Economia europeia no Antigo Regime

Views:
 
Category: Education
     
 

Presentation Description

No description available.

Comments

Presentation Transcript

Slide 1:

A economia Europeia no Antigo Regime

Slide 2:

A mercantilização da vida económica A Expansão portuguesa e espanhola … …e, mais tarde, o desenvolvimento do comércio colonial dos países da Europa do Norte… …trouxeram um aumento do tráfico comercial nos finais do século XVI até ao século XVIII.

Slide 3:

Contudo… …a agricultura continuava a ser a actividade económica que ocupava a maior parte da população no Antigo Regime .

Slide 4:

O comércio colonial precisava de produtos, como: Tecidos Ferramentas Calçado e outros para trocar pelas riquezas ultramarinas A necessidade de produzir estes bens levou ao desenvolvimento das manufacturas .

Slide 5:

As cidades enriqueceram graças ao desenvolvimento:  do comércio  e da indústria manufactureira…

Slide 6:

…pois os agricultores começaram a produzir matérias-primas para a indústria , como: LINHO PLANTAS TINTUREIRAS GADO LANÍGERO Os campos também conheceram um desenvolvimento…

Slide 7:

Tudo isto conduziu a uma mercantilização do mundo rural , que foi mais notória em países como a França , a Holanda e a Inglaterra . Foi neste contexto que se desenvolveu, entre os século XVI e XVIII , um novo sistema económico… A mundialização da economia conduziu à concorrência entre os países europeus. O Mercantilis mo

Slide 8:

Doutrina económica criada por Jean-Baptiste Colbert , ministro do rei francês Luís XIV. O Mercantilis mo 1619-1683 LUÍS XIV

Slide 9:

O MERCANTILISMO Os Estados europeus dos séculos XVII e XVIII utilizaram o Mercantilismo como forma de contribuir para o seu engrandecimento. AS CARACTERÍSTICAS DO MERCANTILISMO  Nos séculos XVII e XVIII, muitos Estados europeus adoptaram o Mercantilismo … …uma teoria e uma prática económicas - como forma de aumentar a sua riqueza. Baseava-se nos seguintes princípios:  a riqueza de um país dependia da quantidade de metais preciosos (ouro e prata) que possuía ;  os metais preciosos obtinham-se através do aumento das exportações e da diminuição das importações , a fim de se obter uma balança comercial favorável.

Slide 10:

Balança Comercial

Slide 11:

Para conseguir uma balança comercial favorável , os mercantilistas defendiam…  o aumento das exportações e a diminuição das importações … ..tentando, assim, evitar a saída de metais preciosos do país .

Slide 12:

Para tal, as principais estratégias do mercantilismo foram:  a implementação de uma política de proteccionismo , aumentando os impostos (taxas alfandegárias) sobre as importações e diminuindo-os nas exportações.  o desenvolvimento da indústria manufactureira , para evitar a compra de produtos ao estrangeiro;  o desenvolvimento do comércio internacional ; O mercantilismo implicava o controlo e a intervenção do Estado na economia para defender a produção nacional.

Slide 13:

O MERCANTILISMO

Slide 14:

O Antigo Regime Português na primeira metade do século XVIII

Slide 15:

Como se caracterizava a economia portuguesa no século XVII? A principal actividade económica de Portugal, no século XVII, era a agricultura . Contudo…  a maior parte das terras pertencia  utilizava técnicas e instrumentos agrícolas arcaicos ; ao rei ao clero à nobreza  e não eram convenientemente exploradas . …esta apresentava baixos níveis de produtividade porque:

Slide 16:

Nas cidades vivia-se um período de maior prosperidade . O desenvolvimento do comércio colonial esteve na base do dinamismo urbano.

Slide 17:

O tráfico de escravos e a economia açucareira …fizeram crescer o comércio triangular português (comércio entre a Europa, a África e a América) do século XVII.

Slide 18:

Na segunda metade do século XVII , a economia portuguesa atravessou uma crise cujos principais motivos foram:  as guerras da Restauração com Espanha (entre 1640 e 1668), que, por implicarem muitos custos, levaram ao aumento dos impostos e ao recurso a empréstimos ;  a quebra no comércio do açúcar e tabaco do Brasil, provocada pela concorrência dos mercadores ingleses e holandeses;  a diminuição das exportações de vinho e de sal produzidos em Portugal. Açúcar Tabaco

Slide 19:

Que medidas foram tomadas para resolver a crise económica?  A diminuição das exportações …  …e a situação de crise económica … levaram muitos políticos a defenderem: a aplicação de medidas mercantilistas .

Slide 20:

Ministro da Fazenda do rei D. Pedro II… Foi o que fez o conde da Ericeira influenciado pelas ideias do colbertismo e pela obra de Duarte Ribeiro de Macedo. 1673-1743

Slide 21:

Foram aplicadas medidas proteccionistas, tais como:  a criação de novas manufacturas , sobretudo no sector têxtil , e o reforço do apoio às que já existiam ;  a publicação das Pragmáticas , leis que proibiam a importação e o uso de alguns produtos de luxo estrangeiros;  a atribuição de empréstimos e privilégios a investidores estrangeiros que instalassem as suas fábricas em Portugal.

Slide 22:

A aplicação das Pragmáticas  Leis que proibiam a importação de determinados produtos estrangeiros considerados de luxo como forma de proteger a indústria nacional da concorrência estrangeira.

Slide 23:

Dom Pedro, por Graças de Deus, Príncipe de Portugal e dos Algarves [...]. 1. Primeiramente ordeno e mando que nenhuma pessoa de qualquer condição, grau, qualidade, título, dignidade, preeminência, por maior que seja, assim homens como mulheres, [...] possa usar nos adornos de suas pessoas, filhos, casa, serviço e uso, que de novo fizer, de seda, rendas, fitas, bordados ou guarnições que tenham ouro, prata fina ou falsa [...]. 4. Nenhuma pessoa se poderá vestir de pano, que não seja fabricado neste reino. Lisboa, 25 de Janeiro de 1677

Slide 24:

A falência das medidas mercantilistas A política de desenvolvimento das manufacturas empreendidas pelo conde da Ericeira … …não deu os resultados esperados. Esta política teve fortes opositores . Os comerciantes ingleses que, como reacção às Pragmáticas, passaram a importar menos vinho de Portugal. Assim, os viticultores portugueses , muitos deles membros da alta nobreza, também estavam contra estas medidas. …o Governo português assinou o Tratado de Methuen , em 1703. Face a esta contestação…

Slide 25:

Tratado de Methuen

Slide 26:

Assim, segundo este tratado…  reduziam as taxas alfandegárias sobre os vinhos portugueses , tornando-os mais baratos no mercado britânico.  os lanifícios Ingleses podiam entrar em Portugal sem quaisquer restrições e os Ingleses… …em contrapartida…

Slide 27:

…estimulou a produção de vinho , sobretudo do vinho do Porto… Este tratado… …mas, por outro lado, …levou ao abandono da política manufactureira que se havia iniciado em Portugal.

Slide 28:

Tabaco Para além deste tratado, outras razões contribuíram também para a falência das medidas mercantilistas em Portugal.  o ressurgimento do comércio colonial , sobretudo de produtos brasileiros como o açúcar e o tabaco ; Açúcar  a descoberta de minas de ouro no Brasil e a chegada a Portugal de grandes remessas deste metal.

Slide 29:

Arca para transporte de ouro (século XVIII) A abundância de ouro que chegava a Portugal vindo do Brasil enriqueceu:  a Coroa  a nobreza  e a burguesia .

Slide 30:

…via na emigração para o Brasil uma hipótese de melhorar de vida.  O povo Os entraves à importação deixaram de ser respeitados. Os mais ricos preferiam pagar multas a privarem-se de usar produtos importados.

Slide 31:

O ouro brasileiro  contribuíram também para o abandono da política proteccionista . e os diamantes (descobertos mais tarde) Permitiram à Coroa:  pagar as importações e os luxos da corte,  sustentarem a magnificência da corte e as grandes obras de arte realizadas neste período. Contudo…

Slide 32:

Decoração em talha dourada de um dos coches enviados na embaixada do rei português D. João V ao Papa Clemente XI, em 1716. Parte do ouro vindo do Brasil foi aplicado na construção e decoração de muitos edifícios, encomendados sobretudo pelo rei, pela nobreza e pelo clero. Quanto maior for a massa de ouro na Europa, tanto mais Portugal será pobre, tanto mais será uma província da Inglaterra, sem que por isso ninguém seja mais rico. Montesquieu , Enciclopédia, século XVIII Só uma mínima parte [do ouro] ficou no Reino; tudo o mais passou para os estrangeiros, porque deles nos vem tudo o que necessitamos. Cardeal da Mota (1685-1747)

authorStream Live Help