As chaves do desempenho dos caes de trabalho

Views:
 
     
 

Presentation Description

www.dominiquegrandjean.com

Comments

Presentation Transcript

Slide 1: 

Dominique GRANDJEAN Professor da Escola Nacional Veterinária de Alfort Coronel da Brigada de Bombeiros de Paris As chaves do desempenho dos cães de esporte e trabalho

Slide 2: 

Otimização do desempenho Prevenção/Tratamento dos problemas específicos Nutrição Traumatologia Doenças ligadas ao estresse Diminuição do desempenho Rehabilitação rápida Genética Comportamento Treinamento As chaves do desempenho

Slide 3: 

ACOMPANHAMENTO BIOLÓGICO E MÉDICO SELEÇÃO GENÉTICA PROGRAMAS DE TREINAMENTO PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO RESPEITO DA MOTIVAÇÃO DESEMPENHO

Objectivos duma boa preparação : 

Objectivos duma boa preparação Desempenho esportivo Desempenho no trabalho Prevenção dos acidentes ou problemas Melhor recuperação depois do esforço Melhor educação do dono

Slide 5: 

1 - Condições de vida ; plano de profilaxia 2 - Seleção genética 3 - Educação/treinamento específico 4 - Plano de treinamento físico 5 - Programa nutricional específico 6 – Acompanhamento biológico dos cães 7 – Prevenção das doenças específicas Como preparar um cão de esporte e de utilidade

Slide 6: 

A obtenção de um desempenho esportivo ou de trabalho ótimo começa no canil

Slide 7: 

Maior parte dos cães de esporte ou de utilidade vive em canil em condições de criação intensiva 1/ Concepção e gestão do canil Condições sanitárias globais Canil de quarentena Canil de reprodução Impacto do canil no comportamento

Slide 8: 

Maior parte dos cães de esporte ou de utilidade vive em canil em condições de criação intensiva

Slide 9: 

2/ Alto nível de parasitismo Programas profiláticos intensivos Ambientes contaminados Educação dos criadores/educadores Maior parte dos cães de esporte ou de utilidade vive em canil em condições de criação intensiva

Slide 10: 

Resposta imunitária reduzida Vida em coletividade 3/ Aumento do risco infeccioso Intensificação / extensão do programa profilático - Leptospirose cada 6 meses - Piroplasmose - Herpesvirose - Coronavirose Maior parte dos cães de esporte ou de utilidade vive em canil em condições de criação intensiva

Slide 11: 

Concepção dos caminhões de transporte 4/ Grande número de viagens dentro e fora das fronteiras Maior parte dos cães de esporte ou de utilidade vive em canil em condições de criação intensiva

Slide 12: 

Problemas relativos ao transporte aéreo dos cães 4/ Grande número de viagens no estrangeiro Maior parte dos cães de esporte ou de utilidade vive em canil em condições de criação intensiva

Slide 13: 

. Doenças infecciosas locais . Doenças parasitárias locais . Documentos oficiais . Regresso ao canil Regulamentações sanitárias nacionais 4/ Grande número de viagens no estrangeiro Maior parte dos cães de esporte ou de utilidade vive em canil em condições de criação intensiva

Slide 14: 

1 - Condições de vida; plano de profilaxia 2 - Seleção genética 3 - Educação/treinamento específico 4 - Plano de treinamento físico 5 - Programa nutricional específico 6 – Acompanhamento biológico dos cães 7 – Prevenção das doenças específicas Como preparar um cão de esporte e de utilidade

Slide 15: 

Atualmente baseada na experiência dos criadores Critérios de motivação: comportamento Critérios de resultados: cronômetro, juiz, descoberta Critérios físicos: velocidade, resistência ao esforço e ao cansaço Subjetividade +++ Variabilidade +++ Fiabilidade - - - Noções de seleção genétíca

Slide 16: 

Característica Procura Descoberta pássaro Marcação pássaro Latido Captura pássaro Acompanhamento pássaro Impressão global Resultado global Repetibilidade 0.31 0.14 0.16 0.28 0.23 0.22 0.15 0.19 Hereditabilidade 0.07  0.03 0.11  0.03 0.04  0.02 0.02  0.02 0.18  0.04 0.10  0.03 0.09  0.03 0.11  0.03 [Vangen, 1989] Repetibilidade e hereditabilidade das principais características de trabalho no Spitz Finlandês

Slide 17: 

Característica Acompanhamento com guia Acompanhamento sem guia Defesa do condutor Ausência do condutor Recusa de isca Ataque Impressão global Resultado global Hereditabilidade 0.03 0.09 0.00 0.28 0.00 0.54 0.06 0.17 [Degauchy, 1992] Hereditabilidade das diferentes qualidades de trabalho no Pastor Belga Malinois

Slide 18: 

[Courreau, 1994] Yi =  + ai + mi + ei Yi = desempenho para um cão « i »  = média do desempenhos padronizado para indivíduos pertencendo ao grupo de cães « i » Ai = valor genético do cão « i » mi = total dos efeitos (quantificados) ambientais identificados influindo no desempenho Yi ei = total dos efeitos ambientais não identificados influindo no desempenho Yi (outras raças, posição, comida,…) Avaliação genética por índice de desempenho

Slide 19: 

Estudos de hereditabilidade Seleção genética

Slide 20: 

1 - Condições de vida; plano de profilaxia 2 - Seleção genética 3 - Educação/ treinamento específico 4 - Plano de treinamento físico 5 - Programa nutricional específico 6 - Acompanhamento biológico dos cães 7 – Prevenção das doenças específicas Como preparar um cão de esporte e de utilidade

Slide 21: 

Respeito do alto nível de motivação 1 - Manter o cão feliz 2 – Evitar um treinamento excessivo 3 - Diagnóstico precoce dos problemas 4 – Acompanhamento das consequências do estresse

Slide 22: 

Estresse ambiental População excessiva Higiene inapropriada Parasitas intestinais Doenças infecciosas Nutrição inapropriada Vacinação insuficiente Quarentena insuficiente Gestão inapropriada Feridas durante corridas Temperatura Humididade Feridas iatrogênicas Estresse emocional Combate Excitação antes da corrida Transporte Competição para comida Necessidade de exercícios Competições sexuais Excesso de trabalho Causas de estresse no Cão de trabalho

Slide 23: 

Treinamento excessivo Síndrome Basedowoïde [Simpaticotonia] Fatigabilidade fácil Hiperexcitação Distúrbios do sono Anorexia Perda de peso Taquicardia Leve hipertermia Recuperação demorada Hyperpnéia de esforço Tremores Síndrome Addisonoïde [Parasimpaticotonia] Fatigabilidade fácil Inibição Sono normal Apetite normal Peso constante Bradicardia Temperatura normal Recuperação normal Respiração normal Incoordenação motora

Slide 24: 

1 - Condições de vida; plano de profilaxia 2 - Seleção genética 3 - Educação/ treinamento específico 4 - Plano de treinamento físico 5 - Programa nutricional específico 6 - Acompanhamento biológico dos cães 7 – Prevenção das doenças específicas Como preparar um cão de esporte e de utilidade

Slide 25: 

Fisiologia do esforço  Esforço aero e/ou anaeróbio • Anaeróbio Alático • Anaeróbio Lático • Aeróbio Nutrição Treinamento Grandjean 1991 % do trabalho

Slide 26: 

 Muito alto VO2máx Nutrição Treinamento Comparação do VO2máx Desempenho Muito fraco Fraco Médio Bom Muito bom Cavalo 70 90 110 130 160 Homem 45 55 65 75 85 Cão 80 100 130 180 220 VO2máx [mlO2/min/kg] Fisiologia do esforço

Slide 27: 

 Muito alto nível de estresse oxidativo Mantimento Nutrição Treinamento Estresse ambiental Estatuto inflamatório crônico Forte consumo O2 Dieta hiper gorda Fisiologia do esforço

Slide 28: 

 Desidratação extracelular fácil Comportamento Nutrição Repartição das porcentagens da diminuição ponderal em Lebréus de corrida, Estudo de 2552 raças (Blythe) Fisiologia do esforço

Slide 29: 

 Adaptação cardiovascular ao esforço Genética Treinamento Nutrição Teste em tapete rolante com um pointer alemã de pelos curtos de 2 anos de idade Fisiologia do esforço

Slide 30: 

Programa nutricional Metabolismo da energia Princípios de base • progressão • continuidade TREINAR / MANTER / DESTREINAR Respeito Motivação Concepção dos planos de treinamento Acompanhamento biológico Programa de treinamento eficiente

Slide 31: 

Capacidade de desempenho esportivo Respeito do princípio de sobrecarga Procura de uma melhoriarítmica (anual) do desempenho Consideração da fonte de energia principal conforme o esforçopedido Respeito dos obstáculos psicológicose comportamentais (particularismos, aspecto lúdico) Fatores da condição física e da coordenação neuromuscular (resistência, potência, velocidade, mobilidade)

Slide 32: 

Respeito de uma forte motivação Trabalho Recreio Estresse cumulativo Comportamento do condutor Canil Diagnóstico precoce Viagens

Treinamento físico do cão de trabalho : 

Por quê ?  Resistência [Tempo de trabalho]  Resistência [Intensidade do trabalho]  Propriocepção [Movimentos fáceis]  Aclimatação [Prevenção do estresse]  Explosividade [Saltos] Treinamento físico do cão de trabalho

Treinamento físico do cão de trabalho : 

Como? 1- Resistência ao tempo de trabalho • Aumento do VO2 máximo • Esforço lento e regular, progressivo, intensidade fraca a média • 3 corridas por semana de 3, 5, 7 km com uma velocidade de 12-14 km/h • Cuidado com o treino excessivo Treinamento físico do cão de trabalho

Treinamento físico do cão de trabalho : 

Como? 2- Resistência • Nado (piscina, lago), uma vez por semana durante 30 min • Intervalo training ➙ idas e voltas com um brinquedo  5 repetições de 10 exercícios tempo de repouso = ½ do tempo da corrida diminuição progressiva do tempo de repouso ➙ corrida sobre tapete rolante  aumentar a velocidade cada 2-3 minutos com um minuto de repouso intercalado • Ascensão e descida de pequenos outeiros Treinamento físico do cão de trabalho

Treinamento físico do cão de trabalho : 

Como? 3- Propriocepção • Corridas em descidas • Passagem de obstáculos específicos Treinamento físico do cão de trabalho

Treinamento físico do cão de trabalho : 

Como? 4- Aclimatação a … • Barulhos • Membros do pessoal • Fumaças, fogo • Obscuridão • Buracos • … Treinamento físico do cão de trabalho

Treinamento físico do cão de trabalho : 

Como? 4- Aclimatação a… … ambientes hostis Treinamento físico do cão de trabalho

Treinamento físico do cão de trabalho : 

Como? 4- Aclimatação a … …barulhos Treinamento físico do cão de trabalho

Treinamento físico do cão de trabalho : 

… membros do pessoal Como? 4- Aclimatação a … Treinamento físico do cão de trabalho

Treinamento físico do cão de trabalho : 

Terrenos, horários, clima PAÍS: ARGENTINA CIDADE: BUENOS-AIRES TEMPO DE VÔO: 14 horas INÍCIO DA PROCURA: 3 horas depois da chegada TEMPERATURA: 45°C Como? 4- Aclimatação a … Treinamento físico do cão de trabalho

Treinamento físico do cão de trabalho : 

Como? 5- Explosividade • Musculação  tração de pesos (pull)  capa com lastro • Saltos  distância  altura Treinamento físico do cão de trabalho

Slide 43: 

Planos de formação específicos

Slide 44: 

1 - Condições de vida; plano de profilaxia 2 - Seleção genética 3 - Educação/ treinamento específico 4 - Plano de treinamento físico 5 - Programa nutricional específico 6 - Acompanhamento biológico dos cães 7 – Prevenção das doenças específicas Como preparar um cão de esporte e de utilidade

Slide 45: 

Programa nutricional específico A alimentação apropriada ao cão de esporte e de corridaprecisa respeitar alguns critérios • Fornecer a melhor qualidade energética em quantidade adequada • Reduzir na medida do possível o peso e o volume do bollus intestinal • Manter um estado de hidratação conveniente para o animal • Procurar otimizar o resultado do treinamento • Compensar as insuficiências fisiológicas induzidas pelo estresse

Slide 47: 

1 - Condições de vida; plano de profilaxia 2 - Seleção genética 3 - Educação/ treinamento específico 4 - Plano de treinamento físico 5 - Programa nutricional específico 6 - Acompanhamento biológico dos cães 7 – Prevenção das doenças específicas Como preparar um cão de esporte e de utilidade

Slide 48: 

Acompanhamento biológico do cão de trabalho O cão é apto para concorrer? O treinamento é eficiente? O desempenho pode ser previsível ?

Slide 49: 

1 - Condições de vida; plano de profilaxia 2 - Seleção genética 3 - Educação/ treinamento específico 4 - Plano de treinamento físico 5 - Programa nutricional específico 6 - Acompanhamento biológico dos cães 7 – Prevenção das doenças específicas Como preparar um cão de esporte e de utilidade

Slide 50: 

Genética Treinamento Comportamentos humanos Nutrição A prevenção dos problemas patológicos no cão de trabalho pode ser obtida mediante...

Slide 51: 

A seleção genética tem de ser considerada como um instrumento de prevenção A displasia do quadril é um problema inerente à raça e não um problema ligado ao trabalho do cão - Lassidão do carpo Hematócrito Qualidade dos pés Estatuto antioxidante … São parâmetros de trabalho que podem ser utilizados em seleção genética - Futuro : genômica?

Slide 52: 

O comportamento do homem tem de ser considerado Preguiçoso Mau estado geral Hiperativo Treinamento excessivo Estressado Estresse oxidativo Inadequado Inadequado

Slide 53: 

Os equipamentos podem originar problemas  Ombros e costas  Pés

Slide 54: 

 Doenças ligadas ao estresse oxidante A nutrição: fundamental para a prevenção  Síndrome Estresse Diarréia Desidratação  Doenças articulares

authorStream Live Help