Influenza A H1N1

Views:
 
Category: Education
     
 

Presentation Description

No description available.

Comments

Presentation Transcript

Influenza A H1N1 : 

Influenza A H1N1 Alberto Chebabo Serviço de Doenças Infecto-Parasitárias - HUCFF/UFRJ

O Vírus Influenza : 

Existem 3 tipos de Vírus Influenza: A, B e C Apenas os tipos A e B podem causar surtos Influenza A possui subtipos que são classificados pelas diferentes glicoproteínas presentes na sua superfície Hemaglutinina: H1-H15 Neuraminidase: N1-N9 Influenza B só possui uma hemaglutinina e uma neuraminidase O Vírus Influenza

O Vírus Influenza : 

A hemaglutinina tem função na adesão do vírus na célula A neuraminidase libera o vírus da membrana O Vírus Influenza

O Vírus Influenza : 

A nomenclatura inclui o tipo de Influenza, local do isolamento inicial, designação da cepa e ano do isolamento. Por exemplo: Vírus A isolado em 1934 em Porto Rico: A/Puerto Rico/8/34 Somente H1, H2, H3 e N1 e N2 têm linhagens estáveis em humanos O Vírus Influenza

Como Ocorrem as Mutações : 

Derivação antigênica ou “drift” Ocorre em Influenza A ou B Acúmulo de mutações menores, anuais na hemaglutinina e/ou neuraminidase Existe imunidade parcial em relação às espécies antigênicas anteriores Salto antigênico ou “shift” Ocorre somente na Influenza A Mutação na hemaglutinina Cria novos vírus aos quais a população não tem imunidade São as causas das pandemias Como Ocorrem as Mutações

Esquema de Ocorrência de Pandemias e Epidemias : 

Esquema de Ocorrência de Pandemias e Epidemias Introdução de um novo vírus (A/HxNx) - pandemia Pequenas variações antigênicas – pode ocasionar epidemias A proporção de indivíduos imunes na população aumenta – Favorece aparecimento de novo vírus (A/HyNy)

Como Ocorre o Surgimento de Novas Cepas : 

Influenza A infecta aves domésticas e silvestres, mamíferos marinhos, porcos e o Homem Novas cepas pandêmicas surgem: Intercâmbio genético (recombinação) de vírus aviário e humano no porco – menos comum Adaptação do vírus aviário ao homem por evolução no porco – H1N1 Adaptação do vírus aviário para o homem, sem a necessidade do porco – Gripe Aviária por H5N1 Como Ocorre o Surgimento de Novas Cepas Nicholson KG et al. Lancet. 2003;362:1733-45

Slide 8: 

Nicholson KG et al. Lancet. 2003;362:1733-45

Característica Clínica e Transmissão Viral : 

Período de Incubação 1 a 2 dias Período de transmissão: 7 dias após início dos sintomas Forma de transmissão Gotículas ou contato direto e indireto com mucosas – boca e conjuntivas Aerossol – raro e só em situações especiais Característica Clínica e Transmissão Viral Brankston G et al. Lancet Infect Dis. 2007;7:257-65

Impacto da Influenza Sazonal : 

Influenza sazonal é responsável por 36.000 a 51.000 mortes/ano nos EUA Estas mortes ocorrem principalmente em pacientes acima de 65 anos Hospitalizações são mais comuns em menores de 5 anos e maiores de 65 anos Impacto da Influenza Sazonal

Pandemias Passadas : 

Pandemias Passadas

O Novo Vírus : 

Detecção de nova cepa de Influenza A H1N1 denominada A/California/04/2009 Presença de gen de hemaglutinina encontrado em vírus H1N1 suíno (vírus recombinante de aves, suíno e humano) nos EUA desde 1999, causando infecção esporádica em humanos Presença de 2 genes de neuraminidase encontrados em vírus influenza suíno de linhagem européia e asiática Esta combinação de genes nunca foi descrita em Influenza em porcos ou humanos O Novo Vírus

Evolução da Epidemia : 

México: 12/abril: surto de Influenza em pequena comunidade no Estado de Veracruz 17/abril: caso de pneumonia atípica em paciente com pouco mais de 30 anos, evoluindo para óbito. Confirmação pós mortem pela Agência de Saúde Pública do Canadá (23/março) detectou nova cepa de Influenza A H1N1 semelhante a descrita em 2 crianças na Califórnia, EUA (A/Califórnia/04/2009) 17 a 23/abril: vários casos de doença respiratória grave comunicados infectados com a mesma cepa de Influenza A H1N1 Evolução da Epidemia

Evolução da Epidemia : 

México: 30/abril: 97 casos confirmados laboratorialmente e 260 casos prováveis no México Evolução da Epidemia

Evolução da Epidemia : 

Estados Unidos: 21/abril: CDC relata casos de nova cepa de Influenza A H1N1 em 2 crianças (10 e 9 anos) na Califórnia (San Diego e adjacencias) com início de sintomas em 13 e 17 de abril. Cepas enviadas ao CDC por não serem tipáveis Ambos pacientes doença auto limitada, sem necessidade de internação 24/abril: CDC relata mais 4 casos na Califórnia e 2 casos no Texas de influenza causada pela mesma cepa descrita em 21/abril Evolução da Epidemia

Evolução da Epidemia : 

Estados Unidos: 21/abril: Surto de Influenza em escola no Queens, NY com 200 casos relatados e em 8 casos espécimes obtidos foram positivos para a cepa Influenza A H1N1 descrita na Califórnia 29/abril: primeiro e único óbito nos EUA. Criança de 23 meses proveniente do México Canadá: 23/abril: casos suspeitos relatados 26/abril: 4 casos na Nova Escócia e 2 casos na Columbia Britânica laboratorialmente confirmados Evolução da Epidemia

Níveis de Alerta - OMS : 

Fase 1: Nenhum vírus influenza de origem animal relatado como causa infecção em humanos Fase 2: Um vírus influenza de origem animal causando infecções em humanos. Risco potencial de pandemia Fase 3: Vírus recombinado humano-animal causando doença em humanos, sem transmissão pessoa-pessoa suficiente para causar pequenos surtos comunitários Níveis de Alerta - OMS

Níveis de Alerta - OMS : 

Fase 4: Transmissão humana de vírus animal ou recombinado humano-animal relatado, capaz de surtos comunitários sustentados Fase 5: Um mesmo vírus causando surtos em 2 ou mais países em 1 continente Fase 6: O mesmo vírus detectado no nível 5 causando infecção sustentada em mais de 1 continente Níveis de Alerta - OMS

Situação Atual : 

Situação Atual

Situação Atual – 05/05/2009 – 16:00 GMT : 

Situação Atual – 05/05/2009 – 16:00 GMT 1490 casos em 21 países Último país a entrar na lista: Portugal México: 822 casos, 29 mortes EUA: 403 casos, 1 morte Canadá: 140 casos Espanha: 57 casos Grã Bretanha: 27 casos Alemanha: 9 casos Nova Zelândia: 6 casos Itália: 5 casos França e Israel: 4 casos cada El Salvador e Coréia do Sul: 2 casos cada Áustria, China (Hong Kong), Costa Rica, Colombia, Dinamarca, Irlanda, Holanda, Portugal e Suiça: 1 caso cada

Definição de Caso Suspeito - MS : 

Apresentar febre alta de maneira repentina, superior a 38oC E tosse podendo estar acompanhada de um ou mais dos seguintes sintomas: dor de cabeça, dores musculares e nas articulações ou dificuldade resopiratória E Ter apresentado sintomas até 10 dias após sair de países que reportaram casos pela Influenza A (H1N1) OU Ter como contato próximo nos últimos 10 dias com pessoa classificada como caso suspeito de infecção humana pelo novo subtipo de Influenza (H1N1). Definição de Caso Suspeito - MS

Definição de Caso Confirmado - CDC : 

Indivíduo que apresenta quadro de doença respiratória febril aguda e sinais e sintomas compatíveis com infecção por influenza, com um ou mais dos seguintes exames laboratoriais que confirmem a Influenza suína, por meio dos seguintes testes: Real time RT-PCR Cultura viral Definição de Caso Confirmado - CDC

Teste Rápido para Influenza : 

Para Influenza sazonal Sensibilidade: 50 a 70% Especificidade: 90 a 95% Para Influenza A H1N1 Influenza B positivo: provavelmente afasta gripe suína Influenza A positivo: Paciente pode ter infecção pelo novo vírus Paciente pode ter infecção por vírus sazonal OU Teste falso positivo Teste Negativo: não afasta gripe suína Teste Rápido para Influenza

Precauções : 

Paciente deverá ser mantido em isolamento respiratório e de contato Utilização de luvas, capote não estéril, óculos de proteção, gorro e máscara de proteção N95 Todo material deverá ser descartado após uso Não está recomendado a utilização de máscaras em ambientes externos como medida de proteção para a população Máscaras cirúrgicas podem ser utilizadas pelo paciente para evitar a disseminação do vírus Recomendada lavagem de mãos frequente como medida de controle de disseminação Precauções

Tratamento : 

As cepas isoladas foram testadas para os seguintes antivirais Amantadina: todas as cepas são resistentes Oseltamivir e Zanamivir: Todas as cepas sensíveis Doses: Oseltamivir deve ser iniciado nas primeiras 48 horas do início dos sintomas Adultos: 75 mg (1 comp) de 12/12 h por 5 dias Quimioprofilaxia: 75 mg 1 x ao dia Recomendado para contactantes domiciliares com alto risco de complicação (>65 anos, < 5 anos e grávidas) Profissional de saúde com contato com paciente, sem utilização de EPI Tratamento

Vacina : 

A vacina atual não protege contra o novo vírus As indicações de vacinação continuam as mesmas, para proteção contra influenza sazonal Esforços estão sendo empenhados para desenvolvimento de vacina contra o novo vírus, com previsão para 5 a 6 meses Segundo OMS, existe capacidade de produção de 1 a 2 milhões de doses/ano Vacina

Comportamento de uma Pandemia : 

Ocorre em ondas, em várias regiões do mundo O vírus pode sofrer mutações que levam a maior ou menor virulência nas ondas subsequentes Não há como saber no atual momento se este vírus se tornará mais brando O período sazonal está terminando no hemisfério norte e se iniciando no hemisfério sul É possível que a epidemia se transfira para o hemisfério sul nos próximos meses Ainda não se sabe o significado das mortes ocorridas no México Maior virulência no início Relacionado à baixa qualidade da assistência de saúde Comportamento de uma Pandemia

O Ministério da Saúde Adverte: apesar de não haver relatos de porcos infectados ... : 

O Ministério da Saúde Adverte: apesar de não haver relatos de porcos infectados ... Nunca lamba o focinho de um porco!!!

authorStream Live Help