ESLAIDEs_INTERPRETA% C3%87%C3%83O_MPU_201 0_aluno

Views:
 
Category: Entertainment
     
 

Presentation Description

No description available.

Comments

Presentation Transcript

Slide 1: 

1 INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS PROFA. MARIA TEREZA MPU/2010

Slide 2: 

2 EDITAL MPU 2010 16.2.1.1 CONHECIMENTOS BÁSICOS PARA TODOS OS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E MÉDIO: LÍNGUA PORTUGUESA: 1 Compreensão e interpretação de textos. 2 Tipologia textual. 3 Ortografia oficial. 4 Acentuação gráfica. 5 Emprego das classes de palavras. 6 Emprego do sinal indicativo de crase. 7 Sintaxe da oração e do período. 8 Pontuação. 9 Concordância nominal e verbal. 10 Regência nominal e verbal. 11 Significação das palavras.

Slide 3: 

3 ROTEIRO DE LEITURA Analisar fonte e título. *contexto 2) Leitura corrente. *1ª estrutura da memória profunda – esquema mental que possibilita estabelecer as relações tema/rema. 3) Leitura “inspeção” [dicionário; sublinhar palavras-chave, progressão temática, gênero, aspectos gramaticais]. 4) Leitura corrente.

Slide 4: 

4 Confirmação coerente dos argumentos apresentados. Ampliação do tema proposto. ESTRUTURA PADRÃO TEXTO DISSERTATIVO Indica o assunto. Contextualização. TÍTULO INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO CONCLUSÃO

Slide 5: 

5 O QUE É INTERPRETAR UM TEXTO? Interpretar é compreender, ou seja, utilizando nossa capacidade de entendimento damos sentido ao que lemos. Construir sentido é conseguir perceber qual é a questão tratada no texto (ideia principal) e como referida questão é desenvolvida (ideias secundárias). Para isso, ativamos diversos mecanismos intelectuais, pois a leitura é uma atividade densa e complexa. É preciso concentração e treino constantes. [Apostila p. 7]

Slide 6: 

6 1ª-A maioria das declarações do imposto de renda é realizada pela Internet. 2ª-A Internet é um importante instrumento de comunicação. 3ª-As informações são processadas rapidamente pela Internet. 4ª-A Internet é muito eficiente. - Não é um amontoado de frases. [Apostila p. 11] A maioria das declarações do imposto de renda é realizada pela Internet, o que garante maior eficiência e rapidez no processamento das informações.

Slide 7: 

7 Amor Humor [Oswald de Andrade] - Não se define por sua extensão. POEMA Texto geralmente em versos e estrofes com características poéticas [sonoridade, ritmo,linguagem conotativa] [Apostila p. 11]

Slide 8: 

8 Exemplos: a) No Brasil, já existe, desde 1995, um projeto que visa disciplinar a união civil entre pessoas do mesmo sexo. Trata-se do Projeto de Lei nº 1.115, de autoria da deputada federal Marta Suplicy (PT/SP). O referido projeto possui 18 artigos que objetivam, sobretudo, proteger os direitos à propriedade e à sucessão das pessoas do mesmo sexo que tiverem reconhecida a sua união civil. b) A Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) considerou hoje que, apesar da crise, evitou-se uma "escalada protecionista" entre os parceiros comerciais do bloco europeu, inclusive com o lançamento de 223 novas restrições e iniciativas que distorcem o mercado entre outubro de 2008 e o mesmo mês deste ano. [Apostila p. 11] - O sentido de cada uma das partes é dado pelo todo (contexto).

Slide 9: 

9 Texto é “qualquer produção lingüística, falada ou escrita, de qualquer tamanho, que possa fazer sentido numa situação de comunicação humana, isto é, numa situação de interlocução” [Costa Val, 2004], por isso os falantes têm de recorrer a várias estratégias de ordem cognitiva, semântica e gramatical, adequando-as às práticas socioculturais durante a comunicação verbal. [Apostila p. 12]

Slide 10: 

10 Pressupostos são ideias não construídas de modo explícito. O sentido decorre da lógica apresentada por algumas palavras e/ou expressões contidas no texto (a informação depreendida é indiscutível). Subentendidos Subentendidos: são insinuações não marcadas linguisticamente (o autor dá a entender, não garante explicitamente, as informações são discutíveis). O subentendido é de responsabilidade do leitor, por isso é preciso atenção às possibilidades contextualizadas. INFORMAÇÕES IMPLÍCITAS Leituras garantidas Leituras possíveis

Slide 11: 

11 Funções da linguagem EMOTIVA CONATIVA REFERENCIAL METALINGUÍSTICA FÁTICA POÉTICA [AUTOR] [LEITOR] [INFORMAÇÃO] [CÓDIGO / CÓDIGO] [CANAL DE COMUNICAÇÃO] [RECURSOS LITERÁRIOS] [Apostila p.14]

Slide 12: 

12 FATORES DA TEXTUALIDADE SITUACIONALIDADE INTENCIONALIDADADE E ACEITABILIDADE -INFORMATIVIDADE -INTERTEXTUALIDADE -COESÃO -COERÊNCIA [PERTINÊNCIA/RELEVÂNCIA] [COOPERAÇÃO] [NOVIDADE/PREVISÃO] [DIÁLOGO] [ARTICULAÇÃO] [LÓGICA] [Apostila p. 22]

Slide 13: 

13 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse Amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse Amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tivesse Amor, nada disso me aproveitaria. O Amor é paciente, é benigno; o Amor não é invejoso, não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça, mas folga com a verdade.

Slide 14: 

14 Tudo tolera, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O Amor nunca falha. Havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos; mas quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; mas o maior destes é o Amor. 1ª Epístola de São Paulo aos Coríntios

Slide 15: 

15 Amor é um fogo que arde sem se ver,É ferida que dói e não se sente;É um contentamento descontente;É dor que desatina sem doer.É um não querer mais que bem querer;É um andar solitário entre a gente;É nunca contentar-se de contente;É um cuidar que ganha em se perder É querer estar preso por vontade;É servir a quem vence, o vencedor;É ter com quem nos mata lealdade.Mas como causar pode seu favorNos corações humanos amizade,e tão contrário a si é o mesmo Amor? Luis Vaz de Camões

Slide 16: 

16 Coesão Coerência Elementos essenciais à compreensão textual Articulação Organização lógica Um texto não é uma unidade construída por uma soma de sentenças, mas pelo encadeamento semântico delas, criando, assim, uma trama semântica a que damos o nome de textualidade. [Apostila p.16]

Slide 17: 

17 COESÃO REFERENCIAL SEQUENCIAL ANAFÓRICA CATAFÓRICA CONEXÃO JUSTAPOSIÇÃO Os presidenciáveis participaram de debates que se tornaram calorosos no segundo turno das eleições. Elemento coesivo anafórico

Slide 18: 

18 COESÃO REFERENCIAL SEQUENCIAL ANAFÓRICA CATAFÓRICA CONEXÃO JUSTAPOSIÇÃO É preciso entender isto: somente passarei em um concurso se estudar bastante! Elemento coesivo catafórico

Slide 19: 

19 COESÃO REFERENCIAL SEQUENCIAL ANAFÓRICA CATAFÓRICA CONEXÃO JUSTAPOSIÇÃO Está quente. Vou tomar banho. *Subentendido Mande-me um e-mail, quando chegar. *Pressuposto

Slide 20: 

20 Coordenada Assindética Sem elo coesivo Sindética Aditiva Adversativa Alternativa Conclusiva Explicativa soma, acréscimo oposição, contradição, contraste exclusão, alternância dedução, ilação, inferência esclarecimento, justificativa Elemento coesivo conjunção e, nem, não só... mas também, tanto... como mas, contudo, porém, todavia, entretanto, no entanto, senão ou, ou...ou, ora...ora, seja...seja, já...já, quer...quer logo, portanto, pois(d.verbo), por isso, assim porque, que, pois (a.verbo), porquanto

Slide 21: 

21 Subordinada Adverbial Causal Condicional Consecutiva Concessiva Comparativa Conformativa Final Proporcional Temporal origem/princípio // a causa precede ao fato. dependência consequência, fato seguinte oposição, fato contrário confronto, cotejo regra, caminho, orientação intenção, propósito Simultaneidade de fatos momento, época, instante porque, já que, visto que, uma vez que, porquanto se, caso, contanto que, desde que, salvo se, que, de sorte que, de modo que, embora, se bem que, ainda que,conquanto que, mesmo que, por mais que, que, do que, como segundo, consoante, conforme que, a fim de que, para que à medida que, à proporção que, ao passo que quando, enquanto, logo que, assim que, mal

authorStream Live Help