Egito

Views:
 
Category: Education
     
 

Presentation Description

No description available.

Comments

By: WdsoneManoela (35 month(s) ago)

Muito bom

By: jorger (42 month(s) ago)

gostei

Presentation Transcript

Slide 1: 

Egito Antigo

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA : 

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA O Egito está situado no Nordeste da África em meio a dois imensos desertos : o da Líbia e o da Arábia. O Egito Antigo possuía um território estreito e comprido que compreendia duas grandes regiões: o Alto Egito (região do vale) e o Baixo Egito região do Delta do Nilo).

EGITO,dádiva do NILO : 

EGITO,dádiva do NILO O Nilo corta o Egito de sul a norte e deságua no mar Mediterrâneo. Anualmente, de junho a setembro, o Nilo transborda e rega a terra, tornando-a favorável à agricultura.A partir de outubro, inicia-se o período de semeadura, que se prolonga até mais ou menos fevereiro.A colheita ocorre de abril a junho.

FORMAÇÃO DO ESTADO NO EGITO ANTIGO : 

FORMAÇÃO DO ESTADO NO EGITO ANTIGO Nomos : conjuntos de aldeias governadas pelos nomarcas, nome dado aos chefes mais poderosos.

Slide 8: 

Com o tempo, as disputas entre os nomarcas por poder e terras geraram guerras e alianças entre eles. Alguns deles, ao vencerem os demais, tornavam-se reis, passando a controlar vários “nomos”. Surgiram então no Egito reinos que foram ficando cada vez maiores, até resumirem a dois : o Alto Egito (no vale do Nilo) e o Baixo Egito (no Delta do Nilo) . . Por volta do ano 3200 a .C., o rei Menés, do Alto Egito (no vale do Nilo), conquistou o Baixo Egito (no delta do Nilo), unificando os dois reinos. Menés tornou-se então o primeiro faraó (nome que se dava ao rei entre os egípcios) e o fundador da primeira dinastia (sucessão de reis pertencentes a uma mesma família).

Slide 9: 

A coroa era um dos principais símbolos do faraó. Antes da unificação, o soberano do Alto Egito utilizava a coroa branca; a coroa vermelha era usada no Baixo Egito. Quando o Egito passou a ser governado por um único soberano, o faraó, a coroa tornou-se dupla : vermelha e branca, simbolizando a união dos dois reinos. Ao comandar suas tropas na guerra, o faraó usava a coroa azul.

A PERIODIZAÇÃO DA HISTÓRIA EGÍPCIA : 

A PERIODIZAÇÃO DA HISTÓRIA EGÍPCIA

Slide 11: 

Antigo Império: Durante a maior parte deste longo período, os faraós conseguiram impor sua autoridade ao reino e, auxiliados por seus funcionários, coordenaram a construção de grandes obras públicas, entre elas as pirâmides de Quéops, Quéfren e Miquerinos.

Slide 12: 

- Médio Império: - neste período os egípcios expandiram seu território em direção ao Sul, conquistando a Núbia, região rica em minerais, entre os quais o ouro. Apesar da prosperidade material, o reino continuou envolvido em guerras e revoltas internas que o enfraqueceram. Isso encorajou os hicsos, povo originário da Ásia Central, a atravessarem o deserto e invadir o Egito, conquistando-o. A vitória dos hicsos deveu-se ao uso de cavalos e carros de combate, desconhecidos pelos egípcios. O domínio dos hicsos em território egípcio durou mais de 150 anos.

Slide 13: 

-Novo Império: - Este período inicia-se com a expulsão dos hicsos. Amósis, o líder militar da luta contra o invasor, inaugurou uma nova dinastia. Os faraós do Novo Império organizaram um poderoso exército com cavalaria e carros de combate e adotaram uma política expansionista. Pela força, reconquistaram a Núbia, ocuparam a Síria, a Fenícia e a Palestina e estenderam seus domínios até o rio Eufrates. Depois de efetuar estas conquistas, o governo egípcio passou a exigir pesados impostos dos povos dominados. Essa situação provocou revoltas sociais dentro do Egito, o que, somado às sublevações dos povos conquistados contra a cobrança de impostos abusivos, acabou debilitando o poder do faraó. A partir do século VIII a.C., o Egito foi sucessivamente invadido por núbios, assírios e persas, até que, em 332 a.C. foi conquistado por Alexandre Magno.

A SOCIEDADE EGÍPCIA : 

A SOCIEDADE EGÍPCIA

O FARAÓ : 

O FARAÓ Ele era considerado um deus vivo, filho do Sol (Amon-Rá) e encarnação do deus-falcão (Hórus). Para os egípcios, toda a felicidade dependia do faraó e seu poder era ilimitado. Comandava os exércitos, distribuía a justiça, organizava as atividades econômicas. O faraó ostentava uma coroa e um cetro, símbolos de sua autoridade. Para os povos do Egito Antigo, o faraó era o pai e a mãe dos seres humanos; um governante com autoridade sobrenatural para recrutar o trabalho em massa necessário à manutenção do sistema de irrigação ao longo do Nilo. Além do poder e prestígio, o faraó possuía enorme riqueza. Era considerado o dono de todas as terras do Egito. Por isso, tinha o direito de receber impostos (pagos em produtos) das aldeias.

Slide 17: 

. O VIZIR : a maior autoridade depois do faraó. Cabia a ele tomar decisões jurídicas, administrativas e financeiras em nome do faraó. . OS NOBRES:  descendentes das famílias mais importantes dos antigos nomos cuidavam da administração das províncias ou ocupavam os postos mais altos do exército. . OS SACERDOTES: detinham muito poder, administravam todos os bens que os fiéis e o próprio Estado ofereciam aos deuses e tinham muita influência junto ao faraó. Enriqueciam porque ficavam com parte das oferendas feitas pela população aos deuses, além de serem dispensados do pagamento de impostos .

Slide 18: 

OS ESCRIBAS: os que dominavam a difícil escrita egípcia, encarregavam-se da cobrança dos impostos, da organização das leis e dos decretos e da fiscalização da atividade econômica em geral.

Slide 19: 

O SOLDADOS: nunca atingiam os postos de comando, pois estes eram reservados à nobreza.Eles viviam dos produtos recebidos como pagamento e dos saques que podiam realizar durante as guerras de conquista.   OS ARTESÃOS: exerciam as mais diversas profissões. Trabalhavam como pedreiros, carpinteiros, desenhistas, escultores, pintores, tecelões, ourives, etc. Muitas de suas atividades eram realizadas nas grandes obras públicas (templos, túmulos, palácios, etc.).

Slide 20: 

OS CAMPONESES : chamados no Egito de felás, constituíam a imensa maioria da população. Trabalhavam nas propriedades do faraó e dos sacerdotes e tinham o direito de conservar para si apenas uma pequena parte dos produtos colhidos. Eram também obrigados a trabalhar na construção de obras públicas grandiosas, como abertura de estradas, limpeza de canais, transportes de pedras necessárias às grandes obras, como túmulos, templos e palácios.

Slide 21: 

OS ESCRAVOS: geralmente estrangeiros e prisioneiros de guerra, também compunham a base da sociedade. Trabalhavam, principalmente, nas minas e pedreiras do Estado, nas terras reais e nos templos. Muitas vezes faziam parte do exército em época de guerra e eram utilizados como escravos domésticos .

Slide 22: 

Economia Agricultura de regadio (diques e canais) Servidão Coletiva Cobrança de Impostos

ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA : 

ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA A agricultura era a base da economia egípcia e, como já vimos, dependia das águas do Nilo.O trigo, a cevada, os legumes e as uvas constituíam as principais culturas.

Slide 24: 

Os egípcios dedicavam-se também à criação de bois, asnos, patos e cabritos. Além disso, praticavam também a mineração de ouro, pedras preciosas e cobre, este último muito usado nas trocas comerciais com outros povos. O comércio era feito à base de trocas, mas limitava-se ao pequeno comércio e à permutação de artigos de luxo com o exterior .

Slide 25: 

O artesanato do Egito era conhecido no mundo antigo. Com a madeira, o cobre, o ouro, o marfim, o couro, o papiro, o bronze, seus artesãos produziam móveis, brinquedos, jóias, tecidos, barcos, armas, tijolos e uma variedade de outros objetos.

A ESCRITA EGÍPCIA : 

A ESCRITA EGÍPCIA A escrita surgiu no Egito por volta de 3000 a.C. Os caracteres que os egípcios usavam para escrever eram chamados de hieróglifos, usados geralmente em inscrições oficiais e sagradas gravadas em pedra.

Slide 27: 

Os egípcios desenvolveram também uma forma simplificada dessa escrita hieroglífica chamada escrita hierática (escrita dos deuses), utilizada principalmente pelos sacerdotes sobre madeira ou papiro.

Slide 28: 

Havia ainda a escrita demótica (escrita do povo) , mais popular, que era uma simplificação da hierática, geralmente usada em cartas e registros sobre papiro. Eles usavam tinta feita de fuligem e algumas vezes decoravam suas escritas com tinta vermelha.

Religião Egípcia : 

O MITO DE OSÍRIS O deus Osíris era um grande rei, que sucedera a seu pai Geb (a Terra); de parceria com sua mulher; a deusa-mágica Ísis, ensinou aos homens a agricultura, inventou o pão, o vinho e a cerveja, revelou-lhes a metalurgia. Religião Egípcia

Religião Egípcia : 

O MITO DE OSÍRIS Mas seu irmão Sete mata-o: afoga-o no Nilo, corta-o em pedaços, que espalha pelos canaviais. Então Ísis procura, recolhe e reúne os membros esparsos refaz o corpo e, usando da sua ciência mágica, ressucita Osíris, que viverá agora eternamente, mas no Céu. Vingando-o, seu filho, o deus Hórus, combate e vence Sete e sucede ao pai no trono do Egito. Dele recebem em herança este reino os reis humanos -os faraós- que assim têm caráter divino. Religião Egípcia

HEBREUS : 

HEBREUS

Hebreus : 

Localização Geográfica: A Palestina era uma região do Oriente Próximo, localizada entre o mar Mediterrâneo e o Mar Vermelho, próximo da Mesopotâmia e do Egito. A região era banhada pelo rio Jordão e foi ocupada pelos hebreus no segundo milênio antes de Cristo. A história dos hebreus divide-se nos seguintes períodos: Patriarcas, Juizes, Monarquia e Cisma. Hebreus

Slide 33: 

Evolução Política Período dos Patriarcas: Nessa fase, os hebreus viviam em tribos, portanto não conheciam uma unidade política e eram governados pelos patriarcas. Abraão foi o primeiro patriarca e o responsável por conduzir os hebreus da Mesopotâmia à Palestina (terra prometida). Por volta de 1700 a.C, os hebreus foram levados para o Egito, foram escravizados pelos faraós e libertados por Moises (Patriarca), que os conduziu para a Palestina. (Êxodo).

Slide 34: 

Período dos Juízes: Esse período se caracterizou pelo processo de transição que culminou com a centralização e o surgimento da Monarquia. Sansão, Gedeão e Eli foram os principais juízes. Período da Monarquia: Nessa fase ocorreu a centralização política e a fundação da Monarquia, com a capital em Jerusalém. Saul, Davi e Salomão foram os reis. No entanto, o apogeu da Monarquia se deu no reinado de Salomão, que construiu o Templo de Jerusalém. A sua morte em 926.a.C , provocou a divisão da Monarquia.

Slide 35: 

Cisma: A monarquia foi dividida em dois reinos: Reino de Israel, capital Samaria e Reino de Judá, capital Jerusalém. O Reino de Israel foi dominado pelos assírios enquanto que o Reino de Judá foi conquistado por Nabucodonor (Cativeiro da Babilônia). Com a conquista da Babilônia, os persas ( Ciro) libertaram os hebreus, que voltaram à Palestina. Em 70 d. C, os romanos conquistaram a Palestina, destruíram o Templo de Jerusalém e expulsaram os judeus da Palestina (Diáspora) . Os judeus retornaram a sua terra em 1948 com a criação do Estado de Israel.

Slide 36: 

Economia: Pastoreio, agricultura e posteriormente mercantil.   Religião: monoteísmo (crença em um único deus). O judaísmo influenciou o cristianismo e o islamismo. Livro Sagrado: Velho Testamento.

Slide 37: 

A sociedade é composta por homens livres de igual nível de direitos, organizados em tribos. As mulheres, a despeito de relativa inferioridade jurídica em relação aos homens, em especial no tocante aos aspectos de aquisição de propriedade e casamento, por força da condição religiosa do Direito, conseguem exercer atividades influentes como de juízas ou profetisas, conforme nos refere o texto bíblico. Os estrangeiros detêm direitos em mesmo nível que os nacionais, à exceção das questões relativas à religião, às quais não tinham acesso a não ser que se convertessem. Não havia diferenciação de juízo ou de leis entre uns e outros. As penas, em geral, obedeciam à Lei do Talião. A sociedade Hebraica

Slide 38: 

Os hebreus com o estabelecimento da monarquia, foram divididos em : Família Real, Mercadores, Servos, Escravos. A família era a base da sociedade hebraica. O pai exercia autoridade quase ilimitada sobre os filho. O casamento era monogâmico. A poligamia era tolerada. Nas heranças, o direito de primonenitura era reconhecido. A idolatria, a blasfêmia e o adultério eram severamente punidos.

Slide 39: 

LETRAS A Literatura era notável , compreendia lendas, tradições, história e poesia. CONTRIBUIÇÕES RELIGIÃO LITERATURA

MESOPOTÂMIA : 

MESOPOTÂMIA

Mesopotâmia : 

Mesopotâmia Mesopotâmia significa “Entre Rios”, esta região situava-se entre os Rios Tigre e Eufrates, que atravessam o atual Iraque, no Golfo Pérsico. Esta região foi invadida por vários povos, porque sua localização geográfica possibilitava acesso pelo Mar Mediterrâneo e também pelo Oriente, gerando lutas constantes. Outra causa das rivalidades na “Tumultuada” história da Mesopotâmia, foi a desigualdade na distribuição dos recursos naturais, pois, no sul encontravam-se terras férteis (boas para plantação) e ao norte somente terras áridas de difícil plantio. Dentre os povos que dominaram a Mesopotâmia, podemos destacar: Os Sumérios, Os Acádios, Os Babilônicos e Os Assírios.

Slide 42: 

Os povos que dominaram a Mesopotâmia basearam-se principalmente na agricultura, pois, os Rios Tigre e Eufrates possibilitavam terras férteis assim como o Rio Nilo no Egito. Mesmo dominado por vários povos a organização social baseava-se geralmente na figura do Rei (considerado um Deus). A organização econômica era formada basicamente de atividades agrícolas, comércio, artesanato e pesca. A prática religiosa era politeísta (acreditavam em vários deuses), até mesmo as cidades possuíam deuses particulares, por isso, construíam grandiosos templos que serviam também de bibliotecas, armazéns de cereais, observatórios astronômicos, etc.

Sumérios : 

Sumérios Primeira civilização da Mesopotâmia. Cidades Importantes: Uruk, Lagash, Eridu e Nipur. As cidades tinham autonomia Religiosa, política e econômica. O Chefe Político denominava-se Patesi Os Sumérios são responsáveis pela forma de escrita mais antiga que se tem conhecimento (Escrita Cuneiforme)

Babilônicos : 

Babilônicos Principal rei babilônico foi Hammurábi. Hamurabi elaborou o primeiro código de leis escritas (Código de Hamurabi) baseado no princípio de Talião (Olho por olho, dente por dente).  Outro importante rei babilônico foi Nabucodonosor, que ficou conhecido como construtor de obras grandiosas, como os Jardins Suspensos da Babilônia.

Slide 46: 

RELIGIÃO Mitos sumerianos - Os sumerianos eram politeísta e não acreditavam em recompensas após a morte. Visavam apenas a obter, através da religião, dádivas materiais e imediatas. Acreditavam que Marduk, depois de lutar contra os deuses invejosos, criou o mundo e o homem de barro com sangue de dragão. Conheciam o mito do dilúvio, mandado pelos deuses para castigar a humanidade. Guigamesh, orientado por Marduk, salvou-se recolhendo-se numa arca a sua família. Os deuses - A religião dos babilônios tinha as seguintes características: politeísmo, desprezo pela vida além-túmulo, crença em gênios, demônios, heróis, adivinhações e magia. Seus deuses eram numerosos com qualidades e defeitos, sentimentos e paixões, imortais, despóticos e sangüinários. Anu, deus do céu; Enlil, deus do ar, Ea, deusa das águas, Sin, deusa da lua, Shamash, deus do sol e da justiça, Istar, deusa do amor e da guerra. Os sacerdotes se esforçam por agrupar os deuses em famílias ou tríades. Cada divindade era uma força da natureza e do dono da sua cidade. Marduk, deus de Babilônia, o cabeça de todos, tornou-se deus do Império, durante o reinado de Hamurábi. Foi substituído por Assur, durante o domínio dos assírios. Voltou ao posto com Nabucodonosor. Os gênios e a adivinhação - Os gênios bons ajudavam os deuses a defender-se contra os demônios, contra as divindades perversas, contra as enfermidades, contra a morte. Os homens procuravam conhecer a vontade dos deuses manifestada em sonhos, eclipses, movimento doas astros. Essas observações feitas pelos sacerdotes deram origem à astrologia.

Diretas : 

Diretas Mesopotâmia = Entre Rios = Tigre e Eufrates Sociedade Dividida = Ricos e Pobres Modo de Produção Asiático = Um governante Divinizado explora, através de trabalhos forçados e da cobrança de tributos Povos da Mesopotâmia = Sumérios, Acádios, Babilônicos e Assírios Classe dominante = governante, sacerdote, militares e comerciantes Classe dominada = camponenses, pequenos artesãos e escravos Escrita = Sumérios = Cuneiforme Arquitetura = Zigurate (torre com vários andares, um menor que o outro) Hamurabi = Talião Nabucodonosor = Jardins suspensos da Babilônia

Slide 48: 

CONTRIBUIÇÕES Código de leis. Sistema de escrita. Estudo da Astronomia e da Matemática. Calendário. Princípio do arco nas construções. Ciência militar.