esquecimento, Silêncio”. In: Estudos Históricos . Rio de Janeiro, vol. 2, n. 3, p. 3. PORTELLI, A. A filosofia e os fatos. In: Revista Tempo , vol. 1, n° 2, 1996, pp. 59/72.

authorStream Live Help