vancouver

Views:
 
Category: Entertainment
     
 

Presentation Description

metodologia cientifica

Comments

Presentation Transcript

NORMAS DE VANCOUVER:

HISTÓRICO Um pequeno grupo de editores de revistas médicas generalistas reuniu informalmente em 1978 em Vancouver, na Colômbia Britânica, para fixar pautas para a formatação de manuscritos propostos para publicação nas suas revistas. Este grupo ficou conhecido como o Grupo de Vancouver. Os seus requisitos para manuscritos, incluindo formatos para referências bibliográficas desenvolvidos pela National Library of Medicine dos Estados Unidos da América (NLM), foram publicados pela primeira vez em 1979. O Grupo de Vancouver se expandiu formando o Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas – International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE), que com o passar do tempo ampliou suas áreas de interesse incluindo, ainda, os princípios éticos relacionados à publicação em periódicos biomédicos. As atualizações foram ocorridas em 1997, maio de 1999, maio de 2000, maio 2001, novembro de 2003, outubro de 2005 e a mais recente é datada de outubro de 2007. NORMAS DE VANCOUVER

IMPLICAÇÕES DAS NORMAS:

IMPLICAÇÕES DAS NORMAS Em primeiro lugar, as Normas são instruções para os autores sobre o modo como preparar manuscritos, e não instruções para os editores sobre o estilo de publicação. (No entanto muitas revistas basearam nelas partes dos seus estilos de publicação). Em segundo lugar, se os autores prepararem os seus manuscritos de acordo com o estilo especificado nestas normas, os editores das revistas participantes não os devolverão para modificações de estilo sem previamente os considerarem para efeitos de publicação. No entanto, durante o processo de publicação, as revistas podem alterar manuscritos aceites, de modo a que fiquem de acordo com as características específicas do seu estilo de publicação. Em terceiro lugar, os autores que enviam manuscritos para uma revista participante não deveriam tentar prepará-los de acordo com o estilo de publicação dessa revista, mas deveriam seguir estas Normas. Os autores devem também seguir as instruções aos autores da revista, no respeitante aos temas apropriados para essa revista e aos tipos de artigos que podem ser propostos para publicação - por exemplo, estudos originais, revisões, ou relatos de casos. Para além disto, as instruções da revista provavelmente incluem outros requisitos próprios de cada revista, tais como o número de cópias do manuscrito que é necessário enviar, línguas aceites, dimensão dos artigos, e abreviaturas aceites. Das revistas participantes espera-se que indiquem nas suas instruções aos autores que as suas normas estão de acordo com as Normas para apresentação de artigos propostos para publicação em revistas médicas, e que citem uma versão publicada destas.

PRINCÍPIOS GERAIS:

PRINCÍPIOS GERAIS O texto dos artigos das pesquisas observacionais e experimentais é geralmente (mas não necessariamente) dividido em seções com os Títulos: INTRODUÇÃO MÉTODOS RESULTADOS DISCUSSÃO Essa estrutura denominada “IMRAD” é uma reflexão direta do processo de descoberta científica. Os artigos mais longos podem necessitar de subtítulos em algumas seções (principalmente nas de resultados e de discussão) para tornar o conteúdo mais claro. Essas denominações são feitas de acordo com o tipo de pesquisa e com o periódico em que o artigo será publicado.

FOLHA DE ROSTO:

FOLHA DE ROSTO A FOLHA DE ROSTO deve trazer as seguintes informações (Mínimas, vai variar de publicação e instituição): O título do artigo; Os nomes dos autores e suas filiações institucionais; O nome do departamento(s) e instituição(ções) aos quais devem ser atribuído o estudo. Autor correspondente. O nome, o endereço de correio, os números de telefone e fax e o endereço eletrônico do autor responsável pela correspondência sobre o original.

RESUMO E PALAVRAS-CHAVE:

RESUMO E PALAVRAS-CHAVE O resumo deve explicitar os objetivos do estudo ou investigação, a metodologia básica (seleção da população a estudar ou dos animais de laboratório, métodos de observação e de análise), os resultados principais (fornecendo dados específicos e, se possível, a respectiva significância estatística), e as principais conclusões. Deve realçar os aspectos novos e importantes do estudo ou das observações. Deve ter até 150 palavras para resumos não estruturados ou até 250 palavras para resumos estruturados*. Por baixo do resumo os autores devem indicar, e identificar como tais, 03 a 10 palavras-chave ou frases curtas que possam auxiliar a indexação múltipla do artigo e possam ser publicadas com o resumo. Devem ser usados termos da lista de descritores médicos ( MeSH ) do Index Medicus; se ainda não existirem descritores MeSH apropriados para termos de introdução recente, esses podem ser empregados. * Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Resumos [homepage]. São Paulo, SP: Universidade de São Paulo; c.2005 [acesso em 06 abr. 2011]. [4 telas]. Disponível em: http://www.bvs-sp.fsp.usp.br:8080/html/pt/paginas/guia/a_cap_06.htm .

INTRODUÇÃO:

INTRODUÇÃO A introdução descreve o contexto ou os antecedentes do estudo (isto é, a natureza do problema e sua importância). Menciona o objetivo específico da pesquisa ou a hipótese testada pelo estudo ou pela observação; o objetivo da pesquisa é frequëntemente mais focado quando elaborado como uma pergunta. Tantos os objetivos principais como os objetivos secundários devem ser claros e qualquer análise prevista de subgrupo deve ser descrita. Na Introdução, devem ser citadas somente as referências totalmente pertinentes e não incluir dados ou conclusões do trabalho que está sendo relatado. Fornecer apenas referências rigorosamente pertinentes e não incluir dados ou conclusões do trabalho a que se refere o artigo.

MÉTODOS:

MÉTODOS Seção de Métodos só deve incluir as informações disponíveis no momento da elaboração do planejamento ou do protocolo do estudo; todas as informações obtidas durante a realização do estudo pertencem à seção de Resultados.

MÉTODOS:

MÉTODOS Ética Quando se relata experimentação com pessoas, indicar se os procedimentos seguidos estiveram de acordo com os padrões éticos da entidade (institucional ou regional) responsável pela experimentação humana e com a Declaração de Helsínquia de 1975, na sua revisão de 1983. Não mencionar nomes, iniciais ou números de processos de pacientes, particularmente em qualquer tipo de ilustração. Quando se relata experimentação com animais, indicar se, no respeitante aos cuidados e utilização de animais de laboratório, foram seguidas as indicações da instituição ou de uma autoridade nacional de investigação, ou de alguma legislação nacional.

SELEÇÃO E DESCRIÇÃO DOS PARTICIPANTES:

SELEÇÃO E DESCRIÇÃO DOS PARTICIPANTES Descreva sua seleção dos participantes nas pesquisas observacionais ou experimentais (pacientes ou animais de laboratório, incluindo os controles) de modo claro, mencionando os critérios de inclusão e de exclusão, assim como uma descrição da população alvo. Como a importância das variáveis como idade e sexo para o objetivo da pesquisa nem sempre está clara, os autores devem explicá-las quando elas são incluídas no relatório do estudo; por exemplo, os autores devem explicar porque apenas pacientes de certas idades foram incluídos ou porque as mulheres foram excluídas. O princípio que orienta deve ser o da clareza de como e porque um estudo foi realizado de determinada maneira. Quando os autores utilizam variáveis como raça ou etnia, devem definir como as variáveis foram medidas e justificar a sua importância.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS:

INFORMAÇÕES TÉCNICAS Identificar os métodos, os aparelhos (mencionar do nome e o endereço do fabricante entre parênteses) e os Procedimentos em pormenores suficientes para permitir outros pesquisadores reproduzirem os resultados. Fornecer as referências dos métodos já estabelecidos, inclusive dos métodos estatísticos (ver abaixo); dar as referências e as descrições curtas dos métodos já publicados, mas que não são muito bem conhecidos; descrever os métodos novos ou que sofreram modificações importantes, explicando as razões para utilizá-los e avaliando suas limitações. Identificar com precisão todos os fármacos e compostos químicos empregados, inclusive o(s) nome(s) genérico(s), dose(s) e via(s) de administração. Os autores ao submeterem manuscritos de revisão devem incluir uma secção com a descrição dos métodos utilizados para localizar, selecionar, extrair e sintetizar os dados. Esses métodos devem também fazer parte do Resumo.

ESTATÍSTICAS:

ESTATÍSTICAS Descrever os métodos estatísticos com bastante pormenor para permitir que um leitor com conhecimento do assunto possa ter acesso aos dados originais para verificar os resultados apresentados. Se possível, quantificar os achados e apresentá-los com os indicadores adequados de medidas de erro ou de incerteza (tais como os intervalos de confiança). Evitar confiar apenas nos testes de hipótese, como o uso dos valores de P, os quais não fornecem informações importantes sobre o tamanho do efeito. As referências sobre o desenho do estudo e sobre os métodos estatísticos devem ser, sempre que possível, de artigos reconhecidos (com indicação das páginas). Definir os termos estatísticos, as abreviações e a maioria dos símbolos. Especificar qual foi o software utilizado.

RESULTADOS:

RESULTADOS Apresentar os seus resultados em uma seqüência lógica no texto, tabelas e ilustrações, mencionando primeiro os achados mais importantes. Não repetir no texto todos os dados mostrados nas tabelas ou nas ilustrações; enfatizar ou resumir somente as observações importantes. Matérias suplementares ou adicionais e detalhes técnicos podem ser colocados em um apêndice, onde ficarão acessíveis, sem interromper o fluxo do texto; alternativamente, essa matéria pode ser publicada somente na versão eletrônica do periódico. Quando os dados são resumidos na seção de Resultados, apresentar os resultados numéricos não apenas como valores derivados (por exemplo, percentagens), mas também em números absolutos a partir dos quais os valores derivados foram calculados e especificar os métodos estatísticos usados para analisá-los. Restringir as tabelas e figuras àquelas necessárias para explicar e apoiar o argumento do artigo. Utilizar os gráficos como uma alternativa às tabelas com muitas entradas; não duplicar os dados nos gráficos e nas tabelas. Evitar o uso não técnico de termos técnicos em estatística, tais como “acaso” (que implica em dispositivo aleatório), “normal”, “significante”, “correlações” e “amostra”. Quando cientificamente adequado, as análises dos dados por meio de variáveis como idade e sexo devem ser incluídas.

DISCUSSÃO:

DISCUSSÃO Enfatizar os aspectos novos e importantes do estudo e as conclusões que advêm deles. Não repetir em detalhes os dados ou outros materiais inseridos nas seções de Introdução ou de Resultados. Para os estudos experimentais, é útil começar a discussão por um breve resumo dos principais achados,depois, explorar os mecanismos ou explicações possíveis para esses resultados, comparar e contrastar os resultados com outros estudos relevantes, mencionar as limitações do estudo e explorar as implicações dos achados para pesquisas futuras e para a prática clínica. Relacionar as conclusões com os objetivos do estudo, mas evitar afirmações e conclusões não adequadamente corroboradas pelos dados obtidos nos resultados. Especificamente, os autores devem evitar fazer afirmações sobre benefícios econômicos e custos, a não ser que seus manuscritos contenham dados e análises econômicas apropriados. Evitar reivindicar prioridade e alusão a trabalho ainda não terminado. Estabelecer novas hipóteses quando for o caso, mas deixar claro que são hipóteses.

AGRADECIMENTOS:

AGRADECIMENTOS Num local apropriado do artigo (rodapé da página de título ou apêndice ao texto; ver as normas da revista) deverão incluir-se uma ou mais frases especificando: (1) contribuições que justifiquem um agradecimento mas não justifiquem a autoria, como por exemplo o apoio geral dado por um responsável de departamento; (2) agradecimentos por auxílio técnico; (3) agradecimentos por apoio financeiro e material, cuja natureza deve ser especificada; (4) relacionamentos que possam implicar um conflito de interesses. As pessoas que tenham contribuído intelectualmente para o artigo mas cujas contribuições não justifiquem a qualidade de autor, podem ser indicadas, sendo descrita a sua função ou contribuição - por exemplo, consultor científico, revisão crítica do projeto de estudo, colheita de dados, ou participação em ensaio clínico. Tais pessoas devem ter autorizado a referência dos seus nomes. Os autores são responsáveis pela obtenção de autorização escrita das pessoas nomeadas nos agradecimentos, dado que os leitores podem inferir que tais pessoas subscrevem os dados e as conclusões. O apoio técnico deve ser agradecido num parágrafo diferente daqueles contendo agradecimentos por outros tipos de contribuição.

ILUSTRAÇÕES:

ILUSTRAÇÕES As figuras devem ser numeradas consecutivamente de acordo com a ordem de aparecimento no texto. Se uma figura já houver sido publicada, deve-se dar crédito à fonte original e apresentar uma autorização por escrito do detentor dos direitos autorais da reprodução do material. Exige-se a autorização independentemente da autoria ou do editor, exceto nos casos dos documentos de domínio público.

Tabelas:

Tabelas As tabelas condensam as informações obtidas e as exibem eficazmente; elas também fornecem informações com detalhe ou precisão. A inclusão dos dados na tabelas e não no texto, muitas vezes torna possível reduzir o tamanho do texto. Digitar ou imprimir cada tabela em espaço duplo numa folha de papel separada. Numere as tabelas consecutivamente na ordem de sua primeira citação no texto e insira um título curto para cada uma. Não utilize linhas internas horizontais ou verticais. Dê para cada coluna um nome curto ou abreviado. Os autores devem pôr os textos explicativos em notas de rodapé e não no título. Cada tabela deve ser citada no texto. Se forem utilizados dados publicados ou não publicados de outra fonte, deve-se obter uma autorização e um agradecimento deve ser feito.

CITAÇÃO:

CITAÇÃO A norma de Vancouver não regulamenta padrões para citações, portanto é utilizado o padrão da ABNT. Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas (2002b, p. 1), citação é a “menção de uma informação extraída de uma outra fonte”. A citação pode ser utilizada para esclarecer, ilustrar ou sustentar um determinado assunto, ela garante respeito ao autor da idéia e ao leitor. As citações podem estar localizadas no texto ou no rodapé, podem ser curtas (até três linhas), longas (mais de três linhas), diretas (cópia fiel do autor consultado) ou indiretas (texto baseado na idéia do autor consultado).

CITAÇÃO:

CITAÇÃO Toda citação deve vir acompanha da indicação de autoria, que pode estar inclusa no texto (na sentença, frase) ou entre parênteses. O ponto final deve ficar após o fechamento dos parênteses, pois a indicação da responsabilidade faz parte da sentença ou frase. A página da obra consultada deverá ser indicada em todas as citações, com exceção de documentos que estejam disponíveis em meio eletrônico ou internet e não haja a indicação da paginação. Hartley (2001, p. 109) afirma que “tanto o ser humano quanto suas organizações apresentam uma aversão natural a mudanças”. Quando a autoria não fizer parte do texto, deve aparecer entre parênteses, com as letras maiúsculas, seguida do ano e paginação, quando for possível identificar. “Tanto o ser humano quanto suas organizações apresentam uma aversão natural a mudanças” (HARTLEY, 2001, p. 109). Quando a obra for em volumes, estes poderão ser indicados entre o ano e a página do documento consultado. Marques (2000, v. 4, p. 209) ao tratar do conceito de recurso, assevera que “para as partes, o recurso é um direito processual subjetivo, de caráter abstrato, tendente a obter o reexame da decisão em que ficou convencida”.

CITAÇÃO INDIRETA:

CITAÇÃO INDIRETA Quando se reproduzem as idéias, sem transcrever as palavras do autor . Não é necessário o emprego das aspas. Exemplo 1: Neste sentido, Szuster (1980) lembra que a inflação gera um ambiente incerto, dificultando a tomada de decisões. Exemplo 2: A ironia seria assim uma forma implícita de heterogeneidade mostrada, conforme a classificação proposta por Authier-Reiriz (1982).

CITAÇÃO DIRETA:

CITAÇÃO DIRETA CITAÇÃO TEXTUAL (DIRETA) Transcrição literal de textos de autores consultados. “Citações curtas (até 3 linhas) são inseridas no texto e devem estar contidas entre aspas duplas.” Quando houver necessidade de suprimir textos utilizar reticências entre colchetes [...] no exato local da suspensão. Exemplo : Sarmento (2003, p. 143) afirma que “o paradigma crítico procura articular a interpretação empírica dos dados sociais com os contextos políticos e ideológicos em que se geram as condições de ação social.”

CITAÇÃO DIRETA:

CITAÇÃO DIRETA CITAÇÕES LONGAS (DIRETA) (Mais de 3 linhas) devem constituir um parágrafo independente, recuado a 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a utilizada no texto (espaço simples) e sem as aspas. O estudo pode ser definido como : A aceleração do tempo de giro na produção envolve acelerações paralelas na troca e no consumo. Sistemas aperfeiçoados de comunicação e de fluxo de informações, associados com racionalização técnica de distribuição (empacotamento, controle de estoques, conteinerização, retorno de mercado etc.), possibilitaram a circulação de mercadorias no mercado a uma velocidade maior. ( HARVEY, 1989, p. 257-258).

CITAÇÃO DE CITAÇÃO:

CITAÇÃO DE CITAÇÃO Segundo Martins (1986 apud GOMES, 1990, p. 58), afirma que as contas de origem e aplicação de recursos tem um poder de análise extraordinário, porque o dinheiro produzido pela empresa durante o ano era computado em valores nominais . Informação retirada de um documento consultado, cuja obra original não se teve acesso. Deve-se usar a expressão latina apud, seguida da indicação da fonte efetivamente consultada.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Alinhamento As referências deverão ser alinhadas sempre à margem esquerda, em espaço simples, e espaço duplo entre elas. Autor O(s) autor(es) deverão aparecer, na lista de referências, pelo sobrenome, apenas a letra inicial é em maiúscula, seguido do(s) prenome(s) abreviado(s) e sem o ponto. Sobrenome com indicativo de parentesco : o Se for brasileiro deve ser acrescentado o grau de parentesco no final do sobrenome. Vicente Amato Neto § Amato Neto V o Se for inglês deve ser colocado o grau de parentesco após a inicial do prenome. Jeremiah Brown Junior § Brown J Jr Sobrenome com prefixo o John Kelly Mac Donald § Mac Donald JK o Angela D'Angelo § D'Angelo A

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Sobrenome composto : o Lucy Santos Villas Boas § Villas Boas LS Sobrenome espanhol: o Eva Sánchez Galán § Sánchez Galán E Sobrenome ligado por hífen : o Maria Aparecida Shikanai-Yasuda § Shikanai-Yasuda MA o Sumie Hoshino-Shimizu § Hoshino-Shimizu S Com autoria definida / pessoa física Citar todos os autores, quando o documento possuir de um até seis autores. Tovosia S, Chen PH, Ko AM, Tu HP, Tsai PC, Ko YC. Prevalence and associated factors of betel quid use in the Solomon Islands: a hyperendemic area for oral and pharyngeal cancer. Am J Trop Med Hyg. 2007 Sep;77(3):586-90.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Mais de seis autores, citar os seis primeiros seguidos da expressão latina “et al.” Duffy MF, Caragounis A, Noviyanti R, Kyriacou HM, Choong EK, Boysen K, et al. Transcribed var genes associated with placental malaria in Malawian women. Infect Immun. 2006 Aug;74(8):4875-83. Organização como autor Indicar os nomes das organizações, separando-as por vírgulas. Thirteenth Pan American Sanitary Conference, Regional Committee, World Health Organization. Bol Oficina Sanit Panam. 1951 Mar;30(3):343-67. Sem autor Inicia-se a referência pelo título. A turning point for neglected tropical disease control. Lancet. 2007 Apr 28;369(9571):1404.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Data Deve-se indicar sempre uma data, seja da publicação ou da impressão, por se tratar de elemento essencial. Se não existir a data, utilize a expressão sem data de forma abreviada e entre colchetes. Ex. [s.d.] Editor, compilador ou coordenador como autor de livro Fazer a indicação após o último nome. Amato Neto V, Nicodemo AC, Lopes HV, editores. Antibióticos na prática médica. 6ªed. São Paulo: Sarvier; 2007. Edição Para ser indicada na referência, deve-se considerar somente a partir da segunda edição do livro e no idioma da publicação. Utiliza-se o número ordinal sem o ponto e a palavra edição, ambos abreviados. Quando houver a indicação de revisões, estes dados, também, devem ser mencionados.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Editora / Casa publicadora O nome da editora deve ser mencionado como aparece na publicação, abreviando-se os prenomes e as designações comerciais (Editora, Livraria, Ltda., S.A.) podem ser suprimidas. Espaçamento nas linhas Digitar as referências com espaço simples entre as linhas e dar espaço duplo entre elas para separá-las entre si. Espaçamento entre as informações Não utilize espaço entre a informação que se inicia no ano da publicação até a que engloba a paginação e finalize com ponto final. Exemplo: 2007;20(4):160-74. Local da publicação Manter o nome da cidade de conforme aparece na publicação.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Ordenação das referências As referências devem ser numeradas consecutivamente, de acordo com a ordem em que forem citadas pela primeira vez no texto. Identifique as referências no texto com números arábicos entre parênteses. Os diferentes trabalhos de mesma autoria deverão ser repetidos a autoria e ordenados cronologicamente. Paginação São indicadas as páginas finais e iniciais do documento, sem considerar as repetições das dezenas, centenas ou milhares. Se o periódico tem paginação contínua durante a publicação de um volume, o mês e o número podem ser omitidos. A paginação em numerais romanos é indicada em algarismos romanos, conforme aparece no documento. Para indicação de partes de uma obra são colocadas as páginas inicial e final precedidas da abreviação “p.”. Exemplo: p. 593-9.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Título da obra O título e o subtítulo, quando existir, devem ser reproduzidos exatamente como se encontram no material referenciado, separados por dois pontos. A letra maiúscula deve ser utilizada somente na inicial da primeira palavra do título e as demais palavras devem ser grafadas em minúsculo, exceto para substantivos próprios. Título do periódico O recurso tipográfico (negrito, grifo ou itálico) utilizado para destacar não deve ser utilizado no título do periódico. Os títulos das revistas devem ser abreviados de acordo com o estilo adotado no Index Medicus/Medline/PubMed http://www.nlm.nih.gov/tsd/serials/lji.html, para os títulos de periódicos nacionais e latino-americanos recomenda-se o site http://portal.revistas.bvs.br .

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS MODELOS DE REFERÊNCIAS MAIS COMUNS Artigo de Periódico REGRA BÁSICA Sobrenome Prenome. Titulo do artigo. Titulo do periódico. Ano; volume(número):páginas inicial-final. Tovosia S, Chen PH, Ko AM, Tu HP, Tsai PC, Ko YC. Prevalence and associated factors of betel quid use in the Solomon Islands: a hyperendemic area for oral and pharyngeal cancer. Am J Trop Med Hyg. 2007 Sep;77(3):586-90. Se o periódico possui paginação contínua, o mês e o número do fascículo podem ser omitidos. Tovosia S, Chen PH, Ko AM, Tu HP, Tsai PC, Ko YC. Prevalence and associated factors of betel quid use in the Solomon Islands: a hyperendemic area for oral and pharyngeal cancer. Am J Trop Med Hyg. 2007;77:586-90.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS A última palavra do título do periódico sempre leva ponto final, mesmo que seja única. Ex. Lancet. Sem a indicação de volume, considera-se o número do fascículo. Ezzet KA, Garcia R, Barrack RL. Effect of component fixation method on osteolysis in total knee arthroplasty. Clin Orthop Relat Res. 1995 Dec;(321):86-91. Sem a indicação de volume e do número do fascículo, consideram-se as páginas. Lotze MT. Molecular biology and clinical applications to cancer. Curr Opin Gen Surg. 1994:245-54. Se o periódico não possui numeração consecutiva das páginas, torna-se necessário indicar o mês da publicação. Hannay J. Providing HIV/AIDS care in a changing environment. Evaluation: morecrucial than ever. HRSA Careaction. 2005 Mar:1-8. Adherence and HIV/AIDS. HRSA Careaction. 2005 May:1-8.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Fascículo/Número especial Pohar SL, Majumdar SR, Johnson JA. Health care costs and mortality for Canadian urban and rural patients with diabetes: population-based trends from 1993-2001. ClinTher. 2007;29(Spec No):1316-24. Fracolli LA, Granja GF. A utilização da categoria processo de trabalho pela enfermagem brasileira: uma análise. Rev. Esc. Enferm. USP. 2005;39(N Esp):597-602 . Fascículo/Número com suplemento Goh YI, Koren G. Prenatal supplementation with multivitamins and the incidence of pediatric cancers: clinical and methodological considerations. Pediatr Blood Cancer.2008 Feb;50(2 Suppl):487-9. Jauhiainen T, Korpela R. Milk peptides and blood pressure. J Nutr. 2007 Mar;137(3Suppl 2):825S-9.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Fascículo em partes Metzner C, Raupach C, Zitterbart DP, Fabry B. Simple model of cytoskeletal fluctuations. Phys Rev E Stat Nonlin Soft Matter Phys. 2007 Aug;76(2 Pt 1):021925. Moss J, Berner ES, Savell K. A mobile data collection tool for workflow analysis. Medinfo. 2007;12(Pt 1):48-52. Volume com suplemento Maljaars J, Peters HP, Masclee AM. Review article: The gastrointestinal tract: neuroendocrine regulation of satiety and food intake. Aliment Pharmacol Ther. 2007 Dec;26 Suppl 2:241-50. Finger C. Health care in indigenous populations: the Xingu Indian park. Lancet. 2003 Dec;362 Suppl:s38-9. Coura JR, Rosário VE. Foreword. Mem Inst Oswaldo Cruz. 2007 Oct;102 Suppl 1:3.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Volume em partes Peng J, Dabiri JO. An overview of a Lagrangian method for analysis of animal wake dynamics. J Exp Biol. 2008 Jan;211(Pt 2):280-7. Volume especial Donegan TJ Jr. Fifty years of cosmetic safety: a government and industry partnership. Food Drug Law J. 1995;50 Spec:151-62. Paginação em algarismos romanos Drake M, Webber R, Gardiner F, Fitzpatrick JM. Launch of the new BJU International website. BJU Int. 2008 Jan;101(2):i-ii.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Artigo no prelo (in press) Pappas G, Kiriaze IJ, Falagas ME. Insights into infectious disease in the era of Hippocrates. Int J Infect Dis. In Press 2008. Curry EM, Yehia M, Roberts S. CAPD peritonitis caused by mycobacterium rhodesiae. Perit Dial Int. 2008;28(1). In Press. Macedo JL, Santos JB. Predictive factors of mortality in burn patients. Rev Inst Med Trop Sao Paulo. No prelo 2007. Fonseca JCF. História natural da hepatite crônica B. Rev Soc Bras Med Trop.2007;40(5). No prelo.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Artigo com errata (erratum) publicado Scuderi A, Letsou A. Amnioserosa is required for dorsal closure in Drosophila. Dev Dyn. 2005 Mar;232(3):791-800. Erratum in: Dev Dyn. 2005 May;233(1):249. Monografia (Livros, Manuais, Folhetos, Dicionários, Guias) REGRA BÁSICA Sobrenome Prenome do(s) autor(es). Título do livro. Edição (se houver). Cidade:Editora; Ano. Lewin B. Genes IX. Boston: Jones and Bartlett; 2008.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Capítulo de livro com a mesma autoria da obra no todo REGRA BÁSICA Sobrenome Prenome do(s) autor(es) do livro. Título do livro. Edição (se houver). Cidade: Editora; Ano. Título do capítulo; paginação. Rey L. Bases da parasitologia médica. 2ªed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2002. Malária: epidemiologia e controle; p. 134-45. 4.2.2 Capítulo de livro com autoria diferente da obra no todo REGRA BÁSICA Sobrenome Prenome do(s) autor(es) do capítulo. Título do capítulo. In: Sobrenome Prenome do(s) autor(es) do livro. Título do livro. Edição (se houver). Cidade: Editora;Ano. Paginação do capítulo Saraiva PJ. Hidatidose. In: Ferreira AW, Ávila SLM, editores. Diagnóstico laboratorial.Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1996. p. 201-7.

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Trabalho acadêmico (Teses, Dissertações, Memoriais, Trabalho de Conclusão de Curso) REGRA BÁSICA Sobrenome Prenome (do autor). Título: subtítulo [categoria]. Cidade: Instituição; ano. Silva RR. O Projeto UNI e os Movimentos populares de saúde na região sul de Londrina [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública; 1999. Se : Mestrado [dissertação], Tese de doutorado [tese], Tese de livre-docência [tese de livre-docência], Tese PhD [PhD Thesis], TCC [monografia]

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Jornal REGRA BÁSICA Sobrenome Prenome do(s) autor(es) da matéria. Título da matéria. Título do jornal. Ano mês e dia: Seção ou Caderno: paginação. Fonte: Citing Medicine at http://www.nlm.nih.gov/citingmedicine Nanofio de silício captura calor para geral energia: princípio poderá ser usado para evitar perda energética na queima de combustíveis. Folha de S. Paulo. 2008 Jan 10:Ciência:p.A14 .

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Evento REGRA BÁSICA Tipo de publicação seguido do Número e Título do evento; Data da realização do evento; Cidade de realização do evento (se necessário estado ou país entre parênteses). Local de publicação: Editora; Ano de publicação. Evento considerado no todo, a entrada é pelo título do evento. Proceedings of the 10th Congress of the European Society for Gynaecological Endoscopy; 2001 Nov 22-24; Lisbon, Portugal. Bologna (Italy): Monduzzi Editore, International Proceedings Division; c2001. IV Conferencia Latinoamericana de población, 1993 Mar 23-26 mar; Ciudad de Mexico. [s.l]: Instituto Nacional de Estadística, Geografía e Informática; 1993. 26º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical; 1990 mar 4-8; Natal, RN .

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Evento considerado no todo e publicado em periódico Proceedings of the 10th annual meeting of the Canadian Society for Pharmaceutical Sciences. J Pharm Pharm Sci. 2007 Dec 3;10(4):1s-186s. Proceedings and abstracts of the 3rd European Clinical Symposium on Tissue Engineering and Bone Regeneration, 14-16 September 2006. Injury. 2006 Sep;37 Suppl 3:S1-56. Stress responses in biology and medicine. Proceedings of the 2nd World Conference on Stress, August 23-26, 2007, Budapest, Hungary. Ann N Y Acad Sci. 2007 Oct;1113:1-364. Dostrovsky JO, Carr DB, Koltzenburg M, editors. Proceedings of the 10th World Congress on Pain; 2002 Aug 17-22; San Diego, CA. Seattle: IASP Press; c2003. 937 p. (Progress in pain research and management; vol. 24).

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Trabalho de evento publicado em periódico Jakovljevic M. Contemporary psychopharmacotherapy in the context of brave new psychiatry, well-being therapy and life coaching. In: Proceedings of the Third Croatian Congress on Psychopharmacotherapy. September 26-27, 2007. Sibenik, Croatia.; 2007. p. 195-244. (Psychiatria Danubina; vol. 19, no.3). Amarante JMB. Marcadores sorológicos do vírus b da hepatite em pacientes com aids. In: 23º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical e 6º Congresso da Sociedade Brasileira de Infectologia, 1987; Curitiba: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical; 1987 Fev 15-20. p. 41. (Revista Sociedade Brasileira de Medicina Tropical;vol.20; supl.)

REFERÊNCIAS:

REFERÊNCIAS Trabalho de evento Berger H, Klemm M. Clinical signs of gastric ulcers and its relation to incidence [abstract]. In: Chuit P, Kuffer A, Montavon S, editors. 8th Congress on Equine Medicine and Surgery; 2003 Dec 16-18; Geneva, Switzerland. Ithaca (NY):International Veterinary Information Service (IVIS); 2003. p. 45. Arendt, T. Alzheimer's disease as a disorder of dynamic brain self-organization. In: van Pelt J, Kamermans M, Levelt CN, van Ooyen A, Ramakers GJ, Roelfsema PR, editors. Development, dynamics, and pathology of neuronal networks: from molecules to functional circuits. Proceedings of the 23rd International Summer School of Brain Research; 2003 Aug 25-29; Royal Netherlands Academy of Arts and Sciences, Amsterdam, the Netherlands. Amsterdam (Netherlands): Elsevier; 2005. p. 355-78.

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO:

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO Meio eletrônico Periódico Godoy I, Meira DA. Soroprevalência da infecção chagásica em moradores de municípios da região de Botucatu, Estado de São Paulo. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [Internet]. 2007 Out [citado 2008 Jan 11];40(5):516-20. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v40n5/a05v40n5.pdf

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO:

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO Meio eletrônico Monografia (Livro) Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Leishmaniose visceral grave: normas e condutas [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde, 2006. [citado 2008 Jan 7]. 60 p. (Série A. Normas e Manuais Técnicos). Disponível em: http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/06_0072_M.pdf

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO:

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO Meio eletrônico Dissertações e teses

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO:

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO Meio eletrônico Matéria Publicada na Internet

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO:

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO Meio eletrônico Site ou parte de Site

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO:

REFERÊNCIAS – MEIO ELETRÔNICO Meio eletrônico DVD ou CD-ROOM

REFERÊNCIAS – MAIS INFORMAÇÕES:

REFERÊNCIAS – MAIS INFORMAÇÕES Consulte exemplos de referências bibliográficas nos seguintes endereços eletrônicos: http://www.nlm.nih.gov/citingmedicine http://www.nlm.nih.gov/bsd/uniform_requirements.html Consulte os artigos: Guimarães CA. Normas para manuscritos submetidos às revistas biomédicas: escrita e edição da publicação biomédica (tradução integral do texto). Rev Col Bras Cir. [Internet]. 2006 Out [citado 2008 Jan 11];33(5):318-35. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rcbc/v33n5/v33n5a13.pdf Rother ET, Braga MER. O novo estilo de Vancouver: o que mudou nas referências. Arq Bras Oftalmol. [Internet]. 2004 Ago [citado 2008 Jan 11];67(4):692-4. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abo/v67n4/21423.pdf

REFERÊNCIAS – MAIS INFORMAÇÕES:

REFERÊNCIAS – MAIS INFORMAÇÕES DÚVIDAS: biblioteca@metodistademinas.edu.br 31-32447214 / 32447224 OBRIGADA!

authorStream Live Help