Europa_Fechada

Views:
 
Category: Others/ Misc
     
 

Presentation Description

No description available.

Comments

Presentation Transcript

Slide 1: 

EUROPA FECHADA J.M.A.S. – PORTUAL - 2007 CLICAR SEMPRE

Slide 3: 

Parece bastante hipócrita a tenacidade com que a Europa procura evitar a chegada de imigrantes africanos, que não são outra coisa senão o resíduo patético das suas invasões coloniais de vários séculos.

Slide 5: 

Esperará por acaso a Europa que, depois de séculos saqueando a África, despojando-a da sua cultura, dos seus recursos materiais e humanos, de infectá-la com a sua febre perniciosa de consumo, vai poder encarar este novo milênio como uma espécie de fortaleza armada e compacta, em cujo interior todos são felizes enquanto que, no exterior, a fome e o desespero se alastram?

Slide 7: 

No conto de Edgar Allan Poe ‘A máscara da morte vermelha‘, é simbolizada a futilidade da intenção do príncipe de se fechar no seu palácio, dando festas, até que a peste passe. A morte acabou por entrar. A Europa é rica graças, essencialmente, a tudo o que levou de África.

Slide 9: 

Por acaso esperam que os africanos famintos fiquem padecendo da miséria resultante dos latrocínios que sofreram, enquanto as sociedades europeias desfrutam de altos níveis de qualidade de vida? Acreditam que é tolerável que quem os roubou, matou e violou por centenas de anos venha pontificar e dar-lhes lições sobre moral internacional e direitos humanos?

Slide 11: 

Vocês, ingleses, não se lembram dos massacres no Kenya, dos despojos na Rodésia? Não se lembram, franceses, o quanto roubaram em Dakar e na Costa do Marfim?

Slide 13: 

Não se lembram, alemães, dos campos de concentração na Namíbia e dos crânios do povo guerreiro dizimado que ainda conservam no Museu de Medicina de Berlim?

Slide 15: 

Não se lembram, belgas, das atrocidades que fizeram no Congo?

Slide 17: 

Não se lembram, portugueses, das escavações depredadoras que fizeram em busca do ouro de Angola, das caçadas de escravos em Moçambique? Não foram a vossa cobiça e a vossa vaidade ridícula, europeus, que regaram com tanto sangue de crianças inocentes os diamantes da Serra Leoa?

Slide 19: 

E agora dão-se ao luxode repelir estas barcaças de desesperados, de fechar-se e de deportar os fugitivos que chegam às suas costas marítimas, porque dão mau aspecto às suas glamourosas praias mediterrâneas !

Slide 21: 

Se a Europa fosse coerente com as suas próprias políticas de direitos humanos teriam que acolher com os braços abertos todos os africanos e pedir-lhes perdão por todas as ofensas, oferecendo-lhes repartir aquilo que levaram das suas terras.

Slide 23: 

E o mais curioso é que estes embandeirados pela angústia não pedem o que lhes pertenceria por direito. Apenas pedem as migalhas de una esmola, vender bujigangas nas praças, entregar jornais ou lavar automóveis... e mesmo assim não os querem…

Slide 25: 

É um espetáculo demasiado doloroso, demasiado triste que no centro da vossa grande civilização se mostrem os rostos obscuros das vítimas que a tornaram possível. A vossa cegueira é admirável, a vossa hipocrísia é criminosa, a vossa baixeza é formidável. Meditem longamente sobre o que estão fazendo, europeus. Vocês, que fizeram história, seriam demasiado estúpidos se esquecessem o que aprenderam.

Slide 27: 

Todo o poder de Roma não impediu a sua queda às mãos dos bárbaros famintos da Germânia e do Tártaro.

Slide 29: 

Toda a majestade da Britânia se curvou sem atenuantes perante as massas hindús lideradas por um homenzinho de aparência insignificante, mas com um grande coração.

Slide 31: 

Despertem de vosso sonho torpe e de vossa fantasía narcótica.

Slide 34: 

O mundoruge desesperado à vossa volta.

Slide 36: 

Quanto tempo mais pensam que poderão fingir não ouvir?

Slide 39: 

A Europa deseja permanecer fechada enquanto uma África saqueada se dessangra... como a América Latina... como o Oriente de segunda categoria... Não se pode aceitar que tanta beleza nas artes tenha surgido de corações tão duros... Certamente a Europa abrirá seu coração, suas portas... Certamente algum dia aprenderá a tratar todos os seres humanos como iguais porque, se não fôr assim, estará aceitando como feitos normais os muitos genocídios ocorridos ao longo da história...

Slide 76: 

- Observação - Não foi encontrada indicação do autor deste texto. Estava escrito no português que provavelmente é falado em alguma ex-colônia portuguesa e que é um pouco diferente tanto da língua falada em Portugal como daquela do Brasil. Foi adaptado ao português brasileiro.

Slide 77: 

FIM 12 DE FEVEREIRO DE 2009

authorStream Live Help