A_PESSOA_DE_CRISTO_-_ATUALIZADA[1]

Views:
 
Category: Entertainment
     
 

Presentation Description

No description available.

Comments

Presentation Transcript

CTM-IBM:

CTM-IBM Teologia Básica Módulo I 2º semestre 2009

AS DOUTRINAS DE CRISTO E DO ESPÍRITO SANTO A PESSOA DE CRISTO :

AS DOUTRINAS DE CRISTO E DO ESPÍRITO SANTO A PESSOA DE CRISTO A Humanidade de Cristo A Divindade de Cristo A Encarnação: Divindade e Humanidade na Única Pessoa de Cristo

A) A HUMANIDADE DE CRISTO:

A) A HUMANIDADE DE CRISTO

Mateus 1:18-20 “Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: estando Maria, sua mãe, desposada com José, sem que tivessem antes coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo. Mas José, seu esposo, sendo justo e não a querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente. Enquanto ponderava esta coisas, eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo”.:

Mateus 1:18-20 “Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: estando Maria, sua mãe, desposada com José, sem que tivessem antes coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo. Mas José, seu esposo, sendo justo e não a querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente. Enquanto ponderava esta coisas, eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo”. 1.O NASCIMENTO VIRGINAL

Lucas 1:34-35 “Então, disse Maria ao anjo: Como será isto, pois não tenho relação com homem algum? Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso o ente Santo que há de nascer será chamado Filho de Deus”.:

Lucas 1:34-35 “Então, disse Maria ao anjo: Como será isto, pois não tenho relação com homem algum? Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso o ente Santo que há de nascer será chamado Filho de Deus”.

:

Importância do Nascimento virginal Mostra que a solução deve vir do Senhor. Vê-se cumprir a profecia de Gn 3:15. O nascimento virginal mostra que a salvação jamais pode vir por meio de esforço humano, mas é obra do próprio Deus desde a concepção. Gn 3:15 “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”.

Possibilitou a união da plena divindade e da plena humanidade em uma só pessoa. Esse foi o meio de empregado por Deus para enviar seu filho ao mundo como homem. Gl 4:4-5 “vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos”. :

Possibilitou a união da plena divindade e da plena humanidade em uma só pessoa . Esse foi o meio de empregado por Deus para enviar seu filho ao mundo como homem. Gl 4:4-5 “vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos”. O nascimento virginal também torna possível a verdadeira humanidade de Cristo sem a herança do pecado. Jesus tem mãe humana e pai divino. Isso nos ajuda a compreender porque a culpa legal e a corrupção moral que pertencem a todos os seres humanos não pertencem a Cristo. Jesus não herdou a herança do pecado da raça humana através de Adão.

:

Deus poderia tê-lo gerado humano no céu e enviá-lo à terra. Nesse caso Jesus não fatia parte da raça humana que descende fisicamente de Adão. Seria difícil para nós vê-lo como homem. Deus poderia tê-lo gerado de pai e mãe humanos e ter comunicado a sua divindade a ele. Nesse caso, seria difícil para nós entendê-lo e aceitá-lo como Deus. Só sendo gerado de maneira sobrenatural e independente da vontade humana é que podemos aceitar e crer em Jesus como 100% homem e 100% Deus em uma pessoa.

O fato de Jesus ter sido gerado do Espírito Santo, ele foi chamado SANTO. Lc 1:34-35 :

O fato de Jesus ter sido gerado do Espírito Santo, ele foi chamado SANTO. Lc 1:34-35 Porque o Espírito Santo realizou a concepção de Jesus no ventre de Maria, o menino foi chamado “Santo”. No caso de Jesus, dessa concepção sobrenatural a linha contínua de Adão como herança do pecado original foi interrompida e a concepção pelo Espírito Santo (Lc1:35) liga Jesus com a Santidade ou pureza moral de Cristo. Essa interrupção foi o método empregado por Deus para fazer com que Jesus fosse plenamente humano e mesmo assim, não partilhasse do pecado herdado de Adão.

2.FRAQUEZAS E LIMITAÇÕES HUMANAS :

2.FRAQUEZAS E LIMITAÇÕES HUMANAS a) Jesus possuía um corpo humano Nasceu como nascem todos os bebês. Lc 2.7 Passou da infância para a maturidade. Lc 2: 40 e 52 Visto e tocado por homens. I Jo 1:1; Mt 26:12 Cansou. Jo 4:6 Teve sede e fome. Jo 19:28; Mt 4.2 Morreu. Lc 23.46

b) Jesus possuía mente humana :

b) Jesus possuía mente humana Cresceu em sabedoria. Lc 2.52 O processo de desenvolvimento normal fazia parte da genuína humanidade de Cristo. Hb 5:8 “embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu...”

C) Jesus Possuía alma humana e emoções humanas :

C) Jesus Possuía alma humana e emoções humanas Angustiou-se. Jo 13:21 Sentiu tristeza e chorou. Mt 26:38 e Jo11:35 Admirou-se ao perceber a fé nas pessoas. Mt 8.10 Orou com o coração repleto de emoção. Hb 5:7

d) As pessoas próximas a Jesus o consideravam apenas humano :

d) As pessoas próximas a Jesus o consideravam apenas humano Os vizinhos e amigos viam Jesus como um homem comum: O Carpinteiro. Mc 6:3 O filho do carpinteiro e um deles. Mt 13:55-56 Nem seus irmãos criam nele. Jo 7:5

Slide 14:

Nos seus primeiros 30 anos, Jesus levou uma vida humana tão normal que as pessoas de Nazaré, que o conheciam, ficaram surpresas ao ver Jesus ensinar com autoridade e realizar milagres.

3. IMPECABILIDADE :

3. IMPECABILIDADE O autor de Hebreus afirma que Jesus foi tentado mas, ao mesmo tempo, insiste que ele não pecou.

Hebreus 4:15 “Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado”. Hebreus 7:26 “Com efeito, nos convinha um sumo sacerdote como este, santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores e feito mais alto do que os céus,...” :

Hebreus 4:15 “Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado”. Hebreus 7:26 “Com efeito, nos convinha um sumo sacerdote como este, santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores e feito mais alto do que os céus,...”

I Pedro 1:19 “mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo,...” I Pedro 2:22 “o qual não cometeu pecado nem dolo algum se achou na sua boca”; É difícil negar, portanto, que a impecabilidade de Cristo é ensinada de maneira clara em todas as seções importantes do Novo Testamento. Ele era realmente humano mas sem pecado. :

I Pedro 1:19 “mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo,...” I Pedro 2:22 “o qual não cometeu pecado nem dolo algum se achou na sua boca”; É difícil negar, portanto, que a impecabilidade de Cristo é ensinada de maneira clara em todas as seções importantes do Novo Testamento. Ele era realmente humano mas sem pecado.

Sobre a tentação de Jesus :

Sobre a tentação de Jesus A intenção de satanás ao tentar Jesus para transformar pedra em pães era fazer com exercesse sua Divindade antes da hora para satisfazer sua humanidade. O que Jesus não fez. ( Lc 4:3) A tentação de curvar-se e cultuar a satanás por um momento ( Lc 4:6) era a tentação de receber o poder não pelo caminho da obediência vitalícia a seu Pai Celestial, mas pela submissão ilícita ao príncipe das trevas. Escolheu a Cruz. Aleluia! A tentação de Jogar-se do Pináculo do Templo ( Lc 4:9) era a tentação de forçar Deus a realizar um milagre e resgatá-lo de maneira espetacular, atraindo a atenção do povo, sem prosseguir no seu caminho ministerial por 3 anos, ensinando com autoridade, curando as pessoas e sendo exemplo.

“Pois, naquilo que ele mesmo sofreu tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados”. (Hb 2:18) :

“Pois, naquilo que ele mesmo sofreu tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados”. ( Hb 2:18) Aplicação prática: Em toda situação em que estivermos lutando contra tentação, devemos refletir sobre a vida de Jesus e perguntar se não houve situações semelhantes enfrentadas por ele.

4. JESUS PODERIA TER PECADO? :

4. JESUS PODERIA TER PECADO? O propósito principal da encarnação do Logos não era o de ser capaz de pecar à semelhança dos homens, mas de identificar-se com o homem em sua humanidade e perdoar os pecados dos tais e reconciliá-los com Deus.

Tiago 1: 13b diz: “porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta”. :

Tiago 1: 13b diz: “porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta”. Podemos analisar que Cristo sendo Deus, se pudesse pecar, Deus, poderia pecar (o que é impossível, pois é totalmente Santo) e assim, Jesus não poderia levar os nossos pecados expiatoriamente. Nem o pai pode pecar, nem o Filho pode pecar, e nem o Espírito Santo pode pecar. O pecado não tem qualquer acesso à Deus. A união da natureza humana e Divina em uma Pessoa o impedia de pecar. A natureza divina de Jesus não podia ser tentada pelo mal, mas sua natureza humana podia, e é claro que foi tentada.

5. POR QUE ERA NECESSÁRIO QUE JESUS FOSSE PLENAMENTE HUMANO? :

5. POR QUE ERA NECESSÁRIO QUE JESUS FOSSE PLENAMENTE HUMANO? Para possibilitar uma obediência representativa: Rm 5:18-19 “Pois assim como por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de Justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só muitos se tornarão justos”.

Slide 23:

É esse o motivo pelo qual o Paulo chama Cristo “o último Adão” (I co 15:45) “Pois assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente. O último Adão, porém é espírito vivificante”. e o “segundo homem” (I co 15:47). “O primeiro homem, formado da terra, é terreno; o segundo homem é do céu”. Jesus tinha de ser homem para ser nosso representante e obedecer em nosso lugar.

b) Para ser um sacrifício substitutivo :

b) Para ser um sacrifício substitutivo Hb 2:16-17 “Pois ele, evidentemente, não socorre anjos, mas socorre a descendência de Abraão. Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo”. Se Jesus não tivesse sido homem não poderia ter morrido em nosso lugar e pago a penalidade que nos cabia. Ele não poderia ter sido um sacrifício substitutivo para nós.

c) Para ser o único mediador entre Deus e os homens :

c) Para ser o único mediador entre Deus e os homens 1 Tm 2:5 “Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”. Para cumprir essa função de Mediador, Jesus tinha de ser plenamente homem e plenamente Deus.

Slide 26:

Hb 2: 8-9 “ Todas as coisas sujeitastes debaixo dos seus pés. Ora, desde que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou fora do seu domínio. Agora porém, ainda não vemos todas as coisas a ele sujeitas; vemos, todavia, aquele que, por um pouco, tendo sido feito menor do anjos, Jesus, por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todo homem”. Jesus tinha que ser homem para cumprir o propósito original de Deus de que o homem dominasse sobre toda a criação . d) Para cumprir o propósito original do homem de dominar a criação.

e) Para ser nosso exemplo e Padrão de vida :

e) Para ser nosso exemplo e Padrão de vida Correr a carreira da fé (Hb 12:2) “Olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus”. Passar pela morte (Fp 3:10) “ para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte; Nosso alvo deve ser a conformidade com Cristo, em nossos dias, até a morte, e morrer com obediência inabalável a Deus, com forte confiança nele e com amor e perdão aos outros.

f) Para ser o padrão do nosso corpo redimido :

f) Para ser o padrão do nosso corpo redimido 1 Co 15: 42-44 “Pois assim também é a ressurreição dos mortos. Semeia-se o corpo na corrupção, ressuscita na incorrupção. Semeia-se em desonra, ressuscita em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscita em poder. Semeia-se corpo natural, ressuscita corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual”. Esse novo corpo é padrão do que será nosso corpo quando formos ressuscitados dos mortos

Slide 29:

1 Co 15:23 “ Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda”. Jesus é as primícias . Temos agora um corpo físico como o de Adão, mas teremos como o de Cristo. Jesus tinha de ser ressuscitado como homem para ser “o primogênito de entre os mortos para ser o padrão para o corpo que teremos mais tarde. Aleluia!

g)Para compadecer-se como sumo sacerdote :

g)Para compadecer-se como sumo sacerdote Hb 2:18 “ Pois, naquilo que ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados”.

6. JESUS SERÁ HOMEM PARA SEMPRE Jesus não deixou sua natureza humana após sua ressurreição, apesar de estar glorificado. Jesus permanecerá para sempre plenamente Deus e plenamente homem, e ainda uma só pessoa. :

6. JESUS SERÁ HOMEM PARA SEMPRE Jesus não deixou sua natureza humana após sua ressurreição, apesar de estar glorificado. Jesus permanecerá para sempre plenamente Deus e plenamente homem, e ainda uma só pessoa.

B) A DIVINDADE DE CRISTO:

B) A DIVINDADE DE CRISTO

Estudamos o que a Bíblia mostra sobre a humanidade de Cristo e agora vamos estudar sobre a sua Divindade.   1. ALEGAÇÕES BÍBLICAS DIRETAS   a) A Palavra Deus (theos) atribuída a Cristo. b) A Palavra Senhor (Kyrios) atribuída a Cristo. c) Outras fortes alegações da Divindade. :

Estudamos o que a Bíblia mostra sobre a humanidade de Cristo e agora vamos estudar sobre a sua Divindade. 1. ALEGAÇÕES BÍBLICAS DIRETAS a) A Palavra Deus (theos) atribuída a Cristo . b) A Palavra Senhor (Kyrios) atribuída a Cristo . c) Outras fortes alegações da Divindade.

a)A Palavra Deus (theos) atribuída a Cristo.:

a)A Palavra Deus (theos) atribuída a Cristo . Theos é uma palavra Grega que significa Deus. Utilizada num sentido daquele que é O Senhor do céu e da terra, o governante de tudo. Jo 1:1 “ No principio era o verbo, e o verbo estava com Deus e o verbo era Deus ”. Jo 1:18 “ Ninguém jamais viu a Deus; o Deus Unigênito , que está no seio do Pai é quem o revelou. Jo 20:28 “ Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu !” Rm 9:5 “ “ deles são os patriarcas, e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos , Deus Bendito para todo o sempre. Amém!”

a)A Palavra Deus (theos) atribuída a Cristo.:

a)A Palavra Deus (theos) atribuída a Cristo . Tt 2:13 “Aguardando a Bendita esperança e a manifestação da Glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus”. Hb 1:8 “Mas acerca do Filho: o teu trono , ó Deus , é para todo sempre; e : cetro de equidade é o cetro do seu reino”. 2 Pe 1:1 “ Simão Pedro, servo e apostolo de Jesus Cristo, aos que conosco obtiveram fé igualmente preciosa na justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo”. Isaías 9:6 “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome ser: ‘Maravilhoso conselheiro , Deus Forte , Pai da Eternidade e Príncipe da Paz”.

b) A Palavra Senhor (Kyrios) atribuída a Cristo. :

b) A Palavra Senhor (Kyrios) atribuída a Cristo . Kyrios é uma Palavra Grega que significa Senhor. As vezes pode simplesmente significar patrão de um servo ou escravo: Mt 21:40 “Quando vier o Senhor da Vinha , que fará aqueles homens?” Como tratamento respeitoso dispensado a um superior: Mt 13:27 “Então vindo os servos do dono da casa, lhe disseram: Senhor, não semeaste boa semente no seu campo?

b) A Palavra Senhor (Kyrios) atribuída a Cristo. :

b) A Palavra Senhor (Kyrios) atribuída a Cristo . Utilizada para traduzir a versão Grega do AT (Septuaginta) como uma tradução do hebraico YHWH, Javé, ou como traduzido com frequência “o Senhor” ou “Jeová”. A Palavra Kyrios traduz “o Senhor” 6.814 vezes no Antigo Testamento Grego. Senhor no Antigo testamento era o nome do Criador e Mantenedor do céu e da terra, o Deus Onipotente. Lucas 2:11 “... Hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, O SENHOR” Ap 19:16 “ Tem no seu manto e na sua coxa um nome inscrito: Rei dos reis e Senhor dos senhores”. Mateus 3:3 “Preparai o cainho do Senhor , endireitai as suas veredas”. A implicação é que quando Jesus vier , o próprio Deus virá.

c) Outras fortes alegações da Divindade. :

c ) Outras fortes alegações da Divindade. Além das palavras Deus e Senhor empregadas no NT em referência a Jesus, existem outras passagens que defendem com vigor a divindade de Cristo. Exemplo: Jo 8:56-58 “Abraão vosso pai, alegrou-se por ver o meu dia, viu-o e regozijou-se. Perguntaram –lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinqüenta anos e viste Abraão? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade eu vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU”.

Jesus combinou duas declarações cuja sequência parecia não fazer sentido: - Antes de ocorrer algo no passado [Abraão existisse], ocorreu algo no presente[EU SOU].:

Jesus combinou duas declarações cuja sequência parecia não fazer sentido: - Antes de ocorrer algo no passado [Abraão existisse], ocorreu algo no presente[EU SOU]. Os líderes judaicos reconheceram de imediato que ele não estava falando por enigmas nem pronunciando insensatez: quando disse “Eu Sou”, estava repetindo as palavras que o próprio Deus disse a Moisés em Ex.3:14 quando Moisés perguntou o nome de Deus e Ele Respondeu EU SOU O QUE SOU(YHWH). Jesus atribuiu a si mesmo o título “EU SOU” pelo qual Deus designa-se como o que existe eternamente, o Deus que é fonte da existência dele próprio.

2.SINAIS DE QUE JESUS POSSUÍA ATRIBUTOS DE DIVINDADE:

2.SINAIS DE QUE JESUS POSSUÍA ATRIBUTOS DE DIVINDADE Jesus Demonstrou Onipotência: Mt 8: 26-27 ...”até os vento e o mar lhe obedecem” Mt 14: 19 multiplica os pães Manifesta sua Glória: Jo 2:1-11 Transforma água em vinho Afirma sua Eternidade: Jo 8:58 Quando diz que antes que Abraão existisse “EU SOU”. Ap 22:13 “Eu sou o princípio e o fim o alfa e o ômega o primeiro e o último”.

2.SINAIS DE QUE JESUS POSSUÍA ATRIBUTOS DE DIVINDADE:

2.SINAIS DE QUE JESUS POSSUÍA ATRIBUTOS DE DIVINDADE Demonstra Onisciência : Mc 2. 8 - No fato de conhecer o pensamento das pessoas Jo 1:48 de ver o fato antes de acontecer Jo 6:64 No fato de saber quem o trairia Sua Onipresença: A Onipresença de Jesus durante seu ministério terreno não foi afirmado diretamente. Mas, ao olhar o futuro quando a igreja fosse estabelecida aí sim. Mt 28:20- “ Eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século”.

2.SINAIS DE QUE JESUS POSSUÍA ATRIBUTOS DE DIVINDADE:

2.SINAIS DE QUE JESUS POSSUÍA ATRIBUTOS DE DIVINDADE Além Desses Jesus possuía : Soberania Divina (podia perdoar pecados) Mc 2: 5-7 Autoridade (o futuro de cada um no universo depende do fato de crer nele ou rejeitá-lo) Jo 3:16 Imortalidade Jo 10:17-18 – Nenhum ser humano jamais possuiu esse poder de entregar a vida e retomá-la. Possui Vida Indissolúvel Hb 7:16

Slide 43:

Digno de Culto Ap19:10 Fp 2: 9-11 – Todos o adorarão Hb 1:6 Inclusive os anjos Recebe Adoração no Céu Ap 5:12-13 É-lhe concedido o culto universal que pertence a Deus Pai, demonstrando sua equivalência em Divindade.

3.TERIA JESUS DESISTIDO DE ALGUM ATRIBUTO ENQUANTO ESTAVA NA TERRA (A TEORIA DE KENOSIS)? :

3.TERIA JESUS DESISTIDO DE ALGUM ATRIBUTO ENQUANTO ESTAVA NA TERRA (A TEORIA DE KENOSIS)? Filipenses 2: 5-7 “Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens, e, reconhecido em figura humana,” A teoria de Kenosis afirma que Cristo esvaziou de alguns atributos divinos, tais como a Onisciência, Onipresença e Onipotência, enquanto estava sobre a terra como homem. Isso era visto como uma autolimitação voluntária da parte de Cristo, feita para cumprir sua obra de redenção. Será que Fil 2: 7 ensina que Cristo esvaziou-se de alguns atributos divinos? O novo testamento confirma isso?

3.TERIA JESUS DESISTIDO DE ALGUM ATRIBUTO ENQUANTO ESTAVA NA TERRA (A TEORIA DE KENOSIS)?:

3.TERIA JESUS DESISTIDO DE ALGUM ATRIBUTO ENQUANTO ESTAVA NA TERRA (A TEORIA DE KENOSIS)? Nessa passagem o apostolo Paulo deseja ensinar que Jesus deixou a condição e o privilégio que tinha no céu e esvaziou-se (humilhou-se) por nós e passou a viver como homem. Ele deseja ensinar a humildade pelo exemplo de Jesus, colocando os interesses dos outros em primeiro lugar. O contexto quer dizer que Jesus não assumiu uma forma inferior , deixando alguns de seus atributos mas no sentido de sendo Deus, assumiu a forma humana. Se a teoria de Kenosis fosse verdadeira já não poderíamos afirmar que Jesus era plenamente Deus enquanto estava aqui na terra. Essa teoria nega a plena divindade de Cristo e o torna menor que o Deus pleno.

4.CONCLUSÃO Cristo é Plenamente Divino. :

4.CONCLUSÃO Cristo é Plenamente Divino. 5. SERIA A DOUTRINA DA ENCARNAÇÃO “COMPREENSIVEL” HOJE? O argumento do livro possui algumas pressupões básicas: 1-A Bíblia não possui autoridade divina para nós hoje; 2- O Cristianismo, como toda a vida e o pensamento humano, está evoluindo e mudando com o tempo.

5. SERIA A DOUTRINA DA ENCARNAÇÃO “COMPREENSIVEL” HOJE? :

5. SERIA A DOUTRINA DA ENCARNAÇÃO “COMPREENSIVEL” HOJE? Boa parte da crítica contra a doutrina da encarnação está centrada na alegação e que ela não era coerente ou compreensível. Revela apenas que os autores não estão dispostos a aceitar nada que não seja científico rejeitando as intervenções divinas no universo natural como milagres e encarnação. O autor conclui que nossa resposta é não rejeitar o ensino claro e importante da Bíblia acerca da encarnação. Se nos submetemos a Deus e as suas palavras nas Escrituras, então precisamos crer nela. Resumindo : Eu creio na Bíblia e a tenho como livro de fé e prática

6.POR QUE É NECESSÁRIA A DIVINDADE DE JESUS? :

6.POR QUE É NECESSÁRIA A DIVINDADE DE JESUS? É crucialmente importante insistir na plena divindade de Cristo, não só porque ela é ensinada de maneira clara nas escrituras, mas também porque: Só alguém que fosse infinito poderia arcar com toda a pena de todos os pecados de todos os que cressem nele – qualquer criatura finita seria capaz de arcar com tal pena A salvação vem do Senhor, e toda a mensagem das escrituras é moldada para mostrar que nenhum ser humano, nenhuma criatura, jamais conseguiria salvar o homem – só Deus poderia; e Só alguém que fosse verdadeira e plenamente Deus poderia ser o mediador entre Deus e homem, tanto para nos levar de volta à Deus como também para revelar Deus de maneira completa a nós.

C) A ENCARNAÇÃO: DIVINDADE E HUMANDIDADE NA ÚNICA PESSOA DE CRISTO:

C) A ENCARNAÇÃO: DIVINDADE E HUMANDIDADE NA ÚNICA PESSOA DE CRISTO

:

Um entendimento preciso de como a plena humanidade e a plena divindade poderiam ser combinadas em uma pessoa só foi formulado gradualmente na igreja e não chegou à uma forma final antes da Definição de Calcedônia em 451 d.C. Algumas concepções inadequadas da pessoa de Cristo foram propostas e depois rejeitadas como heresia.

1. Três Concepções inadequadas da pessoa de Cristo: :

1. Três Concepções inadequadas da pessoa de Cristo : a) Apolinarismo : Nega o espírito e alma humano. As idéia de Apolinário foram rejeitadas pelos líderes da igreja da época. Eles perceberam que não era só o nosso corpo humano que precisava de salvação e ser representado por Cristo na sua obra redentora, mas também nossa mente e espírito humano: Cristo tinha que ser plena e verdadeiramente humano para nos salvar. Hb . 2:17 “Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo”.

1. Três Concepções inadequadas da pessoa de Cristo::

1. Três Concepções inadequadas da pessoa de Cristo: b) O Nestorianismo : Nestório era um pregador famoso em Antioquia e, bispo de Constantinopla desde 428 d.C.Foi afastado de seu ofício tendo seu ensino condenado. A concepção Nestoriana negou a união das duas naturezas (a humana e a divina) em uma única pessoa. Em parte alguma da Bíblia há indicação de que a natureza humana de Cristo, seja uma pessoa independente que decide fazer algo contrário à natureza de Cristo. Em parte alguma temos indicação da natureza humana conversando com a natureza divina ou lutando dentro de Cristo, ou algo parecido. A Bíblia apresenta um quadro coerente de uma única pessoa agindo em integridade e unidade. Jo 14:23 “Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada”.

1. Três Concepções inadequadas da pessoa de Cristo::

1. Três Concepções inadequadas da pessoa de Cristo: c) O Monofisismo ( Eutiquianismo ): O Monofisismo causou grande e justa preocupação na Igreja porque, por essa doutrina, Cristo não era nem verdadeiramente Deus nem verdadeiramente homem. E, nesse caso, não podia representar-nos verdadeiramente como Homem nem podia ser verdadeiro Deus, capaz de obter nossa Salvação.

2. A SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA: A DEFINIÇÃO DE CALCEDÔNIA EM 451 D.C. :

2 . A SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA: A DEFINIÇÃO DE CALCEDÔNIA EM 451 D.C. Contra a Idéia de Apolinário de que Cristo não possuía mente ou alma humana, a definição de Calcedônia declara: Que Ele “era verdadeiramente homem, constando de alma racional e corpo[...] consubstancial a nós, segundo a humanidade; em todas as coisas semelhantes a nós”. (a palavra consubstancial significa: ter a mesma natureza ou substância)

2. A SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA: A DEFINIÇÃO DE CALCEDÔNIA EM 451 D.C.:

2 . A SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA: A DEFINIÇÃO DE CALCEDÔNIA EM 451 D.C. Em oposição à idéia Nestoriana de que Cristo era duas pessoas unidas em um corpo, temos as palavras “inseparáveis e indivisíveis [...] concorrendo para formar uma só pessoa e subsistência; não separado nem dividido em duas pessoas”. Contra a idéia Monofisista de que Cristo possuía só uma natureza e que sua natureza humana perdera-se na natureza divina, temos as palavras: “que se deve confessar, em duas naturezas, inconfundíveis, imutáveis [...] A distinção de naturezas de modo algum é anulado pela união, antes é preservada a propriedade de cada natureza”.

2. A SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA: A DEFINIÇÃO DE CALCEDÔNIA EM 451 D.C.:

2 . A SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA: A DEFINIÇÃO DE CALCEDÔNIA EM 451 D.C. Esse diagrama indica que o Filho eterno de Deus assumiu uma natureza verdadeiramente humana e que as naturezas divina e humana permanecem distintas e mantém suas propriedades, mas são unidas eterna e inseparavelmente em uma só pessoa. P ES F Natureza Divina Natureza Humana Deus Pessoa de Cristo

3. AGRUPAMENTO DE TEXTOS BÍBLICOS ESPECÍFICOS SOBRE A DIVINDADE E A HUMANIDADE DE CRISTO :

3. AGRUPAMENTO DE TEXTOS BÍBLICOS ESPECÍFICOS SOBRE A DIVINDADE E A HUMANIDADE DE CRISTO a)Uma natureza faz algumas coisas que a outra não faz. Exemplo: Quando falamos da natureza humana de Jesus, podemos dizer que Ele subiu ao céu e já não está no mundo. Jo 16:28 “Vim do Pai e entrei no mundo; todavia , deixo o mundo e vou para o Pai ”. Jo 17:11 e At 1:9-11

a)Uma natureza faz algumas coisas que a outra não faz. :

a)Uma natureza faz algumas coisas que a outra não faz. Mas em relação a natureza divina podemos dizer que Ele está em toda parte. Mt 18:20 “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles”. Assim podemos dizer que as duas coisas são verdade a respeito da pessoa de Cristo – Ele voltou para o céu, e Ele também está presente conosco.

a)Uma natureza faz algumas coisas que a outra não faz.:

a)Uma natureza faz algumas coisas que a outra não faz. A natureza humana de Jesus morreu Lc 23:46 “Então, Jesus clamou em alta voz: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito! E dito isto, expirou. A natureza divina não morreu, mas foi capaz de ressurgir dos mortos Jo 10:17-18; “Por isso, o Pai me ama, porque dou a minha vida para a reassumir. Ninguém a toma de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a entregar e também para reavê-la. Esse mandamento recebi do meu Pai. Hb7:16 “Por isso, o Pai me ama, porque eu dou a minha vida para a reassumir”.

b) Tudo que uma das naturezas faz, a pessoa de Cristo faz. :

b) Tudo que uma das naturezas faz, a pessoa de Cristo faz. Exemplo: 1 Co 15:3 “Antes de tudo, vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu pelos pecados, segundo as Escrituras,” Assim, mesmo que na realidade só seu corpo humano tenha deixado de viver e de funcionar, ainda assim foi Cristo como pessoa que morreu por nossos pecados. Tudo que se afirmar a respeito de uma natureza ou de outra pode ser dito da Pessoa de Cristo. Ou tudo que é feito por uma ou outra natureza é feito pela pessoa de Cristo. Exemplo: Jesus pode dizer “deixo o mundo (Jo16:28) e ao mesmo tempo dizer “estou convosco todos os dias...” ( Mt 28:20b)

C) Títulos que nos lembram de uma natureza podem ser empregados em referência à pessoa, mesmo quando a ação é realizada pela outra natureza :

C) Títulos que nos lembram de uma natureza podem ser empregados em referência à pessoa, mesmo quando a ação é realizada pela outra natureza A natureza humana de Jesus que foi crucificada e o título “Senhor da Glória” se refere a natureza divina de Jesus. Mas Paulo em emprega esse título para dizer que a pessoa de Jesus foi crucificada, sem especificar que foi a sua natureza humana .

d) Uma breve frase de resumo: “Permanecendo o que era, tornou-se o que não era”. :

d) Uma breve frase de resumo: “Permanecendo o que era, tornou-se o que não era”. e) A “comunicação” de atributos 1.Da Natureza divina para a natureza humana: Dignidade para ser cultuada Incapacidade de pecar 2.Da natureza Humana para a natureza divina: Capacidade para experimentar o sofrimento e a morte Capacidade para ser nosso sacrifício substitutivo, o que Jesus, só como Deus não poderia ter feito.

f) Conclusão: :

f) Conclusão:

Obrigada!...:

Obrigada!...

Obrigada! Até a próxima aula! :

Obrigada! Até a próxima aula!

authorStream Live Help