HOMILÉTICA 1ª parte

Views:
 
Category: Education
     
 

Presentation Description

No description available.

Comments

Presentation Transcript

Slide 1: 

MINISTÉRIO PAZ PERFEITA ESCOLA PARA OBREIROS 11 JUN 09

HOMILÉTICA : 

HOMILÉTICA INTRODUÇÃO

CONCEITO: é a ciência que têm por fim a construção, a preparação e a transmissão do discurso cristão e tudo o que diz respeito à pregação do evangelho.1. HOMILÉTICA – do grego Homilia, significa uma palestra ou um discurso familiar.2. PREGAÇÃO – é o discurso feito publicamente. Pode ser filosófico, Político, Religioso, etc. : 

CONCEITO: é a ciência que têm por fim a construção, a preparação e a transmissão do discurso cristão e tudo o que diz respeito à pregação do evangelho.1. HOMILÉTICA – do grego Homilia, significa uma palestra ou um discurso familiar.2. PREGAÇÃO – é o discurso feito publicamente. Pode ser filosófico, Político, Religioso, etc.

Slide 4: 

2.1) DEFINIÇÃO TÉCNICA DO SERMÃO: É um discurso falado, tecnicamente elaborado, dirigido à mente, objetivando persuadir os seus ouvintes.2.2) DEFINIÇÃO BÍBLICA DO SERMÃO: É a "demonstração do Espírito e de poder..." (I Co.2:4).3. PREGADOR – aquele que expõe suas idéias em forma de discurso coletivo ou individual.

4.       REQUISITOS DO PREGADOR EVANGÉLICOa. ser um autêntico cristão;b. ter uma vida consagrada;c. ter uma vida de oração;d.   Conhecer bem a bíblia sagrada (doutrinas, história, geografia, arqueologia,etc;e.  Conhecer as principais seitas existentes;f.  ter convicção do que prega; : 

4.       REQUISITOS DO PREGADOR EVANGÉLICOa. ser um autêntico cristão;b. ter uma vida consagrada;c. ter uma vida de oração;d.   Conhecer bem a bíblia sagrada (doutrinas, história, geografia, arqueologia,etc;e.  Conhecer as principais seitas existentes;f.  ter convicção do que prega;

Slide 6: 

g.pregar e viver; h.  Procurar ter conhecimento secular nas áreas de Língua Portuguesa, de História Geral, de Psicologia, da Ciência, da Cultura Humana..;i.manter-se atualizado através de periódicos (jornais e revistas), internet, mídia em geral (rádio e TV), saber usar os recursos disponíveis, tais como dicionários, concordâncias, livros, etc.

5.  CUIDADOS DO PREGADORa.  não imitar;b. ser verídico (não esticar, nem aumentar os fatos);c.  ter seriedade;d.  não usar a tribuna (púlpito) para atacar alguém , para se defender ou desabafar. : 

5.  CUIDADOS DO PREGADORa.  não imitar;b. ser verídico (não esticar, nem aumentar os fatos);c.  ter seriedade;d.  não usar a tribuna (púlpito) para atacar alguém , para se defender ou desabafar.

Slide 8: 

A FONTE DA MENSAGEM – A Bíblia SagradaObs: Outras fontes servem, apenas, como subsídio à mensagem. Importante: - O Espírito Santo é o inspirador e motivador da mensagem bíblica, mas Ele só usará o que você têm. (Jo15.26).

Slide 9: 

7. O PLANEJAMENTO DO SERMÃO a.conheça a mensagem, antes de falar sobre ela; b.estude a mensagem que será pregada; c.conheça a mensagem de cada livro e a Bíblia como um todo; d.quando tiver uma inspiração, escreva-a, pois os sermões não são fabricados, tenha sempre a mão caneta e papel....

8. REGRAS PARAO SUCESSO NA PREGAÇÃOa. cultive e pratique os ensinamentos que estás recebendo hoje;b. centralize o assunto, não fuja do tema;c. use ilustrações relativas ao assunto;evite sermões longos, cansativos e sem conteúdo, SEJA OBJETIVO. 9. ANTES DA MENSAGEM É PRECISOa. orar;b.  esteja certo de que sabe onde vai chegar ao final da preleção, evite divagações (NÃO ENROLE O PÚBLICO). : 

8. REGRAS PARAO SUCESSO NA PREGAÇÃOa. cultive e pratique os ensinamentos que estás recebendo hoje;b. centralize o assunto, não fuja do tema;c. use ilustrações relativas ao assunto;evite sermões longos, cansativos e sem conteúdo, SEJA OBJETIVO. 9. ANTES DA MENSAGEM É PRECISOa. orar;b.  esteja certo de que sabe onde vai chegar ao final da preleção, evite divagações (NÃO ENROLE O PÚBLICO).

Slide 11: 

10. DURANTE O SERMÃO É PRECISOa. ser modesto (esvazie-se da soberba e da supervalorização);b. observe a estética, cuide da sua apresentação individual (posição de sentar, gravata, camisa e calça passados e vincados, combine a roupa para que não sejas motivo de chacota, use sapatos engraxados, caso sue muito, use um lenço, cuide da higiene e asseio pessoal, cabelos cortados e barbeado, unhas limpas, tenha um hálito sadio;

- Caso seja pregadora, deverá usar roupas sóbrias (que não chamem atenção), evite roupas transparentes e/ou muito ajustadas, do tipo que denotam sensualidade. Busque a simplicidade, vista-se de acordo com o ambiente para o qual foi convidada. : 

- Caso seja pregadora, deverá usar roupas sóbrias (que não chamem atenção), evite roupas transparentes e/ou muito ajustadas, do tipo que denotam sensualidade. Busque a simplicidade, vista-se de acordo com o ambiente para o qual foi convidada.

c.  não mude o assunto da mensagem;- estude a reação do auditório, percebendo desatenção da platéia, empregue uma entonação mais forte, a fim de trazer para si atenção; - empregue gestos, movimente-se no púlpito, lembre-se de que os olhos mecanicamente são estimulados por movimentos. : 

c.  não mude o assunto da mensagem;- estude a reação do auditório, percebendo desatenção da platéia, empregue uma entonação mais forte, a fim de trazer para si atenção; - empregue gestos, movimente-se no púlpito, lembre-se de que os olhos mecanicamente são estimulados por movimentos.

11. EVITE:a. palavras que não conheça bem;b. expressões impróprias (gírias, palavras pesadas ou pornográficas);c. busque a simplicidade, empregue as palavras de acordo com o nível dos ouvintes; : 

11. EVITE:a. palavras que não conheça bem;b. expressões impróprias (gírias, palavras pesadas ou pornográficas);c. busque a simplicidade, empregue as palavras de acordo com o nível dos ouvintes;

Slide 15: 

12. A ESCOLHA DO TEXTOa. o sermão deve estar baseado em um texto;b. deve ser escolhido pela direção divina;c. deve ser adequado e racional;d. deve ser de fácil interpretação;e. caso sejas convidado para alguma festa ou evento que possua um texto (tema), pregue o sermão de acordo com o texto sugerido para o evento.

13. Cuidado na escolha do Temaa. Não escolha de textos esquisitos. Ex. “pega o capeta pelo rabo”b. Textos obscenos.Ex. “Salomão o raparigueiro” : 

13. Cuidado na escolha do Temaa. Não escolha de textos esquisitos. Ex. “pega o capeta pelo rabo”b. Textos obscenos.Ex. “Salomão o raparigueiro”

Slide 17: 

14. A INTERPRETAÇÃO DO TEXTO a.verifique se o texto é literal, simbólico ou figurado (há muitas metáforas e simbolismos na Bíblia); b.estude o sentido da palavra empregada. Ex. Eclesiastes 12.5 “... porque o homem se vai à sua casa eterna,...” (morte física do homem), em Efésios 2. 5 “...estando nós ainda mortos em nossos delitos, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos)...” (morte espiritual do homem);

c. conhecer os povos e/ou nações para quem o texto foi escrito (Há Bíblias que contém resumos sobre a história dos povos citados no Antigo Testamento). : 

c. conhecer os povos e/ou nações para quem o texto foi escrito (Há Bíblias que contém resumos sobre a história dos povos citados no Antigo Testamento).

15. FONTE DE INTERPRETAÇÃO DOS TEXTOSa. compreensão da mensagem explícita no próprio texto;b. o contexto (empregue a exegese);o uso de passagens paralelas, narradas em outros livros da Bíblia; c. comentários e notas de roda-pé das bíblias de estudo, dicionários, enciclopédias, revistas antigas da Escola Bíblica Dominical, matérias de jornais e revistas, etc. : 

15. FONTE DE INTERPRETAÇÃO DOS TEXTOSa. compreensão da mensagem explícita no próprio texto;b. o contexto (empregue a exegese);o uso de passagens paralelas, narradas em outros livros da Bíblia; c. comentários e notas de roda-pé das bíblias de estudo, dicionários, enciclopédias, revistas antigas da Escola Bíblica Dominical, matérias de jornais e revistas, etc.

16. O TEMAa. deve ser bem sugestivo ou impactante;b. deve-se conhecê-lo bem;c. não deve ser absurdo;deve ser de acordo com o tempo (Natal, páscoa, nascimento, funeral, etc). : 

16. O TEMAa. deve ser bem sugestivo ou impactante;b. deve-se conhecê-lo bem;c. não deve ser absurdo;deve ser de acordo com o tempo (Natal, páscoa, nascimento, funeral, etc).

17. CONSTITUIÇÃO DO SERMÃO a.  A Introdução ao Sermão: visa despertar o interesse dos ouvintes ( o pregador prepara o auditório com uma saudação, fazendo uma referência ao Ministério local, a seu pastor e/ou ao evento em destaque – o motivo do culto – fala sobre o tema da festa e/ou evento e começa a preleção do sermão. : 

17. CONSTITUIÇÃO DO SERMÃO a.  A Introdução ao Sermão: visa despertar o interesse dos ouvintes ( o pregador prepara o auditório com uma saudação, fazendo uma referência ao Ministério local, a seu pastor e/ou ao evento em destaque – o motivo do culto – fala sobre o tema da festa e/ou evento e começa a preleção do sermão.

b.  O Corpo do sermão: suas divisões variam – normalmente de 3 a 5 tópicos (princípio, meio e fim)c.  A Conclusão: é o desfecho da mensagem – muitos pregam bem e não sabem terminar – deve-se observar a objetividade e concluir com o emprego da(s) palavra(s) “chave” de cada tópico apresentado, isso revela o poder de síntese do pregador, dando após o prato principal, a sobremesa. : 

b.  O Corpo do sermão: suas divisões variam – normalmente de 3 a 5 tópicos (princípio, meio e fim)c.  A Conclusão: é o desfecho da mensagem – muitos pregam bem e não sabem terminar – deve-se observar a objetividade e concluir com o emprego da(s) palavra(s) “chave” de cada tópico apresentado, isso revela o poder de síntese do pregador, dando após o prato principal, a sobremesa.

SERMÃO TEMÁTICO : 

SERMÃO TEMÁTICO SERMÃO TEXTUAL SERMÃO EXPOSITIVO 18. CLASSIFICAÇÃO BÁSICA DOS SERMÕES

18. CLASSIFICAÇÃO BÁSICA DOS SERMÕESa.  TEMÁTICO: É aquele cujas divisões principais derivam de um tema, independente do texto bíblico.- o sermão temático não requer um texto como base de sua mensagem, entretanto, não significa que a mensagem não seja bíblica, apenas que a fonte principal do sermão não é um texto bíblico, mas o texto bíblico será o seu ponto de partida. : 

18. CLASSIFICAÇÃO BÁSICA DOS SERMÕESa.  TEMÁTICO: É aquele cujas divisões principais derivam de um tema, independente do texto bíblico.- o sermão temático não requer um texto como base de sua mensagem, entretanto, não significa que a mensagem não seja bíblica, apenas que a fonte principal do sermão não é um texto bíblico, mas o texto bíblico será o seu ponto de partida.

Para elaborar um sermão temático necessitamos de uma concordância bíblica ou de uma bíblia de estudo dividida em tópicos. A exegese bíblica torna-se muito importante. : 

Para elaborar um sermão temático necessitamos de uma concordância bíblica ou de uma bíblia de estudo dividida em tópicos. A exegese bíblica torna-se muito importante. NA BUSCA DOS TEXTOS BÍBLICOS NÃO CONFUNDA* EXEGESE** HERMENEUTICA

* EXEGESE: - S.f. Comentário ou dissertação para esclarecimento ou minuciosa interpretação de um texto ou de uma palavra. [Aplica-se de modo especial em relação à Bíblia, à gramática, às leis.] ** HERMENEUTICA: - S.f. Interpretação do sentido das palavras contidas no texto; interpretação dos textos sagrados; arte de interpretar leis; exegese. (Fonte: Dicionário Silveira Bueno, FTD – 1996) : 

* EXEGESE: - S.f. Comentário ou dissertação para esclarecimento ou minuciosa interpretação de um texto ou de uma palavra. [Aplica-se de modo especial em relação à Bíblia, à gramática, às leis.] ** HERMENEUTICA: - S.f. Interpretação do sentido das palavras contidas no texto; interpretação dos textos sagrados; arte de interpretar leis; exegese. (Fonte: Dicionário Silveira Bueno, FTD – 1996)

Exemplo da aplicação de tópicos ao tema Sermão Temático: - Tema: “Quem limpará o imundo?”- Tópicos relacionados ao tema: a)   A indagação de Jó - Jó 14. 7-9b)  Jesus é o remidor: Tito 2.14c)  Jesus nos limpa pela palavra: Jo 15.3d) Há esperança de purificação: Rm 8.3Quem tem esperança se purifica: I Jo 3.3 : 

Exemplo da aplicação de tópicos ao tema Sermão Temático: - Tema: “Quem limpará o imundo?”- Tópicos relacionados ao tema: a)   A indagação de Jó - Jó 14. 7-9b)  Jesus é o remidor: Tito 2.14c)  Jesus nos limpa pela palavra: Jo 15.3d) Há esperança de purificação: Rm 8.3Quem tem esperança se purifica: I Jo 3.3

18. CLASSIFICAÇÃO BÁSICA DOS SERMÕESb. TEXTUAL : É aquele cujas divisões principais derivam de um texto bíblico de pequena proporção, uma breve porção da Bíblia : 

18. CLASSIFICAÇÃO BÁSICA DOS SERMÕESb. TEXTUAL : É aquele cujas divisões principais derivam de um texto bíblico de pequena proporção, uma breve porção da Bíblia

Slide 29: 

- As linhas principais de desenvolvimento são tiradas do próprio texto, dessa maneira o esboço principal mantém-se estritamente dentro dos limites do texto.- O texto pode consistir de apenas uma linha de um versículo, de um versículo todo, ou de um parágrafo completo das escrituras sagradas.

Slide 30: 

O esboço do sermão textual deve girar em torno de uma idéia principal, descrita no texto bíblico e suas divisões em tópicos devem ampliar e desenvolver essa idéia a fim de apresentá-las aos ouvintes da palavra de Deus. Exemplo: Rm 12.1 “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.” - Vamos atribuir um título para o sermão

Slide 31: 

Título: O Sacrifício do crente Assunto: O culto a Deus a)  A razão do sacrifício: Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus. b) O que deve ser sacrificado: ... apresenteis os vossos corpos. c)  As condições do sacrifício: sacrifício vivo, santo e agradável a Deus d)  A obrigação do sacrifício: que é o vosso culto racional

18. CLASSIFICAÇÃO BÁSICA DOS SERMÕESc.    EXPOSITIVO: É aquele cujas divisões principais derivam de uma grande porção das Escrituras e, é interpretada em relação a um tema ou assunto. Para tanto, devemos estudar cuidadosamente a passagem bíblica a fim de não distorcer a palavra de Deus. : 

18. CLASSIFICAÇÃO BÁSICA DOS SERMÕESc.    EXPOSITIVO: É aquele cujas divisões principais derivam de uma grande porção das Escrituras e, é interpretada em relação a um tema ou assunto. Para tanto, devemos estudar cuidadosamente a passagem bíblica a fim de não distorcer a palavra de Deus.

A passagem bíblica fornece ao pregador os argumentos necessários para preparação do esboço, que consiste em idéias progressivas, dentro de uma linha de pensamento em torno da idéia principal.È de certa forma, em relação ao sermão temático e o sermão textual, a forma mais simples de pregar a palavra e, regra geral, o pregador precisa apenas seguir a ordem apresentada no texto. : 

A passagem bíblica fornece ao pregador os argumentos necessários para preparação do esboço, que consiste em idéias progressivas, dentro de uma linha de pensamento em torno da idéia principal.È de certa forma, em relação ao sermão temático e o sermão textual, a forma mais simples de pregar a palavra e, regra geral, o pregador precisa apenas seguir a ordem apresentada no texto.

Exemplo: Texto base – Ef 6. 10-18Titulo: A batalha da féAssunto: Aspectos relacionados à Guerra espiritual do crentea) A moral do crente – vv 10-14 p/a- Deve ser elevada, v. 10- Deve ser firme; vv. 14-17b) A armadura do crente – vv. 14-17-  Deve ter caráter defensivo; 14-17 p/a-  Deve ter caráter ofensivo; v. 17 p/bc) A vida de oração do crente – v. 18-  Deve ser persistente; v.18- Deve ser intercessora; v. 18 p/b. : 

Exemplo: Texto base – Ef 6. 10-18Titulo: A batalha da féAssunto: Aspectos relacionados à Guerra espiritual do crentea) A moral do crente – vv 10-14 p/a- Deve ser elevada, v. 10- Deve ser firme; vv. 14-17b) A armadura do crente – vv. 14-17-  Deve ter caráter defensivo; 14-17 p/a-  Deve ter caráter ofensivo; v. 17 p/bc) A vida de oração do crente – v. 18-  Deve ser persistente; v.18- Deve ser intercessora; v. 18 p/b.

Observação: ERROS COMUNS DOS PREGADORES DO SERMÃO EXPOSITIVO - Cuidado ao empregar o sermão expositivo, pois alguns pregadores , no processo de exegese bíblica, se perdem no acúmulo de detalhes e não conseguem ver a mensagem principal contida no texto e acabam divagando (viajando) para longe do objetivo. : 

Observação: ERROS COMUNS DOS PREGADORES DO SERMÃO EXPOSITIVO - Cuidado ao empregar o sermão expositivo, pois alguns pregadores , no processo de exegese bíblica, se perdem no acúmulo de detalhes e não conseguem ver a mensagem principal contida no texto e acabam divagando (viajando) para longe do objetivo.

Esquecem do princípio de que o aspecto básico da pregação expositiva é a interpretação e gastam demasiado tempo na aplicação de muitos textos de referência, não percebendo que, sendo a Bíblia proclamada com clareza e simplicidade, é o Espírito Santo que a faz no coração dos homens. : 

Esquecem do princípio de que o aspecto básico da pregação expositiva é a interpretação e gastam demasiado tempo na aplicação de muitos textos de referência, não percebendo que, sendo a Bíblia proclamada com clareza e simplicidade, é o Espírito Santo que a faz no coração dos homens.

Modelo Esquemáticopara confecção de esboços : 

Modelo Esquemáticopara confecção de esboços

Slide 38: 

ESBOÇO DE SERMÃO TEMÁTICO ESBOÇO DE SERMÃO TEXTUAL ESBOÇO DE SERMÃO EXPOSITIVO

CONSELHOS AOS PREGADORES : 

CONSELHOS AOS PREGADORES

- Desviam da passagem a ser explanada e divagam por algum tempo (por vezes contam histórias), antes de voltar ao texto base.Por deficiência no conhecimento da Hermenêutica, não compreendem o texto lido e interpretam errado a escritura. : 

- Desviam da passagem a ser explanada e divagam por algum tempo (por vezes contam histórias), antes de voltar ao texto base.Por deficiência no conhecimento da Hermenêutica, não compreendem o texto lido e interpretam errado a escritura.

CUIDADOA PREGAÇÃO EFICAZ DEVE SER MARCADA PELA MANIFESTAÇÃO DA FÉ E DO PODER DE DEUS : 

CUIDADOA PREGAÇÃO EFICAZ DEVE SER MARCADA PELA MANIFESTAÇÃO DA FÉ E DO PODER DE DEUS “A minha linguagem e a minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria, mas em demonstração do Espírito de poder”. I Co 2.4 “ e no tempo próprio manifestou a sua palavra, mediante a pregação que me foi confiada segundo o mandamento de Deus, nosso Salvador”. Tt 1.3

Conclusão: Pesa sobre os ombros do pregador da palavra, a transmissão da vontade de Deus, a edificação do Corpo de Cristo e a solidez moral de seus servos pelo ensino das Sagradas Escrituras. Por isso, devemos nos aperfeiçoar cada vez mais, afim de sermos obreiros aprovados, empregados em toda a boa obra.“Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar que haja dedicação ao ensino”. Rm 12.7 : 

Conclusão: Pesa sobre os ombros do pregador da palavra, a transmissão da vontade de Deus, a edificação do Corpo de Cristo e a solidez moral de seus servos pelo ensino das Sagradas Escrituras. Por isso, devemos nos aperfeiçoar cada vez mais, afim de sermos obreiros aprovados, empregados em toda a boa obra.“Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar que haja dedicação ao ensino”. Rm 12.7

“Tem cuidado de ti mesmo e do teu ensino; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem”. I Tm 4.16 : 

“Tem cuidado de ti mesmo e do teu ensino; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem”. I Tm 4.16

AS BEM-AVENTURANÇAS DO PREGADOR : 

AS BEM-AVENTURANÇAS DO PREGADOR As bem-aventuranças do pregador.doc

Slide 45: 

DESEJO A TODOS OS PREGADORES E PREGADORAS DA PALAVRA DE DEUS MUITO SUCESSO NO DESEMPENHO DE TÃO NOBRE MISSÃO. Pr . HUMBERTO CARNEIRO TEIXEIRA

authorStream Live Help