Trabalho Geografia - Grupo 5

Views:
 
Category: Education
     
 

Presentation Description

No description available.

Comments

Presentation Transcript

Slide 1:

A expansão da fronteira agrícola na Amazônia Geografia - Prof ª Andréia

Slide 2:

A agropecuária atravessa uma fase de transição, como conseqüência dos processos de globalização da economia mundial, na qual os impactos ambientais e a ineficiência econômica terão que ser amplamente substituídos por sistemas produtivos mais sustentáveis.

Slide 3:

Contudo, a agricultura itinerante ou migratória, atualmente, está sendo realizada em cerca de 30% dos solos agriculturáveis do planeta e proporciona a subsistência para uma população estimada em mais de 250 milhões de pessoas, notadamente aquelas dos países mais pobres.

Slide 4:

Na região amazônica, a agricultura itinerante permanece ainda como um dos sistemas de uso da terra mais importante, tanto sob o ponto de vista econômico - responsável por pelo menos, 80% da produção de alimento total da região - como também pela quantidade de pessoas que dela dependem direta ou indiretamente.

Slide 5:

É um sistema tradicional de agricultura desenvolvida e praticada em quase toda a região por, pelo menos, 600 mil pequenos agricultores, produzindo principalmente, feijão, mandioca, arroz, milho, malva, juta, frutas, algodão entre outros produtos.

Slide 6:

Grandes áreas de florestas na Amazônia tem sido desmatadas para a prática da agricultura migratória.

Slide 7:

Estudos realizados pela Embrapa Amazônia Oriental demonstram que, apesar das pequenas áreas individuais usadas na prática desta atividade (entre 10 e 50 ha), os 600 mil produtores, cultivando em média 2 ha por dois anos consecutivos, e deixando esses 2 ha em pousio por cerca de 10 anos, provavelmente tenham provocado no mínimo o desmatamento de 1/5 do total desmatado na Amazônia, num processo que pode ser chamado de "desmatamento silencioso" .

Slide 8:

A sustentabilidade ambiental e a viabilidade técnico-econômica-social da agricultura itinerante são questionadas, duvidosas e pouco consistentes e, consequentemente, não asseguram as bases fundamentais para o processo de consolidação e expansão do desenvolvimento rural.

Slide 9:

Apesar da sua importância na economia regional, sua expansão tende a declinar, com a diminuição da expansão da fronteira agrícola devido às restrições aos desmatamentos, ao processo de consolidação dos pólos de desenvolvimento, com o aumento da densidade demográfica, o conseqüente aumento de demanda por alimento e da elevação de preços da terra.

Slide 10:

Ademais, os esforços devem ser canalizados para aquelas atividades que priorizem: zoneamento agroecológico, através de simulação e modelagem para a previsão do desempenho dos sistemas agropecuários;

Slide 11:

práticas de proteção e conservação de solos; melhoramento genético de variedades e clones resistentes às pragas e doenças; sistemas agroflorestais sustentáveis;

Slide 12:

exploração de florestas nativas de rendimento sustentável; promoção de alternativas para a diversificação agropecuária e florestal; cultivos múltiplos, intercalares e rotação de culturas; controle biológico de pragas e doenças;

Slide 13:

seleção de espécias florestais para a produção de carvão vegetal; melhoria do rendimento do extrativismo; desenvolvimento da agricultura em várzeas e avaliação dos impactos ambientais decorrentes de projetos de investimento na Amazônia.

Slide 14:

aumento do tempo de utilização das áreas desmatadas; recuperação de pastagens e de outras áreas degradadas; domesticação dos recursos genéticos atuais e potenciais; avaliação biológica e química das espécies amazônicas;

Slide 15:

A Amazônia é formada também principalmente por pessoas. Além de toda a beleza exótica da floresta, existe por lá um panteão de vida, de diversidade, de riqueza cultural que pouco se vê em outros lugares do mundo.

Slide 16:

Não foram apenas ambientalistas que morreram nos últimos dias defendendo a Amazônia, foram pessoas que tombaram diante de um modelo nefasto de desenvolvimento que premia escravagistas, grileiros e madereiros assassinos.

Slide 18:

Para quem não conhecia, este era Zé Claudio Ribeiro, extrativista da Amazônia assassinado em 23/05/2011 junto com a sua esposa, um dia antes da aprovação do texto do Novo Código Florestal pela Câmara Federal.

Slide 19:

Ele lutava com unhas e dentes pela preservação da Floresta Amazônica e pelo uso sustentável da mesma. Batia de frente com os madeireiros e carvoeiros da região.

Slide 20:

Sua morte já estava anunciada, como ele mesmo diz nesse vídeo. (...)

Slide 21:

Contudo, talvez até mais triste que a sua própria morte, foi quando o Deputado Federal Sarney Filho (PV), em meio às discussões sobre o Novo Código Florestal, subiu ao palanque para comunicar o ocorrido, ele foi recebido com uma sonora vaia proveniente da bancada ruralista e dos ruralistas que estavam presentes nas galerias do Congresso Nacional.

Slide 22:

Bibliografia http://www.agronline.com.br/artigos/artigo. php ?id=44 http://www.terrachamando.com/index. php ? option = com_content&view = article&id =324: ze-claudio-ribeiro-assassinado&catid =60: codigo-florestal&Itemid =67

Slide 23:

Alunas: Flávia dos Santos Felisbino Maria Eduarda Borges Stéfane Susana Conceição Alves Viviane de Souza Ignácio Série 2º 5

authorStream Live Help