VIAGEM DO MACRO AO MICRO

Views:
 
Category: Entertainment
     
 

Presentation Description

No description available.

Comments

Presentation Transcript

Slide 1: 

. Aumente o SOM POTÊNCIA DE 10 DO MICRO AO MACROCOSMO

Slide 2: 

Vamos fazer um passeio viajando em alta velocidade, pulando em distâncias múltiplas de 10.

Slide 3: 

Começamos com 100 e equivalência com 1 metro, aumentando em proporções múltiplas de 10 ou seja, 101 (10 metros), 102 (10x10 = 100 metros, 103 (10x10x10 = 1.000 metros), 104 (10x10x10x10 = 10.000 metros), sucessivamente, até o limite da nossa imaginação, na direção do macrocosmo.

Slide 4: 

Depois vamos retornar, mais rápido ainda, até o ponto de partida e iniciar uma viagem inversa, ou seja, diminuir as distâncias percorridas em proporções múltiplas de 10, para dentro da matéria, o microcosmo.

Slide 5: 

Observe a constância das leis no universo e reflita sobre como o macro cosmo é tão grande assim como o micro cosmo é extremamente pequeno

Slide 6: 

Boa-viagem ! Pegue o seu assento e...

Slide 8: 

É a distância de olharmos um ramo de folhas com o braço esticado... 100 1 metro

Slide 9: 

Começamos nossa viagem “para cima” nos afastando da origem ... já podemos ver os arbustos da floresta 101 10 metros

Slide 10: 

A essa distância já podemos ver a floresta bem definida, um pedaço do lago e as edificações 102 100 metros

Slide 11: 

Aqui mudamos de metro para km ... Já é possível saltar de pára-quedas ... 103 1 km

Slide 12: 

A cidade pode ser observada de cima. Os quarteirões mal são vistos. 104 10 km

Slide 13: 

Nesta altura o estado da Flórida - USA, pode ser visto por completo... 105 100 km

Slide 14: 

Como visto por um satélite 106 1.000 km

Slide 15: 

O Hemisfério Norte da Terra, podendo-se ver parte do Hemisfério Sul. 107 10.000 km

Slide 16: 

Aqui ainda conseguimos ver as luzes das grandes metrópolis 107 10.000 km

Slide 17: 

A Terra começa ficar pequena... 108 100.000 km

Slide 18: 

Pode ser vista a órbita da Lua em torno da Terra. 109 1 milhão de km

Slide 19: 

Parte da órbita da Terra em azul 1010 10 Milhões de km

Slide 20: 

1010 10 Milhões de km Somente nesta distância daria para comparar os planetas e seus tamanhos e... Veja como somos pequenos perto dos outros planetas

Slide 21: 

1010 10 Milhões de km Também comparar o tamanho do sol com o da terra que é mil e duzentas vezes maior ! Este pequeno ponto é a terra em comparação Ao sol .

Slide 22: 

POR FALAR EM TAMANHO ATENTEMOS PARA ESSAS PROPORÇÕES: .

Slide 23: 

.

Slide 24: 

.

Slide 25: 

.

Slide 26: 

.

Slide 27: 

1011 100 milhões de km Órbitas de: Vênus, Terra e Marte.

Slide 28: 

Órbitas de: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte e Júpiter. 1012 1 bilhão de km

Slide 29: 

A essa “altura” de nossa viagem conseguimos enxergar todo o Sistema Solar e a órbita de seus planetas. 1013 10 Bilhões de km

Slide 30: 

1014 100 Bilhões de km O Sistema Solar começa a desaparecer no meio do universo ...

Slide 31: 

O Sol se torna uma pequena estrela no meio de outras milhares ... 1015 1 trilhão de km

Slide 32: 

Aqui mudamos para outra grandeza .... O “ano-luz” É a unidade de medida astronômica, e equivale ao espaço percorrido pela luz durante um ano a 300.000 Km / Seg 1016 1 ano-luz

Slide 33: 

Nesta distância já encontramos a mais próxima estrela vizinha do sol, Alfa Centauri situada a 4,3 anos luz 1017 10 anos-luz SOL ALFA CENTAURI

Slide 34: 

Nesta distância fica ´´Aldebaran´´ uma estrela de primeira grandeza, cerca de 1 milhão de vezes maior que o nosso sol, só para se ter uma idéia, se ela estivesse em nosso sistema solar, incineraria todos os planetas incluindo Plutão e sugaria toda a energia do sol 1018 100 anos-luz

Slide 35: 

1019 1.000 anos-luz nessa distância as estrelas parecem se fundir. Estamos viajando pela Via-Láctea, nossa galáxia e também...

Slide 36: 

1019 1.000 anos-luz ...encontramos a explosão de uma supernova, criando um brilho de um bilhão de sóis

Slide 37: 

Chegamos ao braço de cisne, uma das espirais da Via Láctea. O nosso sistema solar encontra-se bem na extremidade deste braço 1020 10.000 anos-luz

Slide 38: 

Agora chegamos na periferia da nossa Via-Láctea. Aqui já conseguimos ver três braços incluindo o nosso, de cisne. 1021 100.000 anos-luz

Slide 39: 

Nessa imensa distância podemos ver toda a Via-Láctea e também... 1022 1 milhão de anos-luz

Slide 40: 

... outras galáxias como Andrômeda 1022 1 milhão de anos-luz

Slide 41: 

1023 - 10 milhões de anos-luz 1023 10 milhões de anos-luz Aqui conseguimos contemplar o nosso grupo local de Galáxias

Slide 42: 

1024 - 100 milhões de anos-luz Aqui chegamos em um super aglomerado de galáxias composto por 100 mil galáxias, o nosso aglomerado local composto de 150 galáxias parece um ponto

Slide 43: 

1024 - 100 milhões de anos-luz O gigantesco monstro cósmico em azul esconde um super buraco negro chamado ´´Grande Atrator´´, está situado na constelação de Virgem e puxa com grande

Slide 44: 

1024 - 100 milhões de anos-luz força o super aglomerado de Galáxias onde está o nosso grupo local, daqui a 180 milhões de anos seremos engolidos e sugados junto com as demais num terrível e devastador canibalismo cósmico

Slide 45: 

1025 1bilhão de anos-luz Nesta inimaginável distância vemos milhões de pontos representando os superglomerados, aqui o grande atrator se confunde totalmente no meio dos pontos brancos

Slide 46: 

1025 1bilhão de anos-luz E também encontramos outro grande ser de natureza colossal, um Quasar, uma super-estrela com a massa de 2 milhões de sóis e 50 bilhões de vezes superior, simplesmente teria o poder de ofuscar nossa Galáxia a longa distância...

Slide 47: 

...é este tipo de estrela supermassiva que quando exaure toda a energia, torna-se um buraco negro capaz de devorar até mesmo galáxias, nem mesmo a luz escapa de sua gravidade

Slide 48: 

Em tal buraco negro para se ter uma idéia, uma colher de sopa chega a pesar o equivalente a massa de nossa terra, ou seja um sextilhão de quilos

Slide 49: 

1026 20 bilhões de anos-luz Esta seria a provável visão de todas as 2 trilhões de galáxias que compõem o nosso universo composto desde o Big Bang há 20 bilhões de anos atrás.

Slide 50: 

1027 200 bilhões de anos-luz Existem evidências dentro da física Quântica que comprovam que o nosso universo vindo do Big Bang há 20 bilhões de anos atrás, é só mais um entre outros...

Slide 51: 

1027 200 bilhões de anos-luz E se conseguíssemos viajar por 200 bilhões de anos a uma velocidade de 300.000 km/seg chegaríamos no próximo universo vizinho ao nosso!!! É logo ali... Ainda não foi captado visivelmente por meios convencionais nenhum sinal visível, somente nos cálculos dos supercomputadores, mas se fosse visível, o nosso universo criado pelo Big Bang e o outro sabe lá Deus como, seriam vistos assim nesta distância Entre eles estariam dezenas de bilhões de anos de vácuo, vazio e puro NADA!

Slide 52: 

1036 200 quintilhões de anos-luz Aqui veríamos uma espécie de GALÁXIA de UNIVERSOS aqui se multiplica 2 trilhões de galáxias em média encontradas por cada universo vezes 200 bilhões de universos possíveis. Seria uma imagem espetacular. Essa provavelmente só Deus pode vislumbrar.

Slide 53: 

10100 10 googol de anos-luz Chegamos a margem da imaginação científica, tal número existe oficialmente pela física quântica o Googol, mas aqui estaríamos em uma distância tão inimaginável que só dá para descrever em números esta colossal dimensão de um provável ´´COSMOS DE GALÁXIAS DE UNIVERSOS´´

Slide 54: 

10100 10 googol de anos-luz só lembrando que cada Universo tem 2 trilhões de Galáxias contendo em média 200 bilhões de estrelas cada uma, e que cada Galáxia de Universos teria 200 bilhões de Universos, para formar um Cosmos de Galáxias de Universos tem que se multiplicar este número por mais 1 trilhão. só para se ter idéia desse número, coloque o número 1 seguido de cem zeros na frente PERGUNTA: o que impediria de continuarmos essa viagem para o Macro, se o espaço não tem fim?

Slide 55: 

Poderíamos continuar viajando “para cima” pela nossa imaginação, simplesmente pelo fato real que o espaço não tem fim, mas, agora, vamos voltar “para casa” rapidamente ... 10100

Slide 57: 

1010 1090

Slide 58: 

1010 1080

Slide 59: 

1010 1070

Slide 60: 

1010 1060

Slide 61: 

1050

Slide 62: 

1040

Slide 63: 

1038

Slide 64: 

1037

Slide 65: 

1032 1036

Slide 66: 

1034

Slide 67: 

1034 1033

Slide 68: 

1032

Slide 69: 

1031

Slide 70: 

1027

Slide 71: 

1026

Slide 72: 

1025

Slide 73: 

1022 1024

Slide 74: 

1022 1023

Slide 75: 

1022

Slide 76: 

1021 1021

Slide 77: 

1020

Slide 78: 

1019

Slide 79: 

1018 1018

Slide 80: 

1017

Slide 81: 

1016

Slide 82: 

1015

Slide 83: 

1014

Slide 84: 

1013

Slide 85: 

1012

Slide 86: 

1011

Slide 87: 

1010

Slide 88: 

109

Slide 89: 

108 Agora vamos diminuir a velocidade de volta. Podemos novamente ver a nossa querida Terra.

Slide 90: 

107

Slide 91: 

107

Slide 92: 

106 Por mais que fôssemos “para cima”, tudo estava igualmente regulado por leis idênticas

Slide 93: 

105 O planeta Terra nada mais é do que uma partícula de pó na imensidão espacial ...

Slide 94: 

104 Estamos a meio caminho entre o Quark e o Cosmos

Slide 95: 

103

Slide 96: 

102 Nessa viagem “para cima” fomos a 100ª potência de 10

Slide 97: 

101 Agora vamos mergulhar na matéria, numa viagem inversa ....

Slide 98: 

Chegamos ao ponto inicial. Estamos novamente olhando para um ramo de folhas com o braço esticado... 100

Slide 99: 

Ao mergulharmos para 10 cm podemos delinear uma folha do ramo. 10-1 10 Centímetros

Slide 100: 

Nesta distância é possível enxergar as primeiras estruturas da folha. 10-2 1 Centímetro

Slide 101: 

As estruturas celulares começam a aparecer ... 10-3 1 Milímetro

Slide 102: 

As células se definem. Pode-se ver a ligação entre elas. 10-4 100 mícrons

Slide 103: 

Começa nossa viagem ao interior da célula 10-5 10 mícrons

Slide 104: 

O núcleo da célula já fica visível. 10-6 1 micron

Slide 105: 

Novamente a unidade de medida muda para se adaptar ao minúsculo tamanho.Os cromossomas aparecem. 10-7 1.000 Angstrons

Slide 106: 

Nesse micro universo a cadeia de DNA pode ser visualizada. 10-8 100 Angstrons

Slide 107: 

Os blocos cromossômicos podem ser estudados. 10-9 10 Angstrons

Slide 108: 

Aparecem as nuvens de elétrons do átomo de carbono. Tudo em nosso mundo é feito disso. Pode-se reparar a semelhança do micro com o macrocosmo ... 10-10 1 Angstron

Slide 109: 

Neste mundo em miniatura podemos observar os elétrons no campo do átomo. 10-11 10 picometros

Slide 110: 

Um imenso espaço vazio entre o núcleo e as órbitas de elétrons. 10-12 1 Picometro

Slide 111: 

Neste incrível e minúsculo tamanho começamos a “enxergar” o núcleo do átomo, ainda pequeno. 10-13 100 Femtometro

Slide 112: 

Agora temos o núcleo de um átomo de Carbono bem a nossa frente ! 10-14 10 Femtometro

Slide 113: 

Aqui já estamos face a face com um Próton. 10-15 1 Femtometro

Slide 114: 

Examinando as partículas ‘quark’. A este chamavam de tijolo básico do universo até que... 10-16 100 Attometros

Slide 115: 

Foto recente de uma das subpartículas do Quark chamado Gluon, aqui para chegar a esse resultado a Nasa terá que fazer um trabalho muito perigoso que envolve uma temperatura de 1 trilhão de graus, podendo desencadear explosões atômicas em cadeia destruindo toda a humanidade, sistema solar e Via- Láctea 10-17 10 Attometros

Slide 116: 

FIM !

authorStream Live Help