Acre

Views:
 
Category: Entertainment
     
 

Presentation Description

No description available.

Comments

Presentation Transcript

PowerPoint Presentation:

Ria Slides AQUELE QUE LUTOU PARA SER BRASILEIRO ESTADO DO ACRE (Você está escutando um trecho do Hino Acreano) Clique para avançar

PowerPoint Presentation:

Ria Slides Esta é uma história real. Uma história do nosso povo. A história da conquista e criação do Acre. O Estado que se tornou brasileiro por vontade própria.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides O território do atual Estado do Acre pertencia à Bolívia. Era uma área praticamente esquecida, despovoada e inexplorada, com densa floresta rica em seringueiras. E assim permaneceu até que a prosperidade do comércio mundial da borracha despertou o interesse pela região.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides A migraçaõ de brasileiros já ocorria desde 1852. Mas intensificou-se a partir de 1877, com grandes levas de brasileiros, principalmente nordestinos, chegando à região, atraídos pelos seringais. Em busca da matéria prima - o látex – eles avançaram cada vez mais pela floresta, desbravando e colonizando o território ainda virgem.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides Pouco a pouco, a colonização brasileira acontecia sem que a Bolívia se desse conta. Muitos anos mais tarde, quando os bolivianos perceberam e decidiram assumir a região, foram rechaçados pelos colonos brasileiros, que não aceitavam se submeter.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides À partir de então sucederam-se revoltas armadas envolvendo a totalidade da população brasileira local.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides E eles lutaram bravamente, sem qualquer apoio do governo brasileiro, que preferiu respeitar o tratado internacional de Ayacucho (1867), o qual dava à Bolívia a posse da região. Decepcionados com a falta de apoio, os colonos optaram por criar uma república independente.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides A primeira República Independente do Acre foi proclamada por Galvez, em 1899. Mas teve curta duração pois logo a seguir o Brasil enviou tropas que dissolveram a nova república e devolveram a região à Bolívia. No ano seguinte foi criada a segunda República Independente do Acre, logo dissolvida por forças bolivianas

PowerPoint Presentation:

Ria Slides Foi então que aconteceu um fato decisivo para a questão da posse daquela área... Em 1901 a Bolívia assinou um contrato de arrendamento do Acre com um sindicato de capitalistas norte-americanos e ingleses, que garantiria ao grupo, chamado de BOLIVIAN SYNDICATE, o total controle sobre a região, inclusive militar.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides A perspectiva de um núcleo estrangeiro encravado na Amazônia Ocidental era inaceitável. Revoltados, os colonos brasileiros decidiram lutar contra as pretensões do Bolivian Syndicate.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides Iniciou-se então a grande epopéia acreana, que teve como herói o gaúcho Plácido de Castro. Comandados por ele, os rebeldes foram tomando toda a região até que, em janeiro de 1903, proclamaram a terceira República do Acre

PowerPoint Presentation:

Ria Slides Desta vez os colonos brasileiros contaram com o apoio do Presidente do Brasil, RODRIGUES ALVES e do seu Ministro do Exterior, o Barão do RIO BRANCO: o governo brasileiro ordenou a ocupação do Acre e estabeleceu um governo militar.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides Graças à diplomacia brasileira, comandada pelo Barão do Rio Branco, os governos do Brasil e da Bolívia assinaram um tratado que dava ao Brasil a posse do Acre. Pelo Tratado de Petrópolis (17 de novembro de 1903) a Bolívia abria mão de todo o Acre em troca de territórios brasileiros do Estado do Mato Grosso, e do pagamento de 2 milhões de libras esterlinas.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides Finalmente o Acre tornara-se Brasileiro!!! Fora conquistado pela coragem e espírito aventureiro dos colonos brasileiros. E firmara-se como solo brasileiro graças à valentia e ao patriotismo desta gente.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides Mas a luta deste bravo povo continuaria... Em seguida veio a luta pela transformação do Acre, de Território Federal para Unidade da Federação, o que só ocorreu no governo do Presidente João Goulart, em 1962.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides Depois, a luta contra o desmatamento para a implantação de grandes áreas de pastagem, que vem agredindo o meio ambiente e destruindo os recursos naturais, meio de subsistência de índios, caboclos e seringueiros.

PowerPoint Presentation:

Ria Slides Nesta luta, que ainda está longe de ser vencida, despontou outro herói acreano - o seringueiro Chico Mendes - assassinado em 1988. Autor do Slide: Ria Ellwanger riaellw@globo.com Música: Hino Acreano (trecho) Imagens: Google Este slide é exclusivo do site Ria Slides Veja, a seguir, a letra do Hino Acreano

PowerPoint Presentation:

Ria Slides HINO ACREANO Que este sol a brilhar soberano Sobre as matas que o vêem com amor Encha o peito de cada acreano De nobreza, constância e valor... Invencíveis e grandes na guerra, Imitemos o exemplo sem par Do amplo rio que briga com a terra Vence-a e entra brigando com o mar Refrão : Fulge um astro na nossa bandeira Que foi tinto no sangue de heróis Adoremos na estrela altaneira O mais belo e o melhor dos faróis Triunfantes da luta voltando Temos n'alma os encantos do céu E na fronte serena, radiante, Imortal e sagrado troféu O Brasil a exultar acompanha Nossos passos portanto é subir Que da glória a divina montanha Tem no cimo o arrebol do porvir (...refrão) Possuímos um bem conquistado Nobremente com armas na mão Se o afrontarem, de cada soldado Surgirá de repente um leão Liberdade é o querido tesouro Que depois do lutar nos seduz Tal o rio que rola, o sol de ouro Lança um manto sublime de luz (...refrão) Vamos ter como prêmio da guerra Um consolo que as penas desfaz Vendo as flores do amor sobre a terra E no céu o arco-íris da paz As esposas e mães carinhosas A esperarem nos lares fiéis Atapetam a porta de rosas E cantando entretecem lauréis (...refrão) Mas se audaz estrangeiro algum dia Nossos brios de novo ofender Lutaremos com a mesma energia Sem recuar, sem cair, sem temer E ergueremos, então, destas zonas Um tal canto vibrante e viril Que será como a voz do Amazonas Ecoando por todo o Brasil (...refrão) Letra: Francisco Mangabeira Música: Mozart Donizetti Voz: Raquel Ribera Sax soprano: Almir do Vale Violão: Dircinei Souza

authorStream Live Help