A Arte de ser feliz

Views:
 
     
 

Presentation Description

Mensagem espírita

Comments

Presentation Transcript

Apresentação do PowerPoint:

28/10/18 13:55:12 A Arte de ser feliz Pesquisa e Formatação Música: Rising in love-Aeoliah Transição manual dos Slides HELIO CRUZ

Apresentação do PowerPoint:

Eu sempre observei as paisagens da vida através de minhas janelas. Houve um tempo em que a minha janela se abria para um chalé. Na ponta do chalé brilhava um grande ovo de louça azul. Nesse ovo costumava pousar um pombo branco. Ora, nos dias límpidos, quando o céu ficava da mesma cor do ovo de louça, o pombo parecia pousado no ar. Eu era criança e achava essa ilusão maravilhosa e sentia-me completamente feliz. Houve um tempo em que a minha janela dava para um canal. No canal oscilava um barco. Um barco carregado de flores. Para onde iam aquelas flores? Quem as comprava? Em que jarra, em que sala, diante de quem brilhariam, na sua breve existência? E que mãos as tinham criado?

Apresentação do PowerPoint:

E que pessoas iam sorrir de alegria ao recebê-las? Eu não era mais criança, porém a minha alma ficava completamente feliz. Houve um tempo em que minha janela se abria para um terreiro, onde uma vasta mangueira alargava sua copa redonda. À sombra da árvore, numa esteira, passava quase todo o dia sentada uma mulher, cercada de crianças. E contava histórias. Eu não podia ouvir, da altura da janela; e mesmo que a ouvisse, não a entenderia, porque isso foi muito longe, num idioma difícil Mas as crianças tinham tal impressão no rosto, e às vezes faziam com as mãos arabescos tão compreensíveis, que eu participava do auditório, imaginava os assuntos e suas peripécias e me sentia completamente feliz.

Apresentação do PowerPoint:

Houve um tempo em que minha janela se abria sobre uma cidade que parecia ser feita de giz. Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco. Era uma época de estiagem, de terra esfarelada, e o jardim parecia morto. Mas todas as manhãs vinha um pobre homem com um balde, e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas. Não era uma rega; era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse. E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz. Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor. Outras vezes encontro nuvens espessas. Avisto crianças que vão para a escola .

Apresentação do PowerPoint:

Pardais que pulam pelo muro. Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais. Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar. Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Veja. Às vezes, um galo canta. Às vezes, um avião passa. Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino. E eu me sinto completamente feliz. Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.

Apresentação do PowerPoint:

Este texto poético, abordando sensações e sentimentos individuais sobre detalhes de pequenos eventos do dia a dia, está no livro “Escolha seu sonho”, de autoria da escritora Cecília Meireles. “É preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim”. Nesta frase está resumida a lição mágica que abre as portas da sensibilidade para que vejamos, com os olhos de ver, as coisas e as pessoas em sua essência . Esta página nos fala da arte de viver e da arte de ser feliz. Quando nos deparamos com este texto, fica impossível não fazer um paralelo com a Doutrina Espírita, sim. Porque o Espiritismo tem aberto para todos nós inúmeras janelas.

Apresentação do PowerPoint:

O conhecimento da Doutrina Espírita ampliou para nós os nossos horizontes de entendimento. O Espiritismo, portanto, abriu para nós as janelas do entendimento, descerrou para nós as janelas da compreensão, ampliando os nossos horizontes. A doutrina nos permite enxergar além dos horizontes materiais. O Espiritismo é sem dúvida bênçãos, caminhos novos a nossa frente. O nosso propósito nesse trabalho é refletir exatamente nessas questões. Como o Espiritismo tem influenciado a nossa vida. Como a doutrina tem aberto para nós janelas de novas possibilidades, induzindo-nos a pensar de maneira diferente; ver as coisas de forma diferente; agir de forma diferente. Nós vamos então recorrer a três conceitos muito importantes na existência, para possamos juntos refletir.

Apresentação do PowerPoint:

Como o Espiritismo nos auxiliou a maneira de ver, entender essas questões da vida. Vejamos primeiramente a questão da existência. O que significa para nós viver aqui na Terra? Há aqueles que dizem que viver aqui neste orbe é sofrer. Sendo a Terra um mundo de provas e expiações, viver aqui é caminhar por um caminho de pedras, de espinhos. Viver na Terra é derramar lágrimas. Esta é a opinião dos pessimistas, daqueles que não conseguem enxergar nenhum prazer, nenhuma alegria na existência. A vida no nosso planeta não é como pretendem os pessimistas, somente dor e tristeza. A vida nos oferece muito mais. Se de um lado os pessimistas afirmam que viver é sofrer, no outro extremo existem os homens iludidos, que criaram uma ilusão a respeito da vida.

Apresentação do PowerPoint:

Para estes, a vida significa gozar, beber na taça dos prazeres todos os instantes. Para eles a vida só tem sentido se eles estiverem aproveitando intensamente a existência. Então, passam pela vida como se estivessem deslizando de patins. Para eles a vida significa um passeio turístico, onde eles insistem dizendo que querem aproveitar a vida. O Espiritismo vem ao nosso encontro e abre janelas de entendimento, e nos explica: nós somos espíritos, saímos da mão do Criador, simples e ignorantes. Deus na sua grandeza nos oferece essa senda evolutiva, esse caminho de experiências. Cada existência é um passo à frente, cada existência uma nova conquista, um novo aprendizado. A nossa meta é a perfeição, a plenitude, a conquista do reino dos céus.

Apresentação do PowerPoint:

Para a Doutrina Espírita, nós não somos apenas o corpo; o corpo é o veículo da alma, é apenas um instrumento de manifestação. Nós somos Espíritos. A vida na Terra passa a ter um significado muito importante. Viver significa receber da bondade divina uma abençoada oportunidade de crescimento, de aprendizado. Então a vida não é somente tristeza; a vida não é somente prazeres. O Espiritismo nos diz que a vida é todo esse complexo maravilhoso. Viver na Terra é receber uma grande oportunidade de crescimento e de adquirir novos conhecimentos. A Doutrina Espírita amplia a nossa visão. Então a vida na Terra, do berço ao túmulo, passa a ter um sentido muito maior. Vejamos o significado da dor, outro conceito importante para a nossa existência.

Apresentação do PowerPoint:

O que significa o sofrimento para nós? Como nós compreendemos a dor? Há quem diga que a dor é castigo de Deus; fulano está sofrendo porque Deus está castigando. Mas será que Deus castiga? João, o evangelista, define o Criador com uma só palavra, no seu Evangelho: Deus é amor. Ora, quem ama não castiga; quem ama, abençoa; quem ama, oferece nova oportunidade. Então Deus não pode castigar os Seus filhos. Mas se não é Deus quem nos castiga; se a nossa dor não tem causa nesse castigo divino, onde a causa do nosso sofrimento? Quase sempre o homem quer encontrar o culpado pra sua dor. Se não é Deus quem está nos castigando, então nós sofremos por causa do outro. Eu sofro porque o outro me faz sofrer.

Apresentação do PowerPoint:

O Espiritismo, nesse particular, abre para nós painéis grandiosos para o entendimento da vida, porque ele nos apresenta a justiça divina, afirmando que Deus é amor, explicando que nós sofremos não porque os outros nos fazem sofrer. A causa dos nossos padecimentos não está no próximo, por incrível possa parecer, o homem sofre exatamente porque ele cria esse padecimento, E, aí, nós nos lembramos de Jesus que, há mais de 2000 anos, já nos deu o entendimento dessa questão, a respeito do sofrimento, quando Ele narra para nós a parábola da ovelha desgarrada. Vejamos a narrativa do Mestre: Havia um pastor que estava conduzindo um rebanho de ovelhas para um aprisco de segurança. A caminho, uma das ovelhas se desgarrou e se afastou do rebanho.

Apresentação do PowerPoint:

O pastor, sempre atencioso, foi ao encontro da ovelha desgarrada e a trouxe para o rebanho. Passa-se algum tempo, e novamente a ovelha se afasta, vai mais longe, cai numa furna e se fere. O pastor, sempre zeloso, vai ao encontro da ovelha, percebe que ela está ferida, não a conduz, coloca-a sobre seus próprios ombros, aliviando seu cansaço e estresse por estar perdida, e a traz novamente para a segurança do rebanho. A jornada prossegue, e mais uma vez, a ovelha se desgarra, e dessa vez vai longe, muito longe. Então, o pastor não podendo deixar o rebanho sozinho, manda o cão ir em busca da ovelha perdida. O cão farejador encontra a ovelha, avança sobre ela, usa de violência, força, e a ovelha volta para o rebanho.

Apresentação do PowerPoint:

A imagem é perfeita. Jesus é o pastor; a Humanidade é o rebanho; nós somos as ovelhas. E o Senhor está nos conduzindo por um caminho seguro. A mensagem do Evangelho é uma diretriz segura para as nossas almas, para nos conduzir ao aprisco de Deus. Porém, muitas vezes nós somos aquela ovelha que saiu do caminho traçado, da orientação segura, e nós nos afastamos. A bondade de Jesus vai e nos resgata indicando novamente o caminho seguro. Novamente nos afastamos, erramos, caímos, nos ferimos, e a bondade de Jesus nos recolhe, nos sustenta, e nos mostra novamente a oportunidade pelo caminho seguro. Mas, muitas vezes nós nos afastamos desse roteiro seguro, e vamos tão longe, tão longe, que não é Deus que se esquece de nós, nós é que nos esquecemos Dele. Então, a vida pede que um cão vá nos buscar.

Apresentação do PowerPoint:

O cão é a simbologia da dor. Essa mesma mensagem da parábola está contida numa questão de O Livro dos Espíritos. Naturalmente, com outras palavras, mas o sentido é o mesmo. Questão 614: Que se deve entender por lei natural? “A lei natural é a lei de Deus. É a única verdadeira para a felicidade do homem. Indica-lhe o que deve fazer ou deixar de fazer e ele só é infeliz quando dela se afasta”. Daí porque os Espíritos afirmarem que o sofrimento tem causa em nós mesmos. O Evangelho Segundo o Espiritismo afirma: Causas atuais e causas anteriores das nossas aflições, mostrando sempre que a dor é uma consequência natural do nosso afastamento da lei divina. O sofrimento, portanto, não é como se diz castigo de Deus, e não é causado por outrem. O sofrimento é criado por nós mesmos.

Apresentação do PowerPoint:

Muitas vezes a vida fala para nós a linguagem do amor, e nós não ouvimos; a vida fala novamente a linguagem do amor e nós permanecemos surdos. Então a vida fala a linguagem da dor, e, aí, nós aprendemos o que precisamos aprender na vida, embora de uma maneira mais difícil. Então a dor não é um processo punitivo como muitas vezes se pensa; a dor é um processo educativo. A dor é a oportunidade de aprendermos a lição que a vida está nos falando. A dor existe como consequência dos nossos equívocos no presente e no passado. Portanto, quando a dor surgir na nossa vida, nós precisamos ter o que a Doutrina Espírita chama de fé raciocinada; nós precisamos tirar da dor o melhor, a lição que precisamos aprender. Nós não podemos nos colocar na posição de vítimas, de sofredores.

Apresentação do PowerPoint:

O Espiritismo então vem e renova para nós o conceito de dor. O sofrimento tem causa em nossas atitudes. Toda vez que nos afastamos da lei divina criamos o mecanismo do sofrimento, e Deus vai se valer desse mecanismo para nos despertar para as lições que a vida precisa nos oferecer. Vejamos finalmente um outro conceito na existência; o conceito de felicidade, O que significa felicidade para nós? Há aqueles que dizem que felicidade não existe, que é uma fantasia, uma ilusão. Há outros que afirmam que a felicidade existe, sim. Porém, essa tal felicidade é só para os outros, pra ela nada. Qual o nosso conceito de felicidade? A Doutrina Espírita amplia para nós esse conceito de felicidade.

Apresentação do PowerPoint:

O Espiritismo nos diz que felicidade não está em algum lugar; que felicidade não se adquire no supermercado; que felicidade não está também em uma pessoa. A felicidade é um estado de espírito; é uma maneira de ver as coisas da vida. Dessa forma, nós começamos a entender essas almas nobres que são felizes, apesar de. Felicidade é uma conquista íntima. Felicidade é um estado espiritual. Muitos têm o conceito equivocado de que felicidade é algo só para depois da morte, só depois que desencarnar. Mas a felicidade não está na vida física nem na dimensão espiritual. A felicidade depende de nós. O indivíduo que diz eu sou infeliz é porque ele não está contente com a felicidade possível. Ele quer a felicidade impossível.

Apresentação do PowerPoint:

Há uma lenda oriental muito interessante, que trata exatamente dessa nossa insatisfação para com as alegrias da vida, ela diz assim: havia um mestre que, certa vez, passando por um caminho, encontrou um jovem muito angustiado, muito infeliz. O mestre observou aquele rapaz e, tentando reanimá-lo, ajuda-lo, disse assim para ele: jovem, você está vendo essa pedra? Apontando para um calhau a sua frente. Sim, mestre, estou vendo. O mestre então apontou o dedo indicador para ela e a pedra se transformou em uma joia preciosa. O jovem pegou aquela preciosidade nas mãos, e ficou feliz. O mestre então, satisfeito, foi embora. Passado algum tempo, o mestre passou novamente por aquele caminho; encontrou aquele mesmo jovem, e ele estava insatisfeito e infeliz.

Apresentação do PowerPoint:

E o mestre para reanima-lo disse assim: jovem, você está vendo aquela rocha? Sim, mestre, estou vendo. Então o mestre novamente apontou a dedo indicador para o pedregulho, e ele ficou todo ornamentado de pedras preciosas. O jovem então abraçou aquele tesouro, ficou vibrante e feliz. O mestre se foi. Passado mais algum tempo, o mestre, no mesmo caminho, encontrou aquele jovem, outra ves insatisfeito e infeliz com a vida. Mais uma vez o mestre o atendeu, dizendo assim: Jovem, você está vendo essa areia a nossa volta? Sim, mestre. Então o mestre novamente apontou o dedo indicador e a areia se transformou em ouro em pó. Então, de tanta felicidade, o jovem jogava aquela poeira dourada para cima, estava feliz.

Apresentação do PowerPoint:

O mestre se foi. Passado mais algum tempo, o mestre passando por aquele caminho, encontrou o jovem novamente infeliz, lamentando-se e sofredor. Aí, o mestre mudou o diálogo e disse assim: jovem, eu me lembro que três vezes eu passei por aqui e nessas três vezes eu tentei te estimular, e você continua reclamando, lamentando que é infeliz. Então me diga, o que você quer para ser feliz? O jovem levantou os olhos rapidamente e respondeu assim para o mestre: a mestre, eu quero o seu dedo.. A nossa velha insatisfação. O jovem não estava feliz com os presentes que recebeu. Ele não ficou feliz com a felicidade que estava à volta dele. Ele estava querendo a felicidade impossível. O Espiritismo diz que a felicidade está dentro de nós.

Apresentação do PowerPoint:

Felicidade é uma decisão íntima, particular, depende de cada um de nós. Por isso, é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim, tão belas. Nesta frase está resumida a lição mágica que abre as portas da sensibilidade para que vejamos, com os olhos de ver, as coisas e as pessoas em sua essência . Encerramos este trabalho com a lúcida ponderação de Raul Teixeira, que nos orienta que: “Podemos ser felizes, na Terra, sem esperar a felicidade no reino dos céus, depois da morte, porque aprendemos que a felicidade maior não é propriamente aquela que apenas nós vivenciamos, mas aquela que experienciamos , doando-nos aos outros ”.

Apresentação do PowerPoint:

Muita Paz! Visite o meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br A serviço da Doutrina Espírita; com estudos comentados, cujo objetivo é levar as pessoas a uma reflexão sobre a vida. Leia Kardec! Estude Kardec! Pratique Kardec! Divulgue Kardec! O amanhã é sempre um dia a ser conquistado! Pense nisso!