NOSSOS CAMINHOS

Views:
 
Category: Others/ Misc
     
 

Presentation Description

Love you Andreia

Comments

Presentation Transcript

NOSSOS CAMINHOS:

NOSSOS CAMINHOS POEMA: Anderson Costa

Quando olhos encontram-se por obra do acaso; Quando mãos se entrelaçam por obra do destino; Quando corpos unem-se por instinto; Não temos como fugir; A entrega é total; A entrega é incontrolável; :

Quando olhos encontram-se por obra do acaso; Quando mãos se entrelaçam por obra do destino; Quando corpos unem-se por instinto; Não temos como fugir; A entrega é total; A entrega é incontrolável;

Seus lábios tocando os meus lentamente; Provocando os mais intensos suspiros; Suspiros de prazer; Tornando a entrega delirante; Delírios de satisfação; Você e eu juntos em um momento inexplicável; Em um momento único; :

Seus lábios tocando os meus lentamente; Provocando os mais intensos suspiros; Suspiros de prazer; Tornando a entrega delirante; Delírios de satisfação; Você e eu juntos em um momento inexplicável; Em um momento único;

Onde a eternidade nos chama para sonhar; Sonhar, sonhos jamais imaginados; Sonhos antes intocáveis; Nossos corpos entregando-se em uma loucura total; Onde a alma se rende a todos os momentos vividos; Onde nada mais existe somente você e eu; Nada mais importa somente suas carícias; :

Onde a eternidade nos chama para sonhar; Sonhar, sonhos jamais imaginados; Sonhos antes intocáveis; Nossos corpos entregando-se em uma loucura total; Onde a alma se rende a todos os momentos vividos; Onde nada mais existe somente você e eu; Nada mais importa somente suas carícias;

Esquecendo-nos do que somos e esquecendo-nos da vida que levamos; Nossos corpos ardendo de desejo; Sem que saibamos o porquê de tanto desejo; Sem entender o porquê de nossos passos; A eternidade nos chama; Chama-nos para vibrar, chama-nos para querer um ao outro; Caminhos que se cruzaram, destinos que se encontraram; Olhares que se atraíram; :

Esquecendo-nos do que somos e esquecendo-nos da vida que levamos; Nossos corpos ardendo de desejo; Sem que saibamos o porquê de tanto desejo; Sem entender o porquê de nossos passos; A eternidade nos chama; Chama-nos para vibrar, chama-nos para querer um ao outro; Caminhos que se cruzaram, destinos que se encontraram; Olhares que se atraíram;

Os por quês de tudo, não sabemos; Eu não tenho como explicar; Mesmo sem saber nossos corpos se procuraram, eles desejaram-se em uma explosão mágica; Onde você me quis e eu com toda a força te desejei; Sentimentos que nos aproximaram em um momento único, em um momento só nosso; :

Os por quês de tudo, não sabemos; Eu não tenho como explicar; Mesmo sem saber nossos corpos se procuraram, eles desejaram-se em uma explosão mágica; Onde você me quis e eu com toda a força te desejei; Sentimentos que nos aproximaram em um momento único, em um momento só nosso;

Tornando-nos cúmplices do querer; Tornando nossos destinos impossíveis de serem desvendados; E tornando nossas vidas uma só, em um momento só nosso; Em um momento que nós sabemos o que desejar;   :

Tornando-nos cúmplices do querer; Tornando nossos destinos impossíveis de serem desvendados; E tornando nossas vidas uma só, em um momento só nosso; Em um momento que nós sabemos o que desejar;

E hoje, nossos caminhos nos guiam para o mesmo destino; destino do desejo de se encontrar, amar e viver, intensamente o nosso momento.:

E hoje, nossos caminhos nos guiam para o mesmo destino; destino do desejo de se encontrar, amar e viver, intensamente o nosso momento. POEMA: SABRINA PAZ MERKEL MÚSICA: November rain

authorStream Live Help